Clique no banner abaixo para comprar os livros de Hugo Goes

Santo do dia 30 de Setembro - São Jerônimo

É incontestável o grande débito que a cultura e os cristãos, de todos os tempos, têm com este santo de inteligência brilhante e temperamento intratável. Jerônimo nasceu em uma família muito rica na Dalmácia, hoje Croácia, no ano 347. Com a morte dos pais, herdou uma boa fortuna, que aplicou na realização de sua vocação para os estudos, pois tinha uma inteligência privilegiada. Viajou para Roma, onde procurou os melhores mestres de retórica e desfrutou a juventude com uma certa liberdade. Jerônimo estudou por toda a vida, viajando da Europa ao Oriente com sua biblioteca dos clássicos antigos, nos quais era formado e graduado doutor.

Ele foi batizado pelo papa Libério, já com 25 anos de idade. Passando pela França, conheceu um monastério e decidiu retirar-se para vivenciar a experiência espiritual. Uma de suas características era o gosto pelas entregas radicais. Ficou muitos anos no deserto da Síria, praticando rigorosos jejuns e penitências, que quase o levaram à morte. Em 375, depois de uma doença, Jerônimo passou ao estudo da Bíblia com renovada paixão. Foi ordenado sacerdote pelo bispo Paulino, na Antioquia, em 379. Mas Jerônimo não tinha vocação pastoral e decidiu que seria um monge dedicado à reflexão, ao estudo e divulgação do cristianismo.

Voltou para Roma em 382, chamado pelo papa Dâmaso, para ser seu secretário particular. Jerônimo foi incumbido de traduzir a Bíblia, do grego e do hebraico, para o latim. Nesse trabalho, dedicou quase toda sua vida. O conjunto final de sua tradução da Bíblia em latim chamou-se "Vulgata" e tornou-se oficial no Concílo de Trento.

Romano de formação, Jerônimo era um enciclopédico. Sua obra literária revelou o filósofo, o retórico, o gramático, o dialético, capaz de escrever e pensar em latim, em grego, em hebraico, escritor de estilo rico, puro e eloqüente ao mesmo tempo. Dono de personalidade e temperamento fortíssimo, sua passagem despertava polêmicas ou entusiasmos.

Devido a certas intrigas do meio romano, retirou-se para Belém, onde viveu como um monge, continuando seus estudos e trabalhos bíblicos. Para não ser esquecido, reaparecia, de vez em quando, com um novo livro. Suas violências verbais não perdoavam ninguém. Teve palavras duras para Ambrósio, Basílio e para com o próprio Agostinho. Mas sempre amenizava as intemperanças do seu caráter para que prevalecesse o direito espiritual.

Jerônimo era fantástico, consciente de suas próprias culpas e de seus limites, tinha total clareza de seus merecimentos. Ao escrever o livro "Homens ilustres", concluiu-o com um capítulo dedicado a ele mesmo. Morreu de velhice no ano 420, em 30 de setembro, em Belém. Foi declarado padroeiro dos estudos bíblicos e é celebrado no dia de sua morte.

4 comentários:

  1. A imagem de São Jerônimo revela aquilo de mais importante fez este grande santo. Seu trabalho, feito no Século IV é útil à Igreja