Clique no banner abaixo para comprar os livros de Hugo Goes

Os 5 recursos para a prova do INSS

Clique aqui para acessar o recurso da questão do "suposto MEI";

Clique aqui para acessar o recurso da questão sobre "auxílio-reclusão";

Clique aqui para acessar o recurso da questão do "João que trabalhou na lavoura de 1975 a 1990";

Clique aqui para acessar o recurso da questão da "Maria que adotou uma criança de 6 anos".

Clique aqui para acessar o recurso da questão do "José que trabalhou como empregado na empresa São João Ltda., no período de 01/09/2004 a 01/09/2007".

197 comentários:

  1. Hugão, parabéns!!! Obrigado.

    ResponderExcluir
  2. Pow.. se for pra colocar recurso o certo é anular... mudar gabarito sempre acaba prejudicando alguem... no final sempre a questão mal elaborada prejudicará alguem.. por isso o mais correto é ANULAÇÃO... mas enfim... fiz 39 de D.Prev. se não aceitar nenhum recurso tah melhor pra mim... mas não irei passar com minha pontuação... 53

    ResponderExcluir
  3. professor, seria possivel q vc comentasse a questâo 60,prova tipo 1?

    ResponderExcluir
  4. Galera, entrem também na de informática:

    "COM BASE NO GRÁFICO, analise:".

    "Proporção de empresas com rede[...] INTRANET [...](%)", de acordo com o gráfico, ESTÁ DIMINUINDO...o que diferenre do afirmado no item I da referida questão, onde afirma-se que "O acesso sem fio à Internet e INTRANETS ESTÁ CRESCENDO..."

    RogOOOOOOOOOOO!!!!!,consequentemente, pela ANULAÇÃO DA QUESTÃO, uma vez que não ha alternativa correta a ser marcada.


    Mesmo que seja uma pequena parte do meu recurso, não copiem!!!! Não pode. Escrevam!

    ResponderExcluir
  5. Professor a questão 60 da prova tipo 001, também cabe recurso.

    Como pode uma pessoa que não tem direito a auxílio doença, ter direito a aposentadoria por invalidez.

    Pessoa elaborem os recursos para essa também.

    ResponderExcluir
  6. droga errei só duas dessas!!! vou aguardar os recursos! Mas professor belo trabalho voçe faz no seu blog... Parabens e obrigado por tudo, comecei a frequentar seu blog quando lançaram o edital do inss, mas sesoubesse ja vinha acompanhando antes seus ensinamentos!!Sou de dom feliciano rs, concorri para APS de encruzilhada do sul 183/1 fiz 46 pontos, mas dessa vez não deu eu acho.. abraço!!! e valeu pelas fundamentações das questões!

    ResponderExcluir
  7. Agradeço por sua dedicação incansável a nós, concurseiros. Parabéns!


    Elma (Natal/RN)

    ResponderExcluir
  8. Eu acertei 54, estou torcendo para 2 questões serem anuladas (31 e 38). Mesmo assim creio que não tenho chance.

    ResponderExcluir
  9. Professor, no seu livro de questões da FCC foi abordada uma questão para o cargo de Advogado da Nossa Caixa em 2011, onde o princípio da universalidade diz que "a proteção social deve alcançar todos os EVENTOS cuja reparação seja premente, a fim de manter a subsistência de quem dela necessite", ou seja, refere-se aos EVENTOS de doença, invalidez, morte e idade avançada.

    Assim sendo, não pode ser "atendimento à população"...
    correto???
    Creio que a questão 21 deveria ser anulada.

    ResponderExcluir
  10. Professor Hugo, super obrigado, irmão. O SENHOR te recompensará.

    ResponderExcluir
  11. Questão do recurso 3...

    por mais que seja considerado o tempo de comtribuição do trabalhador... se é questão de omissão de informação... só irá contar akele tempo.. se na questão falasse que ele teria meios de comprovar akele tempo...

    tem opção de Anti-recurso? kkkkkkkk

    com essa eu derrubaria esse recurso

    ResponderExcluir
  12. E vamos com tudo. A Vitória é nossa! Em nome do SENHOR JESUS DE NAZARÉ!

    ResponderExcluir
  13. Maria trabalhou de 02 de janeiro de 1990 até 02 de fevereiro de 2005 como empregada de uma empresa, desligando-se do emprego para montar um salão de beleza. Apesar de ter passado à categoria de contribuinte individual, deixou de recolher contribuições para a Previdência Social durante dois anos, até fevereiro de 2007. Nessa situação, o período de graça de Maria é de

    (A) 12 (doze) meses.

    (B) 24 (vinte e quatro) meses.

    (C) 36 (trinta e seis) meses.

    (D) 48 (quarenta e oito) meses.

    (E) 60 (sessenta) meses.



    Comentários



    Apesar de o gabarito oficial ser a letra B, esta questão deve ser anulada porque está sem resposta. O enunciado diz taxativamente que Maria deixou de exercer atividade como empregada e passou a exercer atividade como contribuinte individual, durante 2 anos, sem recolhimento de contribuições. No caso, Maria continuou exercendo atividade remunerada como segurada obrigatória do RGPS, devendo recolher as contribuições em atraso com os acréscimos legais. Portanto, como a filiação do segurado decorre do exercício de atividade remunerada, não houve período de graça.



    Fundamentação



    Art. 13, RPS. Mantém a qualidade de segurado, independentemente de contribuições:

    I - sem limite de prazo, quem está em gozo de benefício;

    II - até doze meses após a cessação de benefício por incapacidade ou após a cessação das contribuições, o segurado que deixar de exercer atividade remunerada abrangida pela previdência social ou estiver suspenso ou licenciado sem remuneração;

    (...)

    Art. 20, RPS. Filiação é o vínculo que se estabelece entre pessoas que contribuem para a previdência social e esta, do qual decorrem direitos e obrigações.

    § 1o A filiação à previdência social decorre automaticamente do exercício de atividade remunerada para os segurados obrigatórios, observado o disposto no § 2o, e da inscrição formalizada com o pagamento da primeira contribuição para o segurado facultativo. (Incluído pelo Decreto nº 6.722, de 2008).
    Professor essa questão tem fundamentos pra ser anulada?

    ResponderExcluir
  14. Professor Hugo , na questão que fala da procuração coletiva de representante de asilo, a qual foi considerada correta, essa questão cabe recurso, pois está incompleta, pois o certo seria: "representante credenciado", de acordo com IN 45, art.395 § 1º, se não sub-entende qualquer representante.

    Art. 395 § 1º, da IN 45, aduz que:

    "§ 1º Para fins de recebimento de benefício, somente será aceita a constituição de procurador com mais de uma procuração ou procurações coletivas, nos casos de representantes credenciados de leprosários, sanatórios, asilos e outros estabelecimentos congêneres ou nos casos de parentes de primeiro grau".

    ResponderExcluir
  15. Boa noite.

    Hoje, 16 de fevereiro, a tarde eu entrei com recurso contra duas questões. Nas instruções consta que "Não serão conhecidos (analisados) os recursos que: sejam cópias exatas de recursos já interpostos;". Justamente por isso estou tendo problema, pois ao querer entrar com um novo recurso, em outra questão, que deixei para a noite deste mesmo dia, e quando eu clico em finalizar recurso, aparece as outras duas questões que eu já tinha criado o recurso mais a nova, sendo assim, para não duplicar, eu não salvo e envio, mas estou na dúvida.

    Na tela onde eu escrevo o referido recurso, logo abaixo da caixa de texto, está os dois recursos que eu já enviei, inclusive imprimi o comprovante, para que sejam EDITADOS ou DELETADOS.

    Pergunto, poderei deletar os dois recursos já enviados para não duplicar o envio desses recursos ou o procedimento de toda vez que entrar com uma nova questão tem que enviar os anteriores novamente?

    Eu pensei em deletar esses dois recursos, que já foram enviados, e enviar somenet o novo, mas confesso que não entendi o sistema e fiquei na dúvida. Se deleto, pois já enviei, ou não posso deletar, pois pode sair do sistema.

    O que acham?

    ResponderExcluir
  16. Professor Hugo,

    Discordo de seu recurso da questão 48 prova 1.

    Gostaria de dizer que a lei se refere ao trabalhador rural que recebe remuneração, ou seja, SEGURADO EMPREGADO. ( O TEMPO DE SERVIÇO CONTA SEM CONTRIBUIÇÃO ). Porém o anunciado é clarissimo em dizer que João era SEGURADO ESPECIAL.

    Não tem sentido o INSS aceitar uma APOSENTADORIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO de um segurado que teve quasse a metade de seu tempo de serviço como SEGURADO ESPECIAL. Sem contribuição.

    ResponderExcluir
  17. Boa noite.

    Hoje, 16 de fevereiro, a tarde eu entrei com recurso contra duas questões. Nas instruções consta que "Não serão conhecidos (analisados) os recursos que: sejam cópias exatas de recursos já interpostos;". Justamente por isso estou tendo problema, pois ao querer entrar com um novo recurso, em outra questão, que deixei para a noite deste mesmo dia, e quando eu clico em finalizar recurso, aparece as outras duas questões que eu já tinha criado o recurso mais a nova, sendo assim, para não duplicar, eu não salvo e envio, mas estou na dúvida.

    Na tela onde eu escrevo o referido recurso, logo abaixo da caixa de texto, está os dois recursos que eu já enviei, inclusive imprimi o comprovante, para que sejam EDITADOS ou DELETADOS.

    Pergunto, poderei deletar os dois recursos já enviados para não duplicar o envio desses recursos ou o procedimento de toda vez que entrar com uma nova questão tem que enviar os anteriores novamente?

    Eu pensei em deletar esses dois recursos, que já foram enviados, e enviar somenet o novo, mas confesso que não entendi o sistema e fiquei na dúvida. Se deleto, pois já enviei, ou não posso deletar, pois pode sair do sistema.

    O que acham?

    ResponderExcluir
  18. A Questão 60 do tipo de Prova B02 tipo 001 tem 2 resposta para a pergunta.

    As aternativas "E" e "D", ambas podem ser resposta para a seguinte questão.
    Se o gabarito da questão é letre "E", que diz que ele não tem direto a o axílio-doença .Então, o que tornaria a aternativa "D" errada? Se nela diz que ele não tem direito à aposentadoria por invalidez, na situação apresentada na questão?

    Outro erro da mesma questão é que o segurada deverá contribuir com no mínino 1/3 da carência exigida para conseção do benefício requerido se ele já foi segurado, para que seu tempo de contribuição antes da perda da qualidade de segurado seja contado como carência.
    Na questão ele começou a trabalhar em Julho, e em outubro ele sofreu de apendicite. Na questão diz ser 3 meses, mas,de julho a outubro são 4 meses de trabalho, e mesmo que ele tenha sofrido a apendicite no inicio do mês de outubro, mesmo assim esse mês que não foi totalmente trabalhado, contaria como tempo de contribuição e consequentemente como tempo de carência pelo fato dele ser segurado empregado, que não o torna obrigado a contribuir pelo periodo total do mês de trabalho, caso ele venha a sofrer de alguma doença ou acidente de qualquer natureza ou causa. Então, ele acabaria cumprido o período exigido de 1/3 das contribuições nescessárias para a carêcia do benefício, tornando também possível a alternativa "A" da mesma questão correta. já são 3 alternativas possíveis.

    Bases legais:

    LEI 8.213 de 24 de julho de 1991

    Art. 24. Período de carência é o número mínimo de contribuições mensais indispensáveis para que o beneficiário faça jus ao benefício, consideradas a partir do transcurso do primeiro dia dos meses de suas competências.
    Parágrafo único. Havendo perda da qualidade de segurado, as contribuições anteriores a essa data só serão computadas para efeito de carência depois que o segurado contar, a partir da nova filiação à Previdência Social, com, no mínimo, 1/3 (um terço) do número de contribuições exigidas para o cumprimento da carência definida para o benefício a ser requerido. (Vide Medida Provisória nº 242, de 2005)

    ResponderExcluir
  19. Prova tipo 3 - Questão 28:
    João exerce individualmente atividade de pescador artesanal e possui embarcação com 5 toneladas de arqueação bruta, com parceiro eventual, que o auxilia. Nessa situação, João é

    Professor Hugo, na questão acima não diz que a atividade com fins lucrativos. Caberia recurso?

    ResponderExcluir
  20. Professor Hugo,

    Gostaria que o senhor olhasse com atenção a questão 43 da prova 1. Pois a alternativa correta é a A. Por favor.

    Galera,

    A FCC, ao responder os recursos, ela diz os argumentos do indeferimento? A gente pode contestar argumentos invalidos? Se a gente depender desse recurso para ficar classificado, a gente pode entrar na justiça para reverem o recurso? Obrigado.

    ResponderExcluir
  21. Professor Hugo Goes,

    obrigada por sua dedicação.

    ResponderExcluir
  22. Professor, muito obrigado por tudo! Pessoas como o senhor nos fazem lembrar que existe um Deus que cuida de nós, porque somente uma pessoa iluminada por Deus se preocupa com o próximo desta forma.

    Obrigado pelo tempo dedicado! Deus te abençoe.

    ResponderExcluir
  23. Professor Hugo, quanto a questão do aux reclusão poderia acrescentar mais uma coisa:
    Se ele recebeu beneficio por incapacidade até jan 2010 (e aux doenca é beneficio por incapacidade)

    Ele ainda mantem a qualidade de segurado:
    II - até doze meses após a cessação de benefício por incapacidade ou após a cessação das contribuições, o segurado que deixar de exercer atividade remunerada abrangida pela previdência social ou estiver suspenso ou licenciado sem remuneração;

    ou seja, aí ele teria QS e seus segurados teriam direito a receber o aux reclusão....

    Na verdade a questão errou em alguns termos, mas essa questão nao teria que mudar gabarito e sim ser anulada, pois há dupla interpretação, o que levaria a mais de uma resposta certa.

    Se eu estiver errada, por favor me corrija,

    Obrigada

    ResponderExcluir
  24. são 10 o total dequestões passíveis de recursos segundo os professores.

    8 de previdenciário
    1 de Info
    1 de D. Adm.

    Sabe qts a FCC vai anular? Nenhuma!
    Esse foi o primeiro grande concurso em termos qualitativo e de abrangência que a FCC fez. Vcs acham mesmo que ela vai deferir uns 5 recursos? Isso seria uma grande desmoralização p/ instituição... Vamos ver no que dá!

    ResponderExcluir
  25. Concurseiro, isso que dá pegar trabalho que não aguenta fazer.....a FCC se lascou....e espero que o INSS nunca mais contrate essa banca....
    Ela pode até ser boa em outros concursos mas por INSS necas!!!

    ResponderExcluir
  26. Professor Hugo, vou elaborar os meus recursos amanhã. Então, postá-los-ei aqui neste SUPER blog. Boa noite a todos. Deus nos dará a vitória!

    ResponderExcluir
  27. Concurseiro89, qual é a de Administrativo que cabe recurso?

    ResponderExcluir
  28. Prezada Banca Examinadora da Fundação Carlos Chagas,
    Entendo que a questão sub examinem, com a devida vênia, deve ser anulada, devido o que está expresso nas normas legais abaixo não estarem totalmente de acordo com o que a banca divulgou como gabarito correto da questão.
    Observe o que diz os diplomas legais:

    1- Decreto 3048/99

    Art. 202. A contribuição da empresa, destinada ao financiamento da aposentadoria especial, nos termos dos arts. 64 a 70, e dos benefícios concedidos em razão do grau de incidência de incapacidade laborativa decorrente dos riscos ambientais do trabalho corresponde à aplicação dos seguintes percentuais, incidentes sobre o total da remuneração paga, devida ou creditada a qualquer título, no decorrer do mês, ao segurado empregado e trabalhador avulso:
    I - um por cento para a empresa em cuja atividade preponderante o risco de acidente do trabalho seja considerado leve;
    II - dois por cento para a empresa em cuja atividade preponderante o risco de acidente do trabalho seja considerado médio; ou
    III - três por cento para a empresa em cuja atividade preponderante o risco de acidente do trabalho seja considerado grave.
    § 1º As alíquotas constantes do caput serão ACRESCIDAS de doze, nove ou seis pontos percentuais, respectivamente, se a atividade exercida pelo segurado a serviço da empresa ensejar a concessão de aposentadoria especial após quinze, vinte ou vinte e cinco anos de contribuição.
    § 2º O acréscimo de que trata o parágrafo anterior incide exclusivamente sobre a remuneração do segurado sujeito às condições especiais que prejudiquem a saúde ou a integridade física.
    § 11. Será devida contribuição adicional de NOVE, SETE ou CINCO pontos percentuais, a cargo da empresa tomadora de serviços de cooperado filiado a cooperativa de trabalho, incidente sobre o valor bruto da nota fiscal ou fatura de prestação de serviços, conforme a atividade exercida pelo cooperado permita a concessão de aposentadoria especial após quinze, vinte ou vinte e cinco anos de contribuição, respectivamente. (Incluído pelo Decreto nº 4.729, de 2003)
    § 12. Para os fins do § 11, será emitida nota fiscal ou fatura de prestação de serviços específica para a atividade exercida pelo cooperado que permita a concessão de aposentadoria especial. (Incluído pelo Decreto nº 4.729, de 2003)

    Então pelo que se pode entender das normas acima citadas as alíquotas, regra geral, relativas às contribuições sociais das empresas são de 1%, 2% ou 3%, sendo que serão ACRESCIDAS alíquotas de 12 %, 9 % ou 6% conforme a atividade exercida pelo segurado a serviço da empresa.
    Destaco ainda que está é a regra, mas em outros casos, como no citado na lei 9.317 e ainda quando a empresa que contrata cooperativa de trabalho para a execução de atividades que caracterizam a aposentadoria especial do segurado, as alíquotas são diferenciadas (9%, 7% ou 5%), decreto (3048/99, art. 202, § 11), portanto não se pode considerar como correto o que foi tido como gabarito da referida questão.

    Por todo o exposto, não há como deixar de entender que a alternativa "A" não serve como gabarito.

    Nestes termos,
    Pede deferimento

    ResponderExcluir
  29. e a questão da apendicite nao precisa estar incapacitado pra qualquer trabalho ? a questão diz que é só pra atividade que habitualmente exercia... isso ai não da direito a apos. por invalidez

    ResponderExcluir
  30. Adoraria saber opinião do professor a cerca da qualidade da elaboração das questões de previdenciário neste certame.

    ResponderExcluir
  31. Professor, o senhor vai analisar a prova para Médico Perito? Não foi apenas a prova para técnico do seguro que foi mal formulada. A de perito estava péssima também.
    Grato pela atenção.

    ResponderExcluir
  32. Caderno de Prova B02 – Tipo 003
    Questão objeto do Recurso: 11

    Texto da questão: Considerando-se o contexto, o elemento grifado foi substituído de maneira INADEQUADA em:

    O gabarito considerou a letra “E” como a alternativa correta (oníricos/nebuloso). Contudo, apesar de concordar com a Banca Examinadora na inadequação destes termos, requer a ponderação de que quando considerado o contexto conforme explanado no enunciado da questão a alternativa “B” também seria inadequada, pois na frase “... foi uma era de sucessos sem precedentes... = inéditos“, embora ambos termos tenham o mesmo significado, a substituição traria prejuízo semântico à frase por esta possuir gênero e número distintos do termo original

    Penso que estaria correta a substituição de “sem precedentes” por “inédita” e não “inéditos”, pois em minha interpretação o adjetivo se refere a “era” e não aos “sucessos”.

    Assim, requer a avaliação das ponderações apresentadas, de modo a promover a anulação de gabarito da questão por haver mais de uma alternativa correta.

    ResponderExcluir
  33. Caderno de Prova B02 – Tipo 003
    Questão objeto do Recurso: 48

    Texto da questão: Maria trabalhou de 02 de janeiro de 1990 até 02 de janeiro de 2005 como empregada em uma empresa, desligando-se do emprego para montar um salão de beleza. Apesar de ter passado a categoria de contribuinte individual, deixou de recolher contribuições para a previdência social durante dois anos, até fevereiro de 2007. Nessa situação, o período de graça de Maria é:

    A questão tem como tema o período de graça da segurada. O gabarito considerou a letra “B” como a alternativa correta (24 meses). Apesar da compreensão inicialmente estabelecida por esta Banca Examinadora, requer a ponderação de que o tempo verbal em que se faz o questionamento “... o período de graça de Maria é...” dá ao candidato mais atento a falsa noção de que está sendo considerado o período a contar de 2007 em diante. Penso que para um entendimento mais claro o verbo deveria estar no passado “... foi de...” ou “... era de...”. Contudo, mesmo que consideremos o período em que se desligou da empresa – 02/01/2005 – o Art. 15 da Lei 8.213 e seus Incisos apontam que mantém a qualidade de segurado, independentemente de contribuições, por até 12 meses após a cessação das contribuições, o segurado que deixar de exercer atividade remunerada abrangida pela Previdência Social (acrescidos de mais 12 meses para o segurado que já tiver pago mais 120 contribuições) o que não seria o caso de “Maria” que continuou exercendo atividade remunerada abrangida pela Previdência Social, não tendo direito a esses 24 meses de período de graça.
    Assim, requer a avaliação das ponderações apresentadas, de modo a promover a anulação de gabarito da questão.

    ResponderExcluir
  34. Recurso que enviei à FCC agora:

    Na questão 21, a resposta considerada correta foi a E: "universalizar o atendimento da população".

    Porém, o princípio da Universalidade da cobertura e do atendimento já foi explorado pela própria banca FCC na prova de Advogado - Nossa Caixa - 2011 com o sentido de que "a proteção social deve alcançar todos os EVENTOS cuja reparação seja premente, a fim de manter a subsistência de quem dela necessite", ou seja, refere-se à cobertura e atendimento dos EVENTOS e não da população!!! Sejam eles de doença, invalidez, morte e idade avançada, entre outros.

    Isto posto, não há alternativa correta entre as disponíveis na questão 21, fato que enseja a anulação desta.


    Nestes termos, peço deferimento.

    Grato,

    ResponderExcluir
  35. Você é O CARA!!!!

    Parabéns, professor!! Sua produção em tão pouco tempo foi realmente surpreendente!

    ResponderExcluir
  36. Ajudinha, professor e demais colegas:

    Na questao 45 - prova tipo 5: Justificação Administrativa só é necessária se o segurado especial não puder apresentar os documentos solicitados no artigo 106 da Lei 8.213/91, concordam?

    ResponderExcluir
  37. Galera, Segue a minuta do recurso da questão sobre a INTRANET. Se alguém achar que há algo faltante..ou algo mais...

    Divido em partes, pois, não há espaço:

    ResponderExcluir
  38. Princípio etiológico da demanda recursiva

    - Insubsistência lógico-analítica na análise da suposta veracidade na propositura da assertiva de número III quando confrontada conjuntamente com os dados percentuais GRÁFICOS, justificante obrigatório e vinculado do comando diretivo da questão.

    Justificativas e pleito:

    Inicialmente, repito o enunciado central, imprescindível, para a conclusão correta da questão proposta:

    “Considerando rede de computadores e com base no gráfico, analise: (grifo meu)

    I-...
    II-...
    III-“Com as intranets, a comunicação interna nas empresas ganha mais agilidade, dinamismo, integra e aproxima seus colaboradores, independente da localização de cada um. Agiliza a disseminação de informações, visando a integração inter e intra-departamental.”
    IV-...
    .
    O referido “gráfico”, citado no enunciado da questão, é apresentado na forma de barras, e para melhor entendimento da exegese da questão, tomo a liberdade de desmembrá-lo, especificamente no caso em que se verifica a tendência “involutiva” da intranet no decurso do tempo e os respectivos percentuais de utilização: -

    PROPORÇÃO DE EMPRESA COM REDE – LAN, INTRANET E EXTRANET (%):

    INTRANET - Em 2007 (37%); Em 2008 (32%); Em 2009(18%).

    Inicialmente, faz-se necessário um estudo mais detalhado de todos os verbos-núcleo presentes na assertiva citada acima:

    III-“Com as intranets, a comunicação interna nas empresas ganha mais agilidade(1), dinamismo(2), integra(3) e aproxima(4) seus colaboradores, independente da localização de cada um. Agiliza a disseminação(5) de informações, visando a integração inter e intra-departamental.”
    IV-...

    (1)- agilidade, subst. derivado do verbo-núcleo agilizar. Def(s): Tornar(-se) ágil. Adestrar.

    (2)- dinamismo subst. derivado verbo-núcleo dinamizar. Def(s): Dar caráter dinâmico a. Insuflar dinamismo, energia a: Dinamizar uma equipe.

    (3)- integra, subst. derivado do verbo-núcleo integrar. Def(s): Tornar(-se) parte de um conjunto ou de um grupo. = INCLUIR, INCORPORAR Adaptar(-se), combinar(-se).

    (4)- aproxima, flexão do infinitivo verbo-núcleo aproximar. Def(s): Trazer para mais perto. ≠ AFASTAR, DESAPROXIMAR. Apressar. Pôr em paralelo, comparar... Acercar-se. Ter uma certa parecença.. Diminuir a tensão (das relações).
    (5)- disseminação, flexão do infinitivo do verbo-núcleo disseminar. Def(s): Espalhar, derramar, espargir. [Figurado] Difundir, vulgarizar.
    .fonte:(www.priberam.pt)

    Com isso torna-se despicienda mais informações quando o sentido de todos os verbos núcleos destacados acima apontam de forma inequívoca para o conceito de AMPLIAÇÃO e todos seus congêneres.

    Continuo dizendo que fica claro e óbvio, que através dos mesmos, E EM CONJUNÇÃO COM O SUJEITO ATIVO - “... COMUNICAÇÃO INTERNA..” (ATRAVÉS DO USO DA INTRANET) DE QUE A ÚNICA INTENÇÃO DA INFORMAÇÃO ACENA PARA O CONCEITO DE AMPLIAÇÃO ou AMPLITUDE em suas INDUBITÁVEIS CONCEPÇÕES SEMÃNTICAS. Vide definições em (1), (2), (3), (4) e (5)

    O ERRO INTRANSPONÍVEL DA ASSERTIVA FICA CARACTERIZADO NO INSTANTE EM QUE ELA É CONFRONTADA COM OS DADOS PERCENTUAIS DO GRÁFICO. Vale ressaltar novamente A DIRETRIZ LÓGICA OU O COMANDO CHAVE DA QUESTÃO: “...“Considerando rede de computadores e COM BASE NO GRÁFICO, analise:..”
    Vale relembrar novamente os dados gráficos para a definitiva elucidação da questão:

    PROPORÇÃO DE EMPRESA COM REDE – LAN, INTRANET E EXTRANET (%)

    INTRANET - Em 2007 (37%); Em 2008 (32%); Em 2009(18%).

    O QUE TEMOS ACIMA É QUE A INFORMAÇÃO APONTA INEQUIVOCAMENTE, AGORA, PARA A DIMINUIÇÃO OU ARREFECIMENTO DO PERCENTUAL DO USO DO MECANISMO DE COMUNICAÇÃO CITADO, NO CASO, A UTILIZAÇÃO DA FORMA “INTRANET”.

    A diminuição é tão evidente e latente que durante o transcorrer de apenas 2 (dois) anos, o arrefecimento ou a diminuição do uso citado atingiu a marca de inquestionáveis 48 pontos percentuais no período.

    ResponderExcluir
  39. Pergunta: Como resolver conflito inerente entre os conceitos enunciados, ou seja, entre a alternativa escrita e os dados gráficos, considerando, respectivamente “ampliação” versus “diminuição”??

    Resposta: Não há. O antagonismo conceitual entre as informações propostas é insuperável.

    Pergunta: Como considerar a alternativa de numero III, citada acima, como sendo CORRETA, se o antagonismo comparativo lógico-conceitual é insuperável?

    Resposta: Impossível. A única possibilidade lógica é a constatação que a assertiva de número III, QUANDO AMPARADA PELOS DADOS GÁFICOS, É INQUESTIONAVELMENTE INCORRETA.

    Diante do descrito acima, requeiro na forma do Edital nº1 MPS/INSS em seu artigo XI, número 1, alínea “c”:

    1- A ALTERAÇÃO DO GABARITO PROVISÓRIO DA QUESTÃO DE NUMERO 20 DO CADERNO TIPO II.

    2- A ADOÇÃO EM CARATER DEFINITIVO DA LETRA “D” COMO A ALTERNATIVA CORRETA DA QUESTÃO EM ANÁLISE, EM SUBSTITUIÇÃO Á INICIALMENTE INFORMADA EM GABARITO PROVISÓRIO.

    3- O PROVIMENTO INTEGRAL DO RECURSO.

    ResponderExcluir
  40. Galera..tá ai o meu recurso..

    Recursarei tambem a do MEI e a do aux.reclusão..


    Se tiver algo faltante..diga aí..

    ResponderExcluir
  41. Prof Hugo na questão do auxílio-reclusão tem outra alternativa q também está correta, na qual afirma que Lídia não terá direito a receber auxílio-reclusão. Logo a questão possui duas respostas, devendo ser anulada. Galera q errou dê uma olhada, ou eu tô ficando louco. Não tem lógica, se a alternativa certa diz q nenhum dependente terá direito a receber, e a outra fala q Lídia não terá direito tbm tá certo, é anulação nela

    ResponderExcluir
  42. Prof Hugo na questão do auxílio-reclusão tem outra alternativa q também está correta, na qual afirma que Lídia não terá direito a receber auxílio-reclusão. Logo a questão possui duas respostas, devendo ser anulada. Galera q errou dê uma olhada, ou eu tô ficando louco. Não tem lógica, se a alternativa certa diz q nenhum dependente terá direito a receber, e a outra fala q Lídia não terá direito tbm tá certo, é anulação nela

    ResponderExcluir
  43. QUESTÃO DE J.A. - MEU RECURSO

    Baseado no enunciado da questão, José pretende aposentar-se por idade. Conforme o art. 48 da Lei 8213/91 temos que:

    Art. 48. A aposentadoria por idade será devida ao segurado que, cumprida a carência exigida nesta Lei, completar 65 (sessenta e cinco) anos de idade, se homem, e 60 (sessenta), se mulher. (Redação dada pela Lei nº 9.032, de 1995)

    § 1o Os limites fixados no caput são reduzidos para sessenta e cinqüenta e cinco anos no caso de trabalhadores rurais, respectivamente homens e mulheres, referidos na alínea a do inciso I, na alínea g do inciso V e nos incisos VI e VII do art. 11. (Redação dada pela Lei nº 9.876, de 1999)

    § 2o Para os efeitos do disposto no § 1o deste artigo, o trabalhador rural deve comprovar o efetivo exercício de atividade rural, ainda que de forma descontínua, no período imediatamente anterior ao requerimento do benefício, por tempo igual ao número de meses de contribuição correspondente à carência do benefício pretendido, computado o período a que se referem os incisos III a VIII do § 9o do art. 11 desta Lei. (Redação dada pela Lei nº 11,718, de 2008)

    De acordo com o dispositivo acima, para que José aposente-se por idade deverá comprovar o efetivo exercício rural, ainda que de forma descontínua, no período imediatamente anterior ao requerimento do benefício, por tempo igual ao número de meses de contribuição correspondente à carência do benefício pretendido.

    Conforme o art. 62 do Decreto 3.048/99, essa comprovação deverá ser realizada “mediante documentos que comprovem o exercício de atividade nos períodos a serem contados”, transcrito abaixo:

    Art. 62. A prova de tempo de serviço, considerado tempo de contribuição na forma do art. 60, observado o disposto no art. 19 e, no que couber, as peculiaridades do segurado de que tratam as alíneas "j" e "l" do inciso V do caput do art. 9º e do art. 11, é feita mediante documentos que comprovem o exercício de atividade nos períodos a serem contados, devendo esses documentos ser contemporâneos dos fatos a comprovar e mencionar as datas de início e término e, quando se tratar de trabalhador avulso, a duração do trabalho e a condição em que foi prestado.(Redação dada pelo Decreto nº 4.079, de 2002)

    Os documentos referidos são mencionados no § 2º do próprio art. 62 do Decreto 3.048/99 e no art. 106 da Lei 8.213/91, abaixo transcrito:

    ResponderExcluir
  44. Art. 106. A comprovação do exercício de atividade rural será feita, alternativamente, por meio de: (Redação dada pela Lei nº 11.718, de 2008)

    I – contrato individual de trabalho ou Carteira de Trabalho e Previdência Social; (Redação dada pela Lei nº 11.718, de 2008)
    II – contrato de arrendamento, parceria ou comodato rural; (Redação dada pela Lei nº 11.718, de 2008)
    III – declaração fundamentada de sindicato que represente o trabalhador rural ou, quando for o caso, de sindicato ou colônia de pescadores, desde que homologada pelo Instituto Nacional do Seguro Social – INSS; (Redação dada pela Lei nº 11.718, de 2008)
    IV – comprovante de cadastro do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária – INCRA, no caso de produtores em regime de economia familiar; (Redação dada pela Lei nº 11.718, de 2008)
    V – bloco de notas do produtor rural; (Redação dada pela Lei nº 11.718, de 2008)
    VI – notas fiscais de entrada de mercadorias, de que trata o § 7o do art. 30 da Lei no 8.212, de 24 de julho de 1991, emitidas pela empresa adquirente da produção, com indicação do nome do segurado como vendedor; (Incluído pela Lei nº 11.718, de 2008)
    VII – documentos fiscais relativos a entrega de produção rural à cooperativa agrícola, entreposto de pescado ou outros, com indicação do segurado como vendedor ou consignante; (Incluído pela Lei nº 11.718, de 2008)
    VIII – comprovantes de recolhimento de contribuição à Previdência Social decorrentes da comercialização da produção; (Incluído pela Lei nº 11.718, de 2008)
    IX – cópia da declaração de imposto de renda, com indicação de renda proveniente da comercialização de produção rural; ou (Incluído pela Lei nº 11.718, de 2008)
    X – licença de ocupação ou permissão outorgada pelo Incra. (Incluído pela Lei nº 11.718, de 2008)

    ResponderExcluir
  45. De maneira alguma poderíamos considerar que para José aposentar-se por idade ele deve, ou seja, se obriga a “requerer o processamento de justificação administrativa, acompanhada de início de prova material”, sendo suficiente, conforme ficou evidenciado acima, a apresentação de documentos que comprovem o exercício de atividade rural, ainda que de forma descontínua, no período imediatamente anterior ao requerimento do benefício, por tempo igual ao número de meses de contribuição correspondente à carência do benefício pretendido.

    Ao considerarmos que para José aposentar-se por idade deve “requerer o processamento de justificação administrativa, acompanhada de início de prova material” implicaríamos no reconhecimento da Justificação Administrativa como processo autônomo, o que é vedado pelo § 2º do art. 142 do Decreto 3.048/99:

    § 2º O processo de justificação administrativa é parte de processo antecedente, vedada sua tramitação na condição de processo autônomo.

    Observamos que para José requerer o processamento de uma justificação administrativa deveria ter ocorrido um ato antecedente, o que não ocorreu.

    Para sanar qualquer dúvida por ventura ainda existente, o § 1º do art. 600 da Instrução Normativa INSS/PRES Nº 45, de modo irrefutável, deixa claro que somente caso os documentos apresentados não sejam suficientes é que poderá ser protocolado uma Justificação Administrativa:

    Art. 600 Para a comprovação de atividade rural em qualquer categoria, caso os documentos apresentados não sejam suficientes, por si só, para a prova pretendida, mas se constituam como início de prova material, a pedido do interessado, poderá ser processada JÁ.

    Diante do que foi exposto, constata-se que não há assertiva correta para esta questão. Rogo, consequentemente, por sua anulação.

    ResponderExcluir
  46. recurso em 6 questoes... tudo bem esclarecido.. coisa mais linda rsrsrs


    tem que anular estas questoes safadas , tudo errado

    ResponderExcluir
  47. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  48. E quem concorda com essa?

    A questão 27, que fala sobre interpretação da legislação previdenciária não possui embasamento no edital, pois aborda assunto DOUTRINÁRIO do qual não foi especificada fonte para estudo.

    Tendo em vista que a banca incorreu em vício de legalidade ao exigir disciplina alheia ao edital, venho requerer anulação desta questão.

    Nestes termos, peço deferimento.



    Por curiosidade, alguém sabe de onde foi extraído o tal conceito? Estudei lei seca e vídeos de vários professores, sendo que nenhum deles abordou esse assunto.

    ResponderExcluir
  49. OBRIGADO HUGO GOES!!!

    OBRIGADO POR TODAS AS QUESTÕES POSTADAS AQUI NO SITE;

    OBRIGADO PELAS ATUALIZAÇÕES DO MANUAL DE DIREITO PREVIDENCIARIO;

    OBRIGADO POR TODAS INFORMAÇÕES POSTADAS AQUI NO BLOG;

    OBRIGADO POR ESSES RECURSOS;

    OBRIGADO POR ESTAR SEMPRE AO NOSSO LADO.

    É BOM SABER QUE EXISTEM PESSOAS BOAS COMO VOCÊ NESTE MUNDO.

    QUE DEUS ABENÇÕE A TODOS NÓS E ESPECIALMENTE O SENHOR PROFESSOR.

    ResponderExcluir
  50. Pessoal, ajuda aí, na questão que fala da procuração coletiva de representante de asilo, a qual foi considerada correta, essa questão cabe recurso? Pois está incompleta, o certo seria: "representante credenciado", de acordo com IN 45, art.395 § 1º; se não sub-entende qualquer representante.

    Art. 395 § 1º, da IN 45, aduz que:

    "§ 1º Para fins de recebimento de benefício, somente será aceita a constituição de procurador com mais de uma procuração ou procurações coletivas, nos casos de representantes credenciados de leprosários, sanatórios, asilos e outros estabelecimentos congêneres ou nos casos de parentes de primeiro grau".

    ResponderExcluir
  51. A do auxílio-reclusão não tem resposta certa. Só msm forçando a barra pq o auxílio-doença impede o recebimento simultâneo com o reclusão.
    Hipótese 1: Não é certa a resposta da fcc pq José pode ficar recebendo o auxílio-doença até a fuga. Logo não será devido aos dependentes.
    Hipótese 2: Parte do recurso da prof. diz que nenhum dependente poderá receber, mas se cessa o aux-doença, durante o tempo na prisão, todos poderão receber, ou se a Lídia já tiver se separado, só os filhos receberão.
    Obrigado professor por fornecer alguns argumentos pro meu recurso do "MEI".

    ResponderExcluir
  52. GENTE OLHA O QUE UM DOS MELHORES PROFESSORES DE INFORMATICA DAQUI DE FORTALEZA ESCREVEU:


    Olá Pessoal,
    Gostaria de informar que cabe recurso em duas questões de Informática da prova do INSS. Estou com a prova Tipo 1. Neste caso, as questões de número 19 e 20. A questão 19 trata de assuntos como: Topologia de rede estrela, cabos par trançado e Switch. Todos esses assuntos são tópicos referentes a conceitos básicos de Rede de Computadores que não consta no Edital. Na questão 20, é basicamente a mesma coisa, entre os seus itens são cobrados itens referentes ao padrão Ethernet que se trata de uma arquitetura de rede para ser utilizada em redes locais (LAN) e não na Internet, portanto, também envolve conceitos de Redes de computadores. Na minha opinião, poderia ser cobrados apenas itens referentes a Internet e Intranet que o edital é muito claro. Porém, em nenhum momento o edital faz referência a Redes locais, Topologias e Arquiteturas de rede, mesmo que esses assuntos sejam cobrados juntos de conceitos de Internet e Intranet que constam no edital, mas uma coisa não tem nada a ver com a outra. Para concluir, está em andamento o concurso do ISS-SP que também será realizado pela FCC, porém, o programa de informática cobrado no edital é: 1. Microsoft Windows – funções e características. 2. Pacote Microsoft Office: Microsoft Word, Microsoft Excel, Microsoft PowerPoint – funções, características e aplicações. 3. Componentes básicos de hardware dos computadores, periféricos, dispositivos de entrada, saída e armazenamento de dados – funções e características. 4. Conceitos de Intranet, Internet e Correio Eletrônico – funções e aplicações. 5. Conceitos básicos de segurança da informação, sistemas antivírus, sistemas de backup, criptografia (simétrica e assimétrica), PKI (infraestrutura de chaves públicas) - assinatura digital, autenticação. 6. Conceitos básicos de rede, componentes, topologias, estação e servidor, LAN e WAN.
    Observe que no tópico 4 a FCC cita que serão cobrados conceitos de Internet e Intranet e no tópico 6 que serão cobrados Conceitos básicos de rede, componentes, topologias, estação e servidor, LAN e WAN. Ou seja, no edital do INSS a FCC não aborda conceitos de rede, sendo assim, cabe recurso para as questões 19 e 20 da prova tipo 1.
    Abraços a todos,

    Rafael Araújo.

    ResponderExcluir
  53. professor, obrigado por tudo. voc nao sabe o quanto tem nos ajudado. so se a fcc for muito intransigente em nao acatar esses recursos.dessas quatro eu errei tres. se pelo menos duas eu ganhasse ficaria com 53 pontos.

    ResponderExcluir
  54. Boa noite Professor,
    Agradeço sua atenção e empenho, sou sua aluna no espaço jurídico, como tinha poucos meses pra estudar, fiquei em cima dos livros, das suas aulas e fazia todos os exercícios, por isso não postava no seu blog!
    Agora de tanto que gostei de previdenciário, pretendo fazer pra analista o senhor já tem previsão de algum módulo de previdenciário nesse sentido?

    ResponderExcluir
  55. Das 4, apenas 3 cabem recurso. Creio que a do MEI não cabe recurso. Pode até caber, mas não está tão ruim quanto as outras questões.

    ResponderExcluir
  56. BRUNO MACEIO.
    VEJO POSSIBILIDADE DE RECURSO PARA QUESTÃO 27 GAB. TIPO 3
    NO TOCANTE A PREVIDENCIA SOCIAL, É CORETO AFIRMAR:
    RESPOSTA FCC LETRA A) CONTRIBUTIVA DE CARATER OBRIGATORIO.
    RECURSO:
    Conforme o Art.201 da Constituição Federal redação dada pela EC Nº 20/98:
    “Art. 201. A previdência social será organizada sob a forma de regime geral, de caráter contributivo e de filiação obrigatória, observando critérios que preservem o equilíbrio financeiro e atuarial, e atenderá nos termos da Lei, a:...”
    Sendo assim não há de se falar de caráter obrigatório mais sim de filiação obrigatória, tornando a alternativa de letra “A” conforme gabarito tipo 3 da FCC, errada, não restando alternativa, pede-se anulação da questão.
    No que se refere o enunciado da questão, onde expõe o termo: “no tocante à Previdência Social...” o exposto acima se fundamenta ainda mais pelo fato do enunciado da questão ser amplo ou até vago o seu entendimento, pois podemos nos referir ao artigo 201 da constituição federal de que trata das garantias da previdência ou até mesmo do regime de previdência social lei 8.213/91 artigo 9°, I, II. O RGPS é regido pela lei n° 8.213/91, intitulada “Plano de Benefícios da Previdência Social”, sendo de filiação compulsória e automática para os segurados obrigatórios, permitindo ainda, que pessoas que não estejam enquadradas como obrigatórias e não tenham regime próprio de previdência, se inscrevam como segurados facultativos, passando a ser filiados ao RGPS.
    Filiação, de acordo com o artigo 20 do regime de previdência social decreto 3.048/99, “é o vinculo que se estabelece entre pessoas que contribuem para a previdência social e esta, do qual decorrem direitos e obrigações”.
    Os direitos estão relacionados ao recebimento das prestações previdenciárias, quando da ocorrência de algum evento que seja considerado por lei como pressuposto para sua concessão, e a obrigação esta relacionada à contribuição para o financiamento do sistema.
    A lei distingue dois momentos: filiação e inscrição.
    Para os segurados facultativos a filiação e a inscrição são simultâneas, afinal, o vinculo deste tipo de segurado só ocorre a partir da inscrição e do recolhimento da primeira contribuição.
    Já os segurados obrigatórios, via de regra, os dois momentos podem não ser coincidentes, pois o segurado na condição de empregado é obrigatoriamente vinculado ao RGPS, sendo sujeito de direitos e obrigações, mesmo que a empresa não tenha efetuado sua inscrição, nem recolhido sua contribuição, caso do auxílio-doença acidentário.
    Sendo assim, fica fundamentada a anulação da questão por falta de especificidade no que se refere à previdência social, exigida pela própria legislação expostas como argumentos acima.

    ResponderExcluir
  57. ESSA PROVA ESTA MJUITO POLEMICA. NUNCA VI TANTA RECLAMAÇAO, PRINCIPALMENTE EM RELAÇAO A ESSAS QUESTOES MAL FORMULADAS. ESTA É PROVA DE INCOPETENCIA DA FCC.

    ResponderExcluir
  58. GESTÃO: Assinada resolução que amplia atendimento nas APS
    Medida entrará em vigor dia 1º de março
    15/02/2012 - 19:28:00
    Da Redação (Brasília) – “Não estamos apenas proporcionando aos servidores do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) melhores condições de trabalho, mas, sobretudo, essa medida que estamos adotando vai permitir uma melhoria no atendimento aos segurados”. A avaliação foi feita pelo ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves Filho, instantes após a assinatura da resolução que amplia o funcionamento das agências do INSS e reduz a jornada de trabalho de servidores do Instituto.
    O documento, assinado no auditório do Ministério, começará a produzir efeitos no primeiro dia de março. A partir daquela data, mais de 650 Agências da Previdência Social (APS) passarão a funcionar das 7h às 19h, ininterruptamente. A decisão faz parte de um acordo fechado entre o INSS e representações de servidores, que modifica a carga horária do pessoal que lida diretamente com o atendimento ao público. Ao invés de trabalharem oito horas intercaladas, os servidores do INSS trabalharão seis horas corridas, reduzindo a carga horária para 30 horas semanais. (Ascom/MPS)

    Com certeza muitas gerências irão chmara mais candidatos , pois imaginem comigo tem 03 funcionários hj para atender o publico em 08 h de serviço , a partir de março terá que ter no minimo 06 funcionarios 03 periodo da manha e 03 periodo tarde , se DEUS quiser chamarão bem mais ...........

    ResponderExcluir
  59. Prof Hugo Goes, se ta de brincadeira dizendo que a questão do apendicite não deve ser anulada.

    Então quer dizer que pode ser aposentado por invalidez, uma pessoa que sofra de apendicite!! mesmo não tendo direito a auxilio doença, pode se aposentar...

    não to entendendo mais nada!!

    ResponderExcluir
  60. Somente será admitido o processamento de justificação administrativa na hipótese de ficar EVIDENCIADA a inexistência de outro meio capaz de configurar a verdade do fato alegado, e o início de prova material apresentado levar à convicção do que se pretende comprovar.

    OLHA O RECURSO:....De acordo com a questão: José excerceu atividade rural em regime de parceria com João, não tinha empregados, contava com a ajuda de seus familiares para o cultivo de subsistência e pretende aposentar-se por idade, em 2011, no valor mínimo, nessa situação, José deve...
    Para a concessão da Aposentadoria por Idade Rural a José, a banca observa como resposta a alternativa “A”, que indica o processamento da Justificação Administrativa seguida de prova documental como suficiente para a concessão do benefício. Contudo, a realidade é totalmente contrária à resposta tida como correta se observamos o que nos traz a Lei 8213/91 e o Decreto 3048/99, a justificação administrativa é considerada exceção à regra e, deve ser utilizada, quando esgotadas as possibilidades prevista em lista exemplificativa do INSS para se provar a plena condição para recebimento do referido benefício. Analisemos o Decreto 3048/99 em seu artigo 151:
    Art.151. Somente será admitido o processamento de justificação administrativa na hipótese de ficar evidenciada a inexistência de outro meio capaz de configurar a verdade do fato alegado, e o início de prova material apresentado levar à convicção do que se pretende comprovar.
    Não obstante a esta evidente constatação, o próprio Instituto Nacional do Seguro Social, apresenta uma lista de documentos válidos que podem ser apresentados para a habilitação do benefício, cito alguns, cuja íntegra pode ser conferida no site: http://www.previdencia.gov.br/conteudoDinamico.php?id=672.

    Documentos de Comprovação do Exercício de Atividade Rural (cópia e original):
    • Contrato de arrendamento, parceria ou comodato rural;
    • Comprovante de cadastro do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária - INCRA;
    • Bloco de notas do produtor rural;
    • Notas fiscais de entrada de mercadorias, de que trata o § 24 do art. 225 do RPS, emitidas pela empresa adquirente da produção, com indicação do nome do segurado como vendedor;
    • Documentos fiscais relativos a entrega de produção rural à cooperativa agrícola, entreposto de pescado ou outros, com indicação do segurado como vendedor ou consignante;
    • Comprovantes de recolhimento de contribuição à Previdência Social decorrentes da comercialização da produção;
    • Cópia da declaração de imposto de renda, com indicação de renda proveniente da comercialização de produção rural; ou
    Licença de ocupação ou permissão outorgada pelo INCRA.
    • Certidão fornecida pela Fundação Nacional do Índio - FUNAI, certificando a condição do índio como trabalhador rural, desde que homologada pelo INSS etc.

    Evidenciada, a correta forma de apresentação de provas para a Aposentadoria por Idade Rural, solicito a anulação da referida questão

    ResponderExcluir
  61. PESSOAL,
    E AS QUESTÕES DE CONHEC. GERAIS, ALÉM DAS DE INFORMÁTICA ALGUÉM SABE DE MAIS ALGUMA?
    O TEMPO PRÁ RECURSO TERMINA HOJE.

    ResponderExcluir
  62. pelo a amor de deus anula alguma que eu tenfa errado por que ate agora vc so vai anula as que eu acertei e deixar meus concorrentes mais proximos da minha pontuacao..

    ResponderExcluir
  63. Muito obrigado, professor!
    Respondi na prova essa do João pedreiro e do Auxílio Reclusão, convicto da fundamentação legal.. Entrei com recurso nessas duas e dependo destes dois pontinhos pra possivelmente ajudar na possível aprovação!

    ResponderExcluir
  64. luhiza
    aque que falava dos dois cargos da a entender que alem de dois cargos de professor ainda mais um tecnico ou sientifico,pois diz assim o gabarito,na hipotese de serem dois cargos de professor com outro cientifico ou tecnico.

    ResponderExcluir
  65. Professor Hugo,
    a questão nº 60 da prova tipo 1 também deve ser anulada.
    60) José trabalhou como empregado na empresa São João Ltda., no período de 01/09/2004 a 01/09/2007, quando pediu demissão do emprego. Voltou a trabalhar em julho de 2010 e no terceiro mês de trabalho, outubro de 2010, foi acometido de apendicite que o impedia de exercer suas atividades habituais. Nessa situação, José

    a) Terá direito ao auxílio-doença.
    b) Terá direito à aposentadoria por invalidez.
    c) Terá direito ao auxílio-acidente.
    d) Não terá direito à aposentadoria por invalidez.
    e) Não terá direito ao auxílio-doença.

    Nesta questão, é verdade que ele não terá direito ao auxílio-doença (alternativa E, conforme gabarito). Porém, também é verdade a alternativa D, visto que nesta situação de maneira alguma ele teria direito a aposentadoria por invalidez.

    Poderia comentá-la ?
    Obrigado!

    ResponderExcluir
  66. Professor Hugo ... gostaria muito da mudança na questão do auxilio reclusão e estou a formar meu recurso , entretanto não concordei com seu primeiro argumento:
    Se José foi segurado até janeiro de 2011, recebendo auxilio doença ... ele não mantém a graça por 12 meses depois do fim do rebecimento de qualquer auxilio por incapacidade ?

    ResponderExcluir
  67. gente é o prof hugo que vai interpor esses recursos ou ele está fundamentando para a gente interpor?

    Abs

    ResponderExcluir
  68. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  69. A FCC tentou inovar e fugir do título "Copia e Cola" e acabou fazendo muita bobagem. Antes tivesse mantido a literalidade nas leis... Como resultado da "inovação", muitos foram prejudicados por estas questões mal formuladas.

    ResponderExcluir
  70. RECURSO JUSTIFICAÇÃO ADMINISTRATIVA

    Somente será admitido o processamento de justificação administrativa na hipótese de ficar EVIDENCIADA a inexistência de outro meio capaz de configurar a verdade do fato alegado, e o início de prova material apresentado levar à convicção do que se pretende comprovar.

    OLHA O RECURSO:....De acordo com a questão: José excerceu atividade rural em regime de parceria com João, não tinha empregados, contava com a ajuda de seus familiares para o cultivo de subsistência e pretende aposentar-se por idade, em 2011, no valor mínimo, nessa situação, José deve...
    Para a concessão da Aposentadoria por Idade Rural a José, a banca observa como resposta a alternativa “A”, que indica o processamento da Justificação Administrativa seguida de prova documental como suficiente para a concessão do benefício. Contudo, a realidade é totalmente contrária à resposta tida como correta se observamos o que nos traz a Lei 8213/91 e o Decreto 3048/99, a justificação administrativa é considerada exceção à regra e, deve ser utilizada, quando esgotadas as possibilidades prevista em lista exemplificativa do INSS para se provar a plena condição para recebimento do referido benefício. Analisemos o Decreto 3048/99 em seu artigo 151:
    Art.151. Somente será admitido o processamento de justificação administrativa na hipótese de ficar evidenciada a inexistência de outro meio capaz de configurar a verdade do fato alegado, e o início de prova material apresentado levar à convicção do que se pretende comprovar.
    Não obstante a esta evidente constatação, o próprio Instituto Nacional do Seguro Social, apresenta uma lista de documentos válidos que podem ser apresentados para a habilitação do benefício, cito alguns, cuja íntegra pode ser conferida no site: http://www.previdencia.gov.br/conteudoDinamico.php?id=672.

    Documentos de Comprovação do Exercício de Atividade Rural (cópia e original):
    • Contrato de arrendamento, parceria ou comodato rural;
    • Comprovante de cadastro do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária - INCRA;
    • Bloco de notas do produtor rural;
    • Notas fiscais de entrada de mercadorias, de que trata o § 24 do art. 225 do RPS, emitidas pela empresa adquirente da produção, com indicação do nome do segurado como vendedor;
    • Documentos fiscais relativos a entrega de produção rural à cooperativa agrícola, entreposto de pescado ou outros, com indicação do segurado como vendedor ou consignante;
    • Comprovantes de recolhimento de contribuição à Previdência Social decorrentes da comercialização da produção;
    • Cópia da declaração de imposto de renda, com indicação de renda proveniente da comercialização de produção rural; ou
    Licença de ocupação ou permissão outorgada pelo INCRA.
    • Certidão fornecida pela Fundação Nacional do Índio - FUNAI, certificando a condição do índio como trabalhador rural, desde que homologada pelo INSS etc.

    Evidenciada, a correta forma de apresentação de provas para a Aposentadoria por Idade Rural, solicito a anulação da referida questão

    ResponderExcluir
  71. Professor, dê uma olhada nesta questão


    56. Em relação ao auxílio-acidente, assinale a resposta INCORRETA.
    (A) Tem caráter indenizatório.
    (B) Cessa com o advento de qualquer aposentadoria.
    (C) Corresponde a 50% (cinquenta por cento) do salário de benefício.
    (D) Somente é devido após a consolidação das lesões decorrentes de acidente.
    (E) É devido se não houver a concessão do auxílio doença previamente.

    Gabarito antes dos recursos: E

    Conforme o § 2º do art. 104 do Decreto 3.048/99, “o auxílio acidente será devido a contar do dia seguinte ao da cessação do auxílio-doença...” Apesar de esta ser a regra, não há na legislação previdenciária, dispositivo que obrigue, e seja pré-requisito para a obtenção do auxílio-acidente, ter o segurado recebido auxílio-doença. Assim, não há nada que impeça o segurado não ter requerido auxílio-doença e requerer, posteriormente à sua incapacidade temporária, o auxílio-acidente.
    Ainda conforme o art. 20 da Lei 8213/91
    “Art. 20. Consideram-se acidente do trabalho, nos termos do artigo anterior, as seguintes entidades mórbidas:
    I - doença profissional, assim entendida a produzida ou desencadeada pelo exercício do trabalho peculiar a determinada atividade e constante da respectiva relação elaborada pelo Ministério do Trabalho e da Previdência Social;
    II - doença do trabalho, assim entendida a adquirida ou desencadeada em função de condições especiais em que o trabalho é realizado e com ele se relacione diretamente, constante da relação mencionada no inciso I.
    § 1º Não são consideradas como doença do trabalho:
    a) a doença degenerativa;
    b) a inerente a grupo etário;
    c) a que não produza incapacidade laborativa;
    d) a doença endêmica adquirida por segurado habitante de região em que ela se desenvolva, salvo comprovação de que é resultante de exposição ou contato direto determinado pela natureza do trabalho.”

    Portanto nota-se que apesar do nome Auxilio-acidente a este beneficio não é devido” Somente é devido após a consolidação das lesões decorrentes de acidente “ como diz a letra D, mas também de doença profissional e doenças do trabalho que não são ACIDENTE mas se equiparam a ACIDENTE DE TRABALHO e estes termos não se confundem no direito previdenciário e por isso considero este o gabarito correto para esta questão.


    Portanto, entendo que a questão é possível de recurso para alteração do gabarito da letra E para a letra D.

    ResponderExcluir
  72. Se o argumento para anular essa questão é o de que não informa se ela é filiada ao RGPS, a prova praticamente toda será anulada, pois quase todas as questões não falam se a pessoa era regularmente filiada ao RGPS. Estou na torcida para que nenhum recurso seja aceito.

    ResponderExcluir
  73. concordo com gilnoberto


    da mesma forma que não informou se Maria é filiada, na questão da apos por tp contrib proporcional não informou qual atividade Luciana exercia. E se ela exercesse atividade sob condições especiais, manteria a resposta? não. Portanto, muitas questões existem dados a serem revistos, mas não será por isso que serão anuladas.

    ResponderExcluir
  74. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  75. Concurseiro89 [Fortaleza/CE] e Ulysses também interpreto como vocês.
    Elaborei um recurso para a questão 45 prova Tipo 03 e gostaria que vocês, e toda galera do blog verificasse se estou correto:
    45. José exerceu atividade rural em regime de parceria com
    João, não tinha empregados, contava com a ajuda de
    seus familiares para o cultivo de subsistência e pretende
    aposentar-se por idade, em 2011, no valor mínimo. Nessa
    situação, José deve
    (A) comprovar o exercício de atividade rural no período
    de 36 meses que antecedem o requerimento do benefício.
    (B) comprovar o exercício de atividade rural por contrato
    de parceria firmado em 2011, por seu parceiro, João.
    (C) comprovar o exercício de atividade rural no período
    de 180 meses que antecedem o benefício, por prova
    testemunhal.
    (D) requerer o processamento de justificação administrativa,
    acompanhada de início de prova documental.
    (E) apresentar declaração de duas testemunhas com firma
    reconhecida em cartório.

    Conforme diz o § 4º do Artigo 62 do Decreto n°3048:
    § 4º Se o documento apresentado pelo segurado não atender ao estabelecido neste artigo, a prova exigida pode ser complementada por outros documentos que levem à convicção do fato a comprovar, inclusive mediante justificação administrativa, na forma do Capítulo VI deste Título.
    No entanto, antes do § 4º, o mesmo Artigo 62, em seu § 2o, Inciso II, alínea b, deixa bem claro que o contrato de parceria rural serve como prova de exercício de atividade rural, ou seja, atende ao estabelecido no Artigo 62:
    § 2o Subsidiariamente ao disposto no art. 19, servem para a prova do tempo de contribuição que trata o caput:
    ...
    II - de exercício de atividade rural, alternativamente:
    ...
    b) contrato de arrendamento, parceria ou comodato rural;
    ...
    Pois bem, se o enunciado da questão nos diz que José exerceu atividade rural em regime de parceria com João, logo José possui um contrato de parceria com João. O seu contrato de parceria já lhe serve de prova de exercício de atividade rural. Deste modo, e de acordo com o Artigo 151 do mesmo decreto, José não precisa requerer o processamento de justificação administrativa, conforme descrito na alternativa “D” que foi dada como gabarito.

    Art. 151. Somente será admitido o processamento de justificação administrativa na hipótese de ficar evidenciada a inexistência de outro meio capaz de configurar a verdade do fato alegado, e o início de prova material apresentado levar à convicção do que se pretende comprovar.

    ResponderExcluir
  76. Por favor, analisem o meu recurso e me respondam se estou correto ou não.

    ResponderExcluir
  77. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  78. No que concerne à questão do auxílio-doença/auxílio-reclusão, a alternativa dada como certa relata um direito e não um fato acontecido. Aos dependentes do segurado de baixa renda é devido auxílio-reclusão da data do recolhimento à prisão até sua libertação.

    Obviamente que existe restrições ao recebimento como em caso de fuga ou de percepção de outro benefício. Mas restrição não é extinção de direito e sim um impedimento.

    ResponderExcluir
  79. Hugo, nao cabe recurso nessa questão:

    José trabalhou como empregado na empresa São João Ltda., no período de 01/09/2004 a 01/09/2007, quando pediu demissão do emprego. Voltou a trabalhar em julho de 2010, e no terceiro mês de trabalho, outubro de 2010, foi acometido de apendicite que o impedia de exercer suas atividades habituais. Nessa situação, José

    a) não terá direito ao auxílio-doença.
    b) terá direito ao auxílio-doença.
    c) terá direito à aposentadoria por invalidez.
    d) terá direito à aposentadoria por invalidez.
    e) não terá direito à aposentadoria por invalidez

    A resposta é letra E porque apendicite é uma doença que incapacita momentaneamente, só teria direito a aposentadoria por invalidez se restasse definitivamente incapacitado.
    Neste caso o gabarito deu letra A, e eu marquei letra E, ou seja, minha argumentação é, ele não pode se aposentar por invalidez por ter sido acometido por apendicite, que o impedia de exercer atividades habituais, pois não foi impedido permanentemente do trabalho. E mesmo o prazo de carencia de 3 meses nao o deixa aposentar por invalidez pois apendicite nao esta na lista das doenças e nao foi acidentario.

    ResponderExcluir
  80. Entrei com recurso naquela da apendicite(58, gabarito tipo 2), que tem duas alternativas corretas, já que não foi fator acidentário e o individuo não possuia carência(já havia perdido o período de graça) para ganhar auxílio-acidente(a) e aposentadoria por invalidez(e).
    O enunciado também tava confuso, pois dizia que ele tinha 3 meses de contribuição e dava margem para 4(jul, ago, set e out). De qualquer forma deveria ser anulada!

    ResponderExcluir
  81. o galera "pra quem errou aquela questão de direito administrativo que trata da extinção ddos contratos de concessão"... Cabe recurso no seguinte: Como o título da questão contempla o assunto relativo a “contratos”(artigo 54 e seguintes da lei 8.666/93) e tal termo não se encontra no edital, conclui-se que a questão aborda conteúdo que esta fora da programação divulgada no edital do concurso". Galera pra quem errou vamos mandar recurso..... Mais informações sobre essa questão no site : http://www.equipealfaconcursos.com.br/blog/

    ResponderExcluir
  82. Os enunciados estavam realmente incompletos...tinha que advinhar o que a banca queria... acertei as 4, mas acho justo anula-lás.

    ResponderExcluir
  83. Fernando, vc entrará com recurso quanto a questão da empregada que passou a ser cabeleireira, pois tb penso da mesma forma. Não há como falar em período de graça, sendo que a lei é taxativa ao apontar que é para o segurado que DEIXA de exercer atividade remunerada. Eu marquei a letra de 12 meses, já que não havia outra opção.
    Caso vc entre com recurso, poderia me dizer qual fundamentação usará para que eu possa fazê-lo tb!
    Obrigada!

    ResponderExcluir
  84. Eu ainda estou tentando entender o porquê do Professor Hugo não considerar a questão da apendicite (questão 60, tipo 1) anulável. E não me refiro nem ao teor da questão em si, que contém um erro grave, mas sim ao fato das alternativas serem excludentes. Uma alternativa diz que o segurado tem direito ao auxílio-doença e outra diz que não tem; consequentemente uma delas tem que ser verdadeira. Isso é raciocínio lógico. O mesmo acontece com as alternativas referentes à aposentadoria por invalidez, o que faz com que obrigatoriamente existam 2 alternativas corretas.

    ResponderExcluir
  85. joaopedefeijao,
    Essa questão merece recurso, pelo simples fato q ele cumpriu carência, 1/3, julho, agosto, setembro e outubro. Embora ele tenha trabalhado 3 meses, basta q trabalhe 1 dia do mês de outubro p q conte como mês inteiro...
    julho a agosto=1 mês trabalhado,
    agosto a setembro= 2 meses trabalhados,
    setembro a outubro= 3 meses trabalhados.E
    CARÊNCIA:
    julho, agosto, setembro e outubro.
    Equivale a 4 meses...
    Portanto ele tem direito a auxílio-doença.
    5.3. Carência:
    Art. 24, Lei 8.213/91. “Período de carência é o número mínimo de contribuições mensais indispensáveis para
    que o beneficiário faça jus ao benefício, consideradas a partir do transcurso do primeiro dia dos meses de suas
    competências.”
    Como vcs mesmos podem ver na lei é taxativa CONSIDERADAS A PARTIR DO TRANSCURSO DO PRIMEIRO DIA DOS MESES DE SUAS COMPETÊNCIAS.
    No caso da questão basta 1 dia de outubro p termos os 4 meses.
    Espero ter ajudado...
    Abs.
    Liz:)

    ResponderExcluir
  86. FUNDAMENTAÇÕES DO FÁBIO ZAMBITTE:


    Prova Tipo 4

    21 – E (art. 194, parágrafo único, CF/88).

    22 – A (art. 201, caput, CF/88).

    23 – C (art. 9º, VII, RPS).

    24 – E (art. 195, I, a, CF/88).

    25 – C (Lei nº 8.029/90).

    26 – D

    27 – E (art. 4º, Decreto-Lei nº. 4.657/42).

    28 – B (art. 194, caput, CF/88).

    29 – B (Lei nº 12.470/11).

    30 – B (art. 201, §§ 7º e 8º da CF/88).

    31 – C (art. 59 e 86 da Lei nº. 8.213/91).

    32 – E (art. 16, Lei nº. 8.213/91).

    33 – A (art. 9º, V, RPS).

    34 – C (art. 25, I, Lei nº 8.213/91).

    35 – C (art. 28, § 9º, Lei nº. 8.212/91).

    36 – E (art. 59 da Lei nº. 8.213/91).

    37 – D (art. 59 e 86 da Lei nº. 8.213/91).

    38 – E (art. 29, Lei n. 8.213/91).

    39 – D (art. 29, Lei n. 8.213/91).

    40 – E (art. 48, § 3º, Lei nº. 8.213/91).

    41 – A (art. 21, IV, d, Lei nº. 8.213/91).

    42 – A (art. 71-A, Lei nº. 8.213/91).

    43 – B (art. 16, Lei nº. 8.213/91).

    44 – E (art. 40 e 201 da CF/88).

    45 – A (art. 142, RPS).

    46 – E (art. 159, RPS).

    47 – D (art. 57, § 8º, Lei nº. 8.213/91).

    48 – D (art. 15, § 1º, Lei nº. 8.213/91).

    49 – C (art. 195, § 3º, CF/88).

    50 – D (art. 29-A, Lei nº. 8.213/91).

    51 – D (art. 33, § 5º, Lei nº. 8.212/91).

    52 – B (art. 30, I, a, Lei nº. 8.212/91).

    53 – B (art. 103, caput, Lei nº. 8.213/91).

    54 – D (art. 80, Lei nº. 8.213/91).

    55 – E (art. 9º, EC nº. 20/98).

    56 – A (art. 25, I, Lei nº. 8.213/91).

    57 – A (art. 86, Lei nº. 8.213/91).

    58 – B (art. 255, RPS).

    59 – A (art. 57, § 6º, Lei nº. 8.213/91).

    60 – D (art. 303, RPS).

    Fonte:
    http://www.fabiozambitte.com.br/

    ResponderExcluir
  87. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  88. OBS:
    Ele já possuía as 12 contribuições, portanto ele já tinha os 12 recolhimento por isso nessa questão segue a parte da lei que diz:
    CONSIDERADAS A PARTIR DO TRANSCURSO DO PRIMEIRO DIA DOS MESES DE SUAS COMPETÊNCIAS.(Art. 24, Lei 8.213/91)
    Abs.

    ResponderExcluir
  89. O Fábio Zambitte também discorda do gabarito da do Auxilio-Reclusão. Também acho, o perfil do técnico do seguro social exige que ele atente para o fato de que não cabe auxílio-reclusão estando o segurado em gozo de auxílio-doença.

    Sim, o segurado e dependentes podem volitivamente optar pelo outro benefício, mas SE ELES optarem.

    O que mais coaduna-se com o caráter meritocrático do concurso público é a banca favorecer o candidato que consegue ver as pequenas peculiaridades da lei.

    ResponderExcluir
  90. julho a agosto = 1 mês
    agosto a setembro = 1 mês
    setembro a outubro = 1 mês
    até outubro dão somente 3 meses, então não foi cumprido a regra de 1/3 para ter direito a auxilio-doença

    ResponderExcluir
  91. 1 dia de trabalho em julho, 1 dia em agosto, 1 dia em setembro, 1 dia em outubro:

    IN45/INSS
    Art. 142. Período de carência é o tempo correspondente ao número mínimo de contribuições indispensáveis para que o segurado ou dependente faça jus ao benefício, consideradas a partir do transcurso do primeiro dia dos meses de suas competências, observando que UM DIA DE TRABALHO, no mês, VALE COMO CONTRIBUIÇÃO para aquele mês, para qualquer categoria de segurado, observado o disposto no art. 148.

    ResponderExcluir
  92. Mesmo ele tendo a carência(na questão da apendicite), mesmo assim seriam 2 alternativas corretas, a que diz que tem direito a auxílio-doênça e a que diz que Não tem direito a aposentar-se por invalidez. Pois alguem ai conhece alguém que ficou inválido por causa de apendicite?

    ResponderExcluir
  93. A banca decepcionou ali né Francisca...

    ResponderExcluir
  94. Liz37, concordo com você. Isso é o certo. Além disso existem duas respostas corretas. Se a banca alegar que ele não faria jus ao auxílio-doença, ela está falando que José faz jus a aposentadoria por invalidez e segundo a questão "Nessa situação José", ou seja, na situação apresentada, José não faz jus a aposentadoria por invalidez, já que não completou a carência (3 meses), que é igual ao do auxílio-deonça.

    ResponderExcluir
  95. Mas até da p/ extrapolar e pensar que um evento trágico durante a cirurgia poderia incapacitar o segurado, ensejando a aposentadoria...

    ResponderExcluir
  96. Bom dia Eric N.!! Voltamos aqui à discussão então! Cara não vejo a hora que saia de uma vez o resultado definitivo

    ResponderExcluir
  97. Vai decepcionar ainda mais se não acatar nossos recursos! ainda tem chance para a FCC ganhar algum crédito.

    ResponderExcluir
  98. _disse Bom dia disse. Voltamos a discussão. Na minha opinião a questão deveria ser anulada. Mas a questão deixa claro "Nessa situação José", ou seja, você não pode extrapolar, tem que se ater a situação descrita pelo examinador e na situação descrita pelo examinador não teria direito a aposentadoria por invalidez, isso é fato.

    ResponderExcluir
  99. ATENÇÃO!!!
    Cada candidato só poderá entrar com UM recurso, sob pena de não serem analisados nenhum dos recursos interpostos pelo MESMO candidato.

    ResponderExcluir
  100. Mudando de assunto um pouco, eu não imaginei que fosse cair justificação administrativa na prova, não vi no edital daí nem aprofundei muito o assunto. Arrependimento.

    ResponderExcluir
  101. Esperança, O um recurso pode se referir a diversas questões, da forma como foi estruturado no site da FCC.

    ResponderExcluir
  102. fcc é um LIXO mesmo.

    faz questao mal elaborada, que vc acerta pelo seu nível de entendimento da matéria... pq é nítido q os enuciados sao incompletos em diversas questões.

    e o que lhe deixaria diferente dos demais candidatos será anulado.

    Governo faz concursos por meio de dispensa de licitação, faz por meio de licitação... enfim o Governo poderia ter feito o melhor e ter posto a CESPE, nao haveria esssa palhaçada com os candidatos.

    Organizadorazinha Lixo, que mostra incompetência a cada concurso que faz.

    ResponderExcluir
  103. _disse, também não achei que iria cair, mas eu tinha lido no livro essa parte.

    ResponderExcluir
  104. A licitadora tem que ter critérios mais críticos. Tem que considerar se o histórico da banca preve a avaliação do conhecimento do candidato, não mero decoreba. Tem que estabelecer critérios objetivos do que são QUESTÕES DE QUALIDADE, e avaliar o histórico da banca. Tem que pegar pesado!

    ResponderExcluir
  105. A questão do gráfico de redes(20, prova 5) cabe recurso também pois não é cobrado no edital para estudar os assuntos perguntados.

    ResponderExcluir
  106. Pra mim, essa questão não apresenta nenhuma alternativa correta:
    45. José exerceu atividade rural em regime de parceria com
    João, não tinha empregados, contava com a ajuda de
    seus familiares para o cultivo de subsistência e pretende
    aposentar-se por idade, em 2011, no valor mínimo. Nessa
    situação, José deve
    (A) comprovar o exercício de atividade rural no período
    de 36 meses que antecedem o requerimento do benefício.
    (B) comprovar o exercício de atividade rural por contrato
    de parceria firmado em 2011, por seu parceiro, João.
    (C) comprovar o exercício de atividade rural no período
    de 180 meses que antecedem o benefício, por prova
    testemunhal.
    (D) requerer o processamento de justificação administrativa,
    acompanhada de início de prova documental.
    (E) apresentar declaração de duas testemunhas com firma
    reconhecida em cartório.

    Pois, conforme diz o § 4º do Artigo 62 do Decreto n°3048:
    § 4º Se o documento apresentado pelo segurado não atender ao estabelecido neste artigo, a prova exigida pode ser complementada por outros documentos que levem à convicção do fato a comprovar, inclusive mediante justificação administrativa, na forma do Capítulo VI deste Título.
    No entanto, antes do § 4º, o mesmo Artigo 62, em seu § 2o, Inciso II, alínea b, deixa bem claro que o contrato de parceria rural serve como prova de exercício de atividade rural, ou seja, atende ao estabelecido no Artigo 62:
    § 2o Subsidiariamente ao disposto no art. 19, servem para a prova do tempo de contribuição que trata o caput:
    ...
    II - de exercício de atividade rural, alternativamente:
    ...
    b) contrato de arrendamento, parceria ou comodato rural;
    ...
    Pois bem, se o enunciado da questão nos diz que José exerceu atividade rural em regime de parceria com João, logo José possui um contrato de parceria com João. O seu contrato de parceria já lhe serve de prova de exercício de atividade rural. Deste modo, e de acordo com o Artigo 151 do mesmo decreto, José não precisa requerer o processamento de justificação administrativa, conforme descrito na alternativa “D” que foi dada como gabarito.

    O que vocês acham?

    ResponderExcluir
  107. Exatamente -, FCC pisou feio na bola com este concurso. A gente passa um tempão se preparando pra vir uma prova nesse nível de qualidade...

    ResponderExcluir
  108. Báh, tô fusilado!
    O profe tá derrubando quatro questões que eu acertei! Vou perder colocações, mas vamos lá!
    Essa prova deveria ser anulada é todinha... como que uma empresa ganha tanta grana pra fazer uma cagada dessas? Se eu fosse contratado para fazer um trabalhinho qualquer e tivesse que consertar 10% depois, morreria de vergonha!

    ResponderExcluir
  109. Qual o procedimento para derrubar os recursos do professor Hugo?
    hahauahaiauhaiauhaiauhaiha

    ResponderExcluir
  110. e se não aceitarem os recursos como fica? temos que se concormar?

    ResponderExcluir
  111. Petição p/ anulação do Concurso do INSS, por falta de nível e compromisso da FCC. http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2012N2092 DIVULGUEM!!!

    ResponderExcluir
  112. Meu Deus, qta questão que cabe recurso, já tô com medo dessa prova ser anulada e a gente ter q fazer outra.

    ResponderExcluir
  113. Prezada Banca Examinadora da Fundação Carlos Chagas,
    Entendo que a questão sub examinem, com a devida vênia, deve ser anulada, devido o que está expresso nas normas legais abaixo não estarem totalmente de acordo com o que a banca divulgou como gabarito correto da questão.
    Observe o que diz os diplomas legais:

    1- Decreto 3048/99

    Art. 202. A contribuição da empresa, destinada ao financiamento da aposentadoria especial, nos termos dos arts. 64 a 70, e dos benefícios concedidos em razão do grau de incidência de incapacidade laborativa decorrente dos riscos ambientais do trabalho corresponde à aplicação dos seguintes percentuais, incidentes sobre o total da remuneração paga, devida ou creditada a qualquer título, no decorrer do mês, ao segurado empregado e trabalhador avulso:
    I - um por cento para a empresa em cuja atividade preponderante o risco de acidente do trabalho seja considerado leve;
    II - dois por cento para a empresa em cuja atividade preponderante o risco de acidente do trabalho seja considerado médio; ou
    III - três por cento para a empresa em cuja atividade preponderante o risco de acidente do trabalho seja considerado grave.
    § 1º As alíquotas constantes do caput serão ACRESCIDAS de doze, nove ou seis pontos percentuais, respectivamente, se a atividade exercida pelo segurado a serviço da empresa ensejar a concessão de aposentadoria especial após quinze, vinte ou vinte e cinco anos de contribuição.
    § 2º O acréscimo de que trata o parágrafo anterior incide exclusivamente sobre a remuneração do segurado sujeito às condições especiais que prejudiquem a saúde ou a integridade física.
    § 11. Será devida contribuição adicional de NOVE, SETE ou CINCO pontos percentuais, a cargo da empresa tomadora de serviços de cooperado filiado a cooperativa de trabalho, incidente sobre o valor bruto da nota fiscal ou fatura de prestação de serviços, conforme a atividade exercida pelo cooperado permita a concessão de aposentadoria especial após quinze, vinte ou vinte e cinco anos de contribuição, respectivamente. (Incluído pelo Decreto nº 4.729, de 2003)
    § 12. Para os fins do § 11, será emitida nota fiscal ou fatura de prestação de serviços específica para a atividade exercida pelo cooperado que permita a concessão de aposentadoria especial. (Incluído pelo Decreto nº 4.729, de 2003)

    Então pelo que se pode entender das normas acima citadas as alíquotas, regra geral, relativas às contribuições sociais das empresas são de 1%, 2% ou 3%, sendo que serão ACRESCIDAS alíquotas de 12 %, 9 % ou 6% conforme a atividade exercida pelo segurado a serviço da empresa.
    Destaco ainda que está é a regra, mas em outros casos, como no citado na lei 9.317 e ainda quando a empresa que contrata cooperativa de trabalho para a execução de atividades que caracterizam a aposentadoria especial do segurado, as alíquotas são diferenciadas (9%, 7% ou 5%), decreto (3048/99, art. 202, § 11), portanto não se pode considerar como correto o que foi tido como gabarito da referida questão.

    Por todo o exposto, não há como deixar de entender que a alternativa "A" não serve como gabarito.

    Nestes termos,
    Pede deferimento





    (2x)

    é exatamente oque eu vinha falando...... 12,9 e 6 sao adicionais que ALGUMAS Empresas irão pagar


    para o financiamento é 1/2 ou 3%

    artigo 202 do decreto

    questao deve ser anulada, pois fica sem resposta

    ResponderExcluir
  114. Petição p/ anulação do Concurso do INSS, por falta de nível e compromisso da FCC. http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2012N2092 DIVULGUEM!!!

    ResponderExcluir
  115. Essa eu não me conformei!!!

    Na questão 21, a resposta considerada correta foi a E: "universalizar o atendimento da população".

    O princípio da Universalidade da cobertura e do atendimento já foi explorado pela própria banca FCC na prova de Advogado - Nossa Caixa - 2011 com o sentido de que "a proteção social deve alcançar todos os EVENTOS cuja reparação seja premente, a fim de manter a subsistência de quem dela necessite", ou seja, refere-se à cobertura e atendimento dos EVENTOS e não da população!!! Sejam eles de doença, invalidez, morte e idade avançada, em conformidade com o inciso I do art.201 da CF/88.

    Isto posto, não há alternativa correta entre as disponíveis na questão 21, fato que enseja a anulação desta.


    Nestes termos, peço deferimento.

    ResponderExcluir
  116. Só vão chamar as vagas do edital ou mais um pouco será? Sei que tem um decreto que pode chamar até o dobro das vagas abertas originalmente né?

    ResponderExcluir
  117. Di neves.......

    O principio são 2 coisas

    Veja: Universalização da Cobertura e Atendimento:

    1º- Universalização da Cobertura
    2º- Universalização do atendimento

    cada um diz uma coisa

    Ja vi varias questões cobrando assim: "Universalização do atendimento" ou só assim "Universalização da Cobertura"

    ResponderExcluir
  118. Diante de tantas questões que cabem rercurso, a FCC ira bater o pé e anular apenas as mais absurdas.... umas 3 ou 4 no maximo

    ResponderExcluir
  119. Pois bem, Carlos... Entende-se que ele oferece cobertura dos eventos e depois os atende... A própria banca já explorou isso. E essa questão estava no livro do prof. Hugo sendo explicada dessa forma. A uniformidade seria mais coerente ao sentido de população, pois visa igualar tanto os urbanos, quanto os rurais.

    ResponderExcluir
  120. Bom dia a todos. Desses 4 recursos do professor, entrei com 3. To confiante de que pelo menos 2 serão aceitos. Essa FCC fez trapalhada msm. Deveriam ter continuado no velho copia e cola da lei. Sem falar que queriam segurar o gabarito por quase um mês.

    ResponderExcluir
  121. Questão 37
    Deve ser anulada.
    A questão refere que Maria contraiu moléstia não relacionada ao trabalho.
    Ocorre que não há referência a qual moléstia foi acometida. Se for acometida de doenças e afecções especificadas em lista elaborada pelos Ministérios da Saúde e do Trabalho e da Previdência Social a cada três anos, de acordo com os critérios de estigma, deformação, mutilação, deficiência, ou outro fator que lhe confira especificidade e gravidade que mereçam tratamento particularizado, poderá receber o auxílio-doença sem carência.
    Veja-se a Lei 8.213/91:
    “Art. 26. Independe de carência a concessão das seguintes prestações:
    (...)
    II - auxílio-doença e aposentadoria por invalidez nos casos de acidente de qualquer natureza ou causa e de doença profissional ou do trabalho, bem como nos casos de segurado que, após filiar-se ao Regime Geral de Previdência Social, for acometido de alguma das doenças e afecções especificadas em lista elaborada pelos Ministérios da Saúde e do Trabalho e da Previdência Social a cada três anos, de acordo com os critérios de estigma, deformação, mutilação, deficiência, ou outro fator que lhe confira especificidade e gravidade que mereçam tratamento particularizado; (...)”

    ResponderExcluir
  122. QUAL FOI A SUA PONTUAÇÃO NA PROVA? PARTICIPE DO RANKING ALFA CONCURSOS!
    http://www.equipealfaconcursos.com.br/blog/?p=3553

    ResponderExcluir
  123. Caso a banca não aceite o recurso, a quem devemos recorrer?? Existe a possibilidade de entrar no campo judicial?

    ResponderExcluir
  124. Pessoal gostaria de saber sobre aquela questão de aposentadoria especial. O gabarito considerou que José não poderá voltar a ocupar a função que ocupava antes da aposentadoria...mas na verdade ele pode, só que perde a aposentadoria...não é isso? e para receber a aposentadoria especial o segurado tem que provar o nexo de causalidade entre o agente nocivo e o trabalho desempenhado através do PPP. será que cabe recurso nessa? questão 48, prova tipo 2.

    ResponderExcluir
  125. Marcos Ribeiro qual foi sua nota? Deve ter sido péssima né? Vai estudar mais e reclamar menos. Vaza!!!

    ResponderExcluir
  126. Andrea, creio que nessa não cabe recurso.

    ResponderExcluir
  127. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  128. Andrea, e tem outro detalhe. O que garante que na sua função anterior ele estava exposto a agentes nocivos?

    Ele só perderia a noção SE voltar a trabalhar EXPOSTO A agentes nocivos.

    ResponderExcluir
  129. Corrigindo, "ele só perderia a aposentadoria SE voltar a trabalhar EXPOSTO A agentes nocivos"

    ResponderExcluir
  130. Essa prova da FCC foi muito subjetiva e mal elaborada, me senti com a sensação de ter estudado tanto pra enfrentar uma prova indigna de um Técnico do Seguro Social, prova essa que dava ao candidato, a interpretação que bem entendesse, por falta de subsídios elementares para responder com clareza as questões porpostas,coisas como conceder auxílio reclusão a dependentes de segurado que recebe auxílio doença ou enquanto fugado, é fichinha para essa banca, ferir os estudantes de direito, ao dizer que princípios gerais de direito é uma forma de interpretação é banal, conceder aposentadoria proporcional só pelo fato de estar segurado antes da EC 20º foi ótimo, e ainda dizem por aí que acertaram 60, obviamente, concederam esse auxílio reclusão, feriram os estudantes de direito, e proporcionalmente concederam um vexame para esse blog.

    ResponderExcluir
  131. Tem doutrina que fala em "interpretação analógica" .. no próprio site da Jusbrasil

    http://www.jusbrasil.com.br/topicos/290179/interpretacao-analogica

    ResponderExcluir
  132. Pessoal quem já recorreu alguma questão dessas que o professor Hugo fundamentou? Alguém poderia me orientar quanto ao recurso? Outra dúvida, quantas questões cada candidato tem direito de recorrer?

    Vlw galera! Conto com vocês parceiros!

    ResponderExcluir
  133. Caras Andréa e Cristina,

    Se no caso em tela José trabalhou em uma atividade por exemplo que lhe desse direito a se aposentar aos 15 anos de contribuição, porém quando completou 15 anos, ele foi demitido, ou saiu do emprego, em fim ... adquiriu o direito da aposentadoria especial mas não foi se aposentar imediatamente após o direito adquirido, porém tivesse trabalhado em outro emprego, por exemplo operador de caixa, qualquer atividade que não lhe desse direito a aposentadoria especial por 3 meses.

    Então descobrisse que tinha direito a aposentadoria Especial ( Direito adquirido) Solicitasse sua aposentadoria, que no caso em tela DEFERIDA pelo INSS.

    A pergunta qual foi o ultimo emprego de JOSÉ, ele pode voltar a ocupar o ultimo EMPREGO, pois é, a questão GABARITADA pela FCC diz que ele não pode voltar ao ultimo emprego, o que no meu entender ficou muito subjetivo, QUAL O ULTIMO EMPREGO??? O QUE DEU DIREITO A ELE DA APOSENTADORIA ESPECIAL???

    Se fosse assim a questão estaria correta, mas a questão não disse isso.

    Bom parece uma viagem de louco essa que fiz, mas o fato é que o enunciado foi mal elaborado.

    ResponderExcluir
  134. Alguém sabe informar se a FCC estabeleceu prazo para resposta dos recursos?

    Obrigado.

    ResponderExcluir
  135. na questão 5 sobre cargos públicos,segundo a constituição federal

    a alternativa A está correta pois:
    a constituição federal diz em seu Art. 41. São estáveis após três anos de efetivo exercício os servidores nomeados para cargo de provimento efetivo em virtude de concurso público.

    § 4º Como condição para a aquisição da estabilidade, é obrigatória a avaliação especial de desempenho por
    comissão instituída para essa finalidade

    SENDO ASSIM O GABARITO DA QUESTÃO DA PROVA TIPO 003 DEVE SER MULDADO DE D PARA A POIS

    NO Art. 37.DIZ:
    VI - é garantido ao servidor público civil o direito à livre associação sindical

    ResponderExcluir
  136. Professor hugo, o senhor postou uma recurso sobre a questão de "interpretação" do D.Previdenciário?

    O senhor sabe que todas as outras formas elencadas na questão são de "integração": analogia, costumes, princípios gerais de direito, equidade.

    Essa é uma questão chave, que definirá muitas colocações nessa prova.

    Foi um erro grosseiro, e, como se não bastasse, complementaram:

    Na omissão da lei.

    Aí eu pergunto, quando a lei omite alguma coisa, eu vou interpretar é?

    Pelo que eu sei:

    Na interpretação existe lei que explicita tal situação, e usa-se os métodos interpretativos baseando-se do "in dubio pro societate", ou seja, o que for mais vantajoso para o beneficiário.

    Na integração a lei se omite, então usamos as formas de integração de uma ciência jurídica:
    equidade, costumes, princípios gerais de direito e a analogia.

    ResponderExcluir
  137. IRMÃO SOUTO disse...
    Caras Andréa e Cristina,

    Se no caso em tela José trabalhou em uma atividade por exemplo que lhe desse direito a se aposentar aos 15 anos de contribuição, porém quando completou 15 anos, ele foi demitido, ou saiu do emprego, em fim ... adquiriu o direito da aposentadoria especial mas não foi se aposentar imediatamente após o direito adquirido, porém tivesse trabalhado em outro emprego, por exemplo operador de caixa, qualquer atividade que não lhe desse direito a aposentadoria especial por 3 meses.

    Então descobrisse que tinha direito a aposentadoria Especial ( Direito adquirido) Solicitasse sua aposentadoria, que no caso em tela DEFERIDA pelo INSS.

    A pergunta qual foi o ultimo emprego de JOSÉ, ele pode voltar a ocupar o ultimo EMPREGO, pois é, a questão GABARITADA pela FCC diz que ele não pode voltar ao ultimo emprego, o que no meu entender ficou muito subjetivo, QUAL O ULTIMO EMPREGO??? O QUE DEU DIREITO A ELE DA APOSENTADORIA ESPECIAL???

    Se fosse assim a questão estaria correta, mas a questão não disse isso.

    Bom parece uma viagem de louco essa que fiz, mas o fato é que o enunciado foi mal elaborado.

    ................................

    VOCÊ QUER O CPF DO JOSÉ TBM;
    CARA SE A QUESTÃO FALA QUE ELE TEM APOSENTADORIA ESPECIAL - ELA PEDE UMA DAS CARACTERISTICAS DESTE BENEFICIO!

    ENTÃO VC TEM QUE ACORDAR PRA VIDA !!

    ResponderExcluir
  138. Entrei com recurso na questão que fala do auxílio reclusão e na que tem duas respostas corretas (não terá direito ao auxílio doença nem a aposentadoria por invalidez). No site do ponto outro professor citou várias questões passíveis de recurso.
    Vocês entraram em quais?

    ResponderExcluir
  139. ATENÇÂO,pessoal que fez a prova do gabarito tipo 4,a questão de numero 58 cabe recurso,pois ele trabalhou os meses de julho,agosto,setembro e no mes de outubro ele nao faz referencia ate que dia do mes ele trabalhou,portanto galera lutem e corram atras!

    ResponderExcluir
  140. Vocês concordam que o assunto "Rede" não estava no conteúdo do programa de informática?

    ResponderExcluir
  141. Agradeço a todos os concorrentes pelos recursos postados pois estão me ajudando e muito a interpor os meus,não obstante é bom lembrar que, em se tratando de FCC, a banca adora colocar respostas incompletas porem não incorretas, algumas questões trazem em suas opções de respostas 4 respostas erradas e 1 incompleta, como por exemplo a da universalidade do atendimento, está incompleta, porem as demais estão incorretas,logo apesar de incompleta a resposta se faz correta. Muito Obrigado ao professor Hugo e a todos que acreditam e levam a sério o concurso publico.

    ResponderExcluir
  142. acho que o assunto rede estava incluso em "Conceitos básicos e modos de utilização de tecnologias, ferramentas, aplicativos e procedimentos de informática."
    pelo ,menos isso é o que eles vão dizer.

    ResponderExcluir
  143. acho que o assunto rede estava incluso em "Conceitos básicos e modos de utilização de tecnologias, ferramentas, aplicativos e procedimentos de informática."
    pelo ,menos isso é o que eles vão dizer.

    ResponderExcluir
  144. Marcio Lira disse...
    ATENÇÂO,pessoal que fez a prova do gabarito tipo 4,a questão de numero 58 cabe recurso,pois ele trabalhou os meses de julho,agosto,setembro e no mes de outubro ele nao faz referencia ate que dia do mes ele trabalhou,portanto galera lutem e corram atras!

    Ele trabalhou e no 3° mês se manchucou (setembro) e ai deve er ido no INSS em inicio de outubro!


    ESQUEÇA ESTA QUESTÃO CARA!!

    ELA TEM RESP.

    ResponderExcluir
  145. ...
    ÍTEM DA QUESTÃO
    III. Com as intranets, a comunicação interna nas empresas ganha mais agilidade, dinamismo, INTEGRA E APROXIMA SEUS COLABORADORES, independente da localização de cada um.Agiliza a disseminação de informções, visando à integração inter e intradepartamental.

    Quando se tem uma parte do sistema de informação de uma empresa liberado para alguns usuários externos específicos (colaboradores, por exemplo), tem-se o que se chama de EXTRANET.
    Na questão ora em exame o conceito de INTRANET apresentado no item “ш” não está correto. Sendo assim peço que o gabarito seja ALTERADO de “(D) I, II e III, apenas.” Para “(C) I e II, apenas.”.Já que os itens "I e II" da referida questão não apresentam nenhuma imperfeição.
    Pede deferimento.

    ResponderExcluir
  146. Olá, pessoal!
    Em relação à questão que trata da PROCURAÇÃO, a FCC julgou o item correto:
    “Pode ser outorgada procuração coletiva nos casos de representantes de asilos.”
    No entanto, discordo, conforme recurso interposto abaixo:
    Em relação à assertiva “A”, ela está errada.
    Fundamentação: Conforme disposto no artigo 159 do Decreto n°. 3.048/1999, abaixo transcrito:
    “Art. 159. Somente será aceita a constituição de procurador com mais de uma procuração, ou procurações coletivas, nos casos de representantes credenciados de leprosários, sanatórios, asilos e outros estabelecimentos congêneres, nos casos de parentes de primeiro grau, ou, em outros casos, a critério do Instituto Nacional do Seguro Social.”
    Na assertiva em questão, faltou informação a respeito se o representante era credenciado ou não e, conforme art. 159 do Decreto n°. 3.048/99, somente pode ser outorgada procuração coletiva nos casos de representantes “credenciados” de asilos.
    Em relação à assertiva “D”, ela está correta.
    Fundamentação: Conforme disposto no artigo 156 do Decreto n°. 3.048/1999, abaixo transcrito:
    “Art. 156. O benefício será pago diretamente ao beneficiário, salvo em caso de ausência, moléstia contagiosa ou impossibilidade de locomoção, quando será pago a procurador, cujo mandato não terá prazo superior a doze meses, podendo ser renovado ou revalidado pelos setores de benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social.”
    Na assertiva em questão, a procuração de 6 (seis) meses, pode ser revalidada ou renovada pelo INSS, conforme disposto no art. 156 do Decreto n°. 3.048/99.
    Considerações Finais: Desse modo, solicito a alteração do gabarito de letra “A” para letra “D” ou pelo menos a ANULAÇÃO da referida questão para que nenhum candidato seja prejudicado.
    Alguém mais pensou dessa forma? Respeito opiniões em contrário. Abraços.

    ResponderExcluir
  147. O professor Fabio Zambette disse em seu site que a questão 43 da prova 1 está de acordo com o Art 40 da CF. Prefiro pensar que ele não analisou a questão. Pois se não foi isso coitados de seus alunos. Vejamos:

    Seguem os argumentos para análise e deferimento deste recurso:

    43. Joana trabalhou como empregada rural de janeiro de 1978
    a dezembro de 1979. Ela foi, também, escrevente do Po-
    der Judiciário do Estado de São Paulo de janeiro de 1980
    a janeiro de 1982, com regime próprio de previdência
    social. De janeiro de 1983 até janeiro de 2011 trabalhou
    no serviço público federal ao mesmo tempo em que
    ministrava aulas como professora em faculdade particular,
    regida pela CLT. Joana completou 60 anos em janeiro de
    2011. Nessa situação, Joana

    (A) poderá computar no Regime Geral de Previdência
    Social tanto o período exercido como professora co-
    mo o do serviço público federal.
    (B) não poderá computar o tempo de serviço como es-
    crevente do Poder Judiciário do Estado de São Paulo.
    (C) não poderá receber aposentadoria por dois regimes
    previdenciários.
    (D) poderá receber aposentadoria por idade no Regime
    Geral de Previdência Social e aposentadoria por ou-
    tro regime previdenciário.
    (E) não poderá computar o tempo de contribuição como
    empregada rural.

    Fazendo uma leitura clara e objetiva do anunciado, não encontramos nenhuma informação que nos leve a conclusão que durante o período em que Joana trabalhou no SERVIÇO PUBLICO FEDERAL, ela pertencesse a algum REGIME PRÓPRIO DE PREVIDENCIA. O anunciado deixa claro a sua filiação ao Regime próprio apenas no período em que trabalhou como escrevente no Poder judiciário do estado de São Paulo. Vejamos:
    “ Joana trabalhou como empregada rural de janeiro de 1978 a dezembro de 1979. Ela foi, também, escrevente do Poder Judiciário do Estado de São Paulo de janeiro de 1980 a janeiro de 1982, com regime próprio de previdência social. De janeiro de 1983 até janeiro de 2011 trabalhou no serviço público federal ao mesmo tempo em que ministrava aulas como professora em faculdade particular, regida pela CLT. Joana completou 60 anos em janeiro de 2011 “
    Conforme o anunciado observamos que:
    1- Joana foi filiada ao RPPS por 2 anos ( janeiro de 1980 a janeiro de 1982 ). Logo não adquiriu direito a nenhuma aposentadoria por esse Regime.
    2- Seguindo as normas gramaticais, concluímos que a expressão: Regida pela CLT, se refere ao período que ela trabalhou no serviço publico federal. Não faz sentido o anunciado informar que o período que ela ministrava aula como professora particular ela era regida pela CLT. Pois não poderia ser estatutário

    ResponderExcluir
  148. Billy ...

    Se a questão fosse formulada assim o Gabarito da FCC nunca seria quetionado:

    47. José recebe aposentadoria especial no Regime Geral de Previdência Social "CENCEDIDO EM VIRTUDE D SEU ULTIMO EMPREGO". Nessa situação, José

    (A) está inválido para o exercício da atividade laborativa.

    (B) deve provar o nexo de causalidade entre o agente nocivo e o trabalho desempenhado.

    (C) não poderá retornar ao mercado de trabalho.

    (D) não poderá retornar à função que ocupava anteriormente à aposentadoria.

    (E) gozará de isenção da contribuição previdenciária se retornar ao mercado de trabalho.
    ................................

    Esse é o meu ponto de vista.

    ResponderExcluir
  149. Continuando questao 43:

    Exposto isto, sigamos com os argumentos:

    Como o anunciado não diz que, no período do trabalho no serviço publico federal, Joana era filiada ao RPPS. Logo ela era SEGURADA EMPREGADA do RGPS.

    Os segurados obrigatórios do RGPS, na condição de Empregados, estão descritos no Art. 9, I, a até o r do decreto n° 3048/1999. Nele podemos encontrar vários SERVIDORES PUBLICOS FEDERAIS que são filiados obrigatórios do RGPS.

    Ademais, os servidores regidos pela CLT são segurados obrigatórios do RGPS. De todo modo, a leitura do anunciado deixa claro que ela não era filiada ao RPPS no período do serviço publico federal.

    Passamos a analisar as alternativas A e D da questão:

    Letra A: CERTA – Poderá computar para o Regime Geral de Previdência Social tanto o período exercido como professora como o do serviço publico federa..

    Claro que ela pode computar para Regime Geral os períodos concomitantes. Pois , pelos motivos já expostos, nada impede de ela ser filiada ao RGPS nas duas atividades.

    Letra D: ERRADA – Ela poderá receber aposentadoria por idade pelo RGPS. Porém, ela não poderá se aposentar por outro Regime naquela situação. Vejamos:
    Quando analisamos a situação mostrada no anunciado, não identificamos nenhum direito a aposentadoria adquirida por Joana no Regime Próprio. Ora, como ela pode, em Janeiro de 2011, ter direito a aposentadoria pelo RPPS? Se ela contribui pelo Regime apenas 2 anos.

    CONSIDERAÇÕES FINAIS

    Por tudo o exposto, constata-se que, na questão ora analisada, a alternativa
    CORRETA não pode ser a da letra “D”. Constata-se que a alternativa CORRETA é a
    da letra “A”. Rogo, consequentemente, pela alteração do gabarito de “A” para
    “C”. Alternativamente, caso a Douta Banca Examinadora não concorde com a
    referida alteração, rogo pela ANULAÇÃO DA QUESTÃO.

    ResponderExcluir
  150. IRMÃO SOUTO, concordo com você na apos. especial. Entrei com recurso.

    Billy, se ele tem aposentadoria especial, não significa que em seu último emprego estava exposto a agentes nocivos.

    Sobre quem anda comentando o 1/3 p/ ter direito auxílio-doença, transcorreu 1 dia de trabalho de cada um dos 4 meses. Vejam o dispositivo abaixo:


    IN45/INSS
    Art. 142. Período de carência é o tempo correspondente ao número mínimo de contribuições indispensáveis para que o segurado ou dependente faça jus ao benefício, consideradas a partir do transcurso do primeiro dia dos meses de suas competências, observando que UM DIA DE TRABALHO, no mês, VALE COMO CONTRIBUIÇÃO para aquele mês, para qualquer categoria de segurado, observado o disposto no art. 148.

    ResponderExcluir
  151. Sobre a polêmica da aposentadoria especial, vejam o dispositivo abaixo com meus grifos.

    Art. 69...
    Parágrafo único. Aplica-se o disposto no art. 48 ao segurado que retornar ao exercício de atividade ou operações QUE O SUJEITEM AOS AGENTES NOCIVOS constantes do Anexo IV, ou nele permanecer, na mesma ou em outra empresa, qualquer que seja a forma de prestação do serviço, ou categoria de segurado, a partir da data do retorno à atividade.

    ResponderExcluir
  152. Dudu Maia, o resultado dos recursos sai o dia 05, junto com o resultado do concurso.

    Marcos Ribeiro: se você foi mal no concurso, comece a estudar para outro cara, não perca tempo em "petição pública", sei que sempre é mais fácil por a culpa na Banca, mas se a prova estava tudo errado, complicado, como explicar a nota dos que foram bem?

    To vendo o pessoal, forçando a barra nos recursos, toda prova caberia recursos para alguma minoria que comenta aqui.

    ResponderExcluir
  153. Olá, pessoal!

    Em relação à questão que trata da PROCURAÇÃO, a FCC julgou o item correto:

    “Pode ser outorgada procuração coletiva nos casos de representantes de asilos.”

    No entanto, discordo, conforme recurso interposto abaixo:

    Em relação à assertiva “A”, ela está errada.

    Fundamentação: Conforme disposto no artigo 159 do Decreto n°. 3.048/1999, abaixo transcrito:

    “Art. 159. Somente será aceita a constituição de procurador com mais de uma procuração, ou procurações coletivas, nos casos de representantes credenciados de leprosários, sanatórios, asilos e outros estabelecimentos congêneres, nos casos de parentes de primeiro grau, ou, em outros casos, a critério do Instituto Nacional do Seguro Social.”

    Na assertiva em questão, faltou informação a respeito se o representante era credenciado ou não e, conforme art. 159 do Decreto n°. 3.048/99, somente pode ser outorgada procuração coletiva nos casos de representantes “credenciados” de asilos.

    Em relação à assertiva “D”, ela está correta.

    Fundamentação: Conforme disposto no artigo 156 do Decreto n°. 3.048/1999, abaixo transcrito:

    “Art. 156. O benefício será pago diretamente ao beneficiário, salvo em caso de ausência, moléstia contagiosa ou impossibilidade de locomoção, quando será pago a procurador, cujo mandato não terá prazo superior a doze meses, podendo ser renovado ou revalidado pelos setores de benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social.”

    Na assertiva em questão, a procuração de 6 (seis) meses, pode ser revalidada ou renovada pelo INSS, conforme disposto no art. 156 do Decreto n°. 3.048/99.

    Considerações Finais: Desse modo, solicito a alteração do gabarito de letra “A” para letra “D” ou pelo menos a ANULAÇÃO da referida questão para que nenhum candidato seja prejudicado.

    Alguém mais pensou dessa forma? Respeito opiniões em contrário. Abraços.

    ResponderExcluir
  154. giovane uruguayorki,

    Obrigado mano! Sucesso!

    ResponderExcluir
  155. Tadeu Junior disse...
    Olá, pessoal!

    Em relação à questão que trata da PROCURAÇÃO, a FCC julgou o item correto:

    “Pode ser outorgada procuração coletiva nos casos de representantes de asilos.”

    No entanto, discordo, conforme recurso interposto abaixo:

    Em relação à assertiva “A”, ela está errada.

    Fundamentação: Conforme disposto no artigo 159 do Decreto n°. 3.048/1999, abaixo transcrito:

    ................................
    O ART. 30° DA LEI 8.792/93
    NÃO MENCIONA NADA RELATIVO AO CREDENCIAMENTO!

    VC NEM SABE DE QUE LEI É A QUESTÃO!

    ResponderExcluir
  156. O que a 8.792 tem a ver? O_O Boiei ...

    ResponderExcluir
  157. SÓ TEM UMA COISA PESSOAL SE ANULAR TODAS PELO QUE ESTOU VENDO DAÍ SÓ ENTRARÁ VELHO NA FCC. Porque no critério de desempate os novos já eram.

    ResponderExcluir
  158. ATENÇAO!!!!,entrei com recurso na 58 tipo 4,parte do meu recurso ai:


    Podento ter sido acometido tanto de 01/10/2010 até mesmo 30/10/2010,levando-se em conta que o mes comercial tem 30 dias,existindo ai a possibilidade de Jose ter trabalhado por 4 meses e não por 3,como afirma a questão.
    Trata-se de uma questão claramente dubia e por não ter uma data especifica ele pode fazer jus ao benefício,como também poderá não fazer jus a este,portanto com base concluo que meus argumentos são claros e suficientes para se constatar ai um grande motivo para a anulação dessa questão.

    ResponderExcluir
  159. Marco Lira, concordo com você. Tenho reforçado a tese com o dispositivo abaixo.

    IN45/INSS
    Art. 142. Período de carência é o tempo correspondente ao número mínimo de contribuições indispensáveis para que o segurado ou dependente faça jus ao benefício, consideradas a partir do transcurso do primeiro dia dos meses de suas competências, observando que UM DIA DE TRABALHO, no mês, VALE COMO CONTRIBUIÇÃO para aquele mês, para qualquer categoria de segurado, observado o disposto no art. 148.

    ResponderExcluir
  160. Eu estou propondo recurso apenas naquelas questões onde os erros são mais "gritantes".

    Mas há varias outras onde é possível serem detectadas algumas falhas do examinador.

    ResponderExcluir
  161. Professor Hugo, queria parabenizá-lo pelo trabalho feito, assisti suas aulas no EVP e nunca vi um professor com tão boa didática e calma para explicar como o senhor.

    Obrigado!

    ResponderExcluir
  162. Professor, entendo como gritantes falhas que , em não sendo atendidas, demonstram má fé por parte da banca. E entenda-se por má fé a inadmissão da culpa pela imperícia na confecção das questões por questões mercadológicas. Aguardemos.

    ResponderExcluir
  163. Está claro que não houve uma avaliação justa para quem fez mais de 52,53 pontos. Acho que o pessoal ta meio anestesiado pela carreira de concurseiro, pq do meu ponto de vista este concurso está completamente fora do seu propósito original. Não podemos esquecer que quem está hoje no topo da classificação também teve suas razões para marcar opção A ou B e serão os mais prejudicados. Repito, A IMPERÍCIA DA BANCA NÃO PODE SER CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO OU DESEMPATE OU ESTARIA PREVISTA NO EDITAL.

    ResponderExcluir
  164. É, vai ter muito empate... tinha que ter mais questões também ! Podiam pegar mais pesado em constitucional e administrativo.

    ResponderExcluir
  165. Gente não é bem assim não, se por acaso anular todas essas questões a prova será anulada, não tem condições de o MPF aceitar uma coisas dessas, se fazem o que fazem com o ENEM imaginem o que eles farão com essa prova, agora eu duvido que a FCC anulará todas essas quetões, se ela anular, anulará apenas 2 ou 3 no máximo!! Quem se sentir prejudicado pode recorrer sim à justiça, TEMOS QUE FAZER ALGUMA E JÁ.

    ResponderExcluir
  166. As bancas não abrem mão né... hehe

    ResponderExcluir
  167. Professor Hugo,

    Não sei se o senhor tem a dimensão do tamanho da ajuda que pretou e tem prestado a todos nós concurseiros, por meio de sua IMENSA COMPETÊNCIA E DEDICAÇÃO.

    Independente de minha aprovação (fiz 52 pontos, e entrei com 4 recursos, ainda tenho esperanças!) só o que tenho a dizer-lhe é MUITO OGRIGADA E QUE DEUS O ABENÇOE!!!!

    ResponderExcluir
  168. O díscipulo bem instruído torna-se tão bom quanto o seu mestre. Isso é demonstrado aqui, pois os discipulos estão a mil. Seguirei os estudos para analista que, em breve, sairá. Mas estou cansada, nem os recursos de alguns eu entendo..srrsrssrrs

    Boa sorte e fé, tá tudo dominado!!! Fé meu povo! Nós iremos conseguir!!!

    Sem sombras de dúvidas, até eu ebaboraria uma prova melhor, pois se eu não entendo, eles tb não!!! rsrsrsr

    ResponderExcluir
  169. PESSOAL, sem botar lenha na fogueira, eu estudei no livro do prof que o aposentado poderia seguir trabalhando no serviço em que se aposentou como especial, mas fazendo outra coisa sem perder a sua aposentadoria, mas não poderia seguir exposto ao agente nocivo, li isso no livro do prof Hugo...

    ResponderExcluir
  170. A FCC NA HORA DE ANALISAR OS RECURSOS, TEM QUE TOMAR POR BASE O PRINCÍPIO DO "IN DÚBIO PRO CONCURSEIRO".

    ResponderExcluir
  171. PESSOAL QUEM TIVER INTERESSADO OLHE ISSO AQUI.(REFERE-SE A ANULAÇÃO DO CONCURSO):
    http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoVer.aspx?pi=P2012N20921

    ResponderExcluir
  172. RECURSO QUESTÃO DA PROCURAÇÃO QUESTÃO 45 PROVA TIPO 1.


    Solicito ANULAÇÃO da questão por conter duas respostas corretas conforme fundamentado abaixo:

    A procuração não terá prazo superior a 12 meses, e pode ser renovada ou revalidada pelo próprio INSS, conforme podemos verificar no artigo 156 do decreto 3048/99:

    “Art. 156. O benefício será pago diretamente ao beneficiário, salvo em caso de ausência, moléstia contagiosa ou impossibilidade de locomoção, quando será pago a procurador, cujo mandato não terá prazo superior a doze meses, podendo ser renovado ou revalidado pelos setores de benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social.”

    Portanto a alternativa (A) também está correta, pois a procuração pode ter 6 meses e pode ser renovada ou revalidada pelo INSS.

    ResponderExcluir
  173. Billy,corra pelas suas ok,to correndo atraz das minhas,voce deve ter feito essa de acordo com a FCC,mas eu to fazendo a minha parte,faça a sua e respeite o argumento de todos ok,um abraço a vc e boa sorte!

    ResponderExcluir
  174. Galera, fiz cursos em diversos locais e sites na internet, e fica aqui meu desabafo, tem professor falando que não pode ajudar porque é procurador do INSS ou por causa disso ou daquilo, fica aqui meu desabafo, na hora de vender livros e cursos pode tudo, na hora de orientar os alunos, ai não pode...

    Não vou citar nomes, mais fica aqui minha gratidão para o professor HUGO GOÉS, que é o CARA.

    Na hora de comprar livros ou cursos na internet vamos lembrar do professor Hugo Góes que nunca nos abandonou.

    ResponderExcluir
  175. Acho que a questão 58 da prova tipo 4, em que "José que trabalhou como empregado na empresa São João Ltda., no período de 01/09/2004 a 01/09/2007, voltou a trabalhar e no terceiro mês se afastou em virtude de apendicite que o impedia de exercer suas atividades habituais não cabe recurso. A questão deixa bem claro que ele não podia mais exercer suas atividades HABITUAIS sem especificar que foi de forma permanente. Se ela tivesse mencionado que ele ficou incapaz para o trabalho e insuscetível de reabilitação para o exercício de atividade que lhe garanta a subsistência, a resposta seria a letra E. A resposta correta é a letra A sim.

    ResponderExcluir
  176. Camilinha meu anjo a questao trata de auxilio -doença e esta bastante incompleta.

    ResponderExcluir
  177. eu estou dando só a ideia a aqueles que foram prejudicados.

    ResponderExcluir
  178. Galera, vamos colocar as notas no Ranking do superconcurseiros. Os concurseiros mais experientes já colocaram, basta ver que DF é de onde mais tem notas.
    http://www.superconcurseiros.com.br/ranking-concursos.html

    ResponderExcluir
  179. aahhh, socorro!! Estou tendo pesadelos todas as noites com o Prof. Hugo derrubando tds as questões que eu acertei!! hehehehe

    Brincadeira galera, é verdade que estou apreensivo em perder questões nos recursos, mas torço por um resultado justo para todos!

    Boa sorte aos recurseiros de plantão!!

    ResponderExcluir
  180. Sid disse...
    PESSOAL QUEM TIVER INTERESSADO OLHE ISSO AQUI.(REFERE-SE A ANULAÇÃO DO CONCURSO):
    http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoVer.aspx?pi=P2012N20921


    Fala sério. Com todo respeito aos signatários desta petição, mas essa é uma piada das boas viu...

    Anulação do concurso?? Tem noção do que isso significa??

    ResponderExcluir
  181. Gostaria de saber se, quanto mais pessoas entrarem com recurso, melhor? A banca se sentirá "acuada"? Se for o caso, entrarei com recurso também!
    Grata!

    ResponderExcluir
  182. Venho respeitosamente, interpor recurso quanto a questão 34 do caderno 04, pelo fato de o enunciado não trazer se queria como resposta uma forma de benefício ou uma forma de serviço. Dessa forma, ocultou relevante informação que confunde o candidato, afinal seria passível de duas respostas, a letra (e) do gabarito que seria auxílio-doença e a letra (a), já que como a questão não trouxe que se tratava de benefícios a que teria direito, como serviço a reabilitação profissional seria uma possível resposta justamente porque quando Silvia é impedida de exercer suas atividades e se submete a tratamento médico subentende-se que esse tratamento é a reabilitação profissional, haja visto que a pessoa em gozo de auxílio doença é obrigada sob pena de perda do benefício a se submeter a tratamento dispensado gratuitamente e a processo de reabilitação profissional, exceto o cirúrgico e a transfusão de sangue que são facultativos, conforme prevê artigo 89 da lei 8213/91.
    O enunciado disse, Nessa situação, Silvia teve direito a receber, e atende ao que foi dito, duas respostas como já mencionado acima.
    O artigo 79 do Decreto 3048, mostra claramente como Silvia que receberia afastamento teria direito a reabilitação profissional! Transcrevo abaixo:
    Art.79. O segurado em gozo de auxílio-doença, insuscetível de recuperação para sua atividade habitual, deverá submeter-se a processo de reabilitação profissional para exercício de outra atividade, não cessando o benefício até que seja dado como habilitado para o desempenho de nova atividade que lhe garanta a subsistência ou, quando considerado não recuperável, seja aposentado por invalidez.


    Com a devida fundamentação, só me cabe requerer que seja anulada a questão por apresentar duas respostas diferentes, ela teria direito ao auxílio-doença (letra E) e a Reabilitação Profissional (letra A), o grande erro do examinador foi não explicitar se era relativo a benefícios ou serviços, já que se tratando de prestações Previdenciárias haveria duas respostas. Agradeço desde já.

    ResponderExcluir
  183. Nessa questão do João que trabalhou na sua pequena propriedade, eu marquei que ele teria direito a Aposentadoria por idade...

    Será que mesmo tendo errado eu posso entrar com recurso?

    ResponderExcluir
  184. Planter,

    Pode sim. Até quem acertou pode.

    Até mais...

    ResponderExcluir
  185. Jess disse...

    Gostaria de saber se, quanto mais pessoas entrarem com recurso, melhor? A banca se sentirá "acuada"? Se for o caso, entrarei com recurso também!
    Grata!


    Com certeza, quanto mais recursos, desde que não sejam idênticos a outros, mais a banca será forçada a reconhecer que errou. Mas, quanto a assumir o erro, só cabe à banca decidir se irá fazê-lo ou não.

    Até mais...

    ResponderExcluir
  186. claro que José tem direito ao BENEFÍCIO! A carencia conta em MESES: JUL/AGO/SET/OUT = 4 meses(regra do 1/3). O candidato só tem que adivinhar qual nova categoria que se encaixa, mas como a FCC se omitiu em todas as questões, praticamente, considerei que ele tornou ser empregado (carencia começa a contar a partir da filiação).

    ResponderExcluir
  187. Tem coisas que não entendo: recorrer do que acertou? qual motivo? mudar o gabarito e errar...????

    A Camilinha não leu direito, eu acho. Só me diz uma coisa, Camilinha: ele pode se aposentar por invalidez??? claro que não! não é permanente, insuscetível de reabilitação... é algo que vai passar... até pq a invalidez volta e faz exames, etc...não é para sempre e neste caso, muito menos...

    ResponderExcluir
  188. Professor, comprei seu livro, acompanho seu blog, gostaria somente de agradecer por tudo, pela minha performance na prova, pela elaboração dos recursos, por todo seu trabalho.
    Parabéns pelo sucesso.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  189. Caros colegas que concordam com o gabarito divulgado pela FCC, vamos enviar e-mail elogiando a elaboração da prova, os métodos empregados, se os que erraram estão usando a tática da pressão para conseguirem seus objetivos, vamos usar um tática semelhante para conseguirmos os nossos.

    ResponderExcluir
  190. Não creio que o agurmento apresentado seja capaz de anular a questão da Maria que adotou uma criança de 6 anos.

    ResponderExcluir
  191. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

Clique no banner abaixo para comprar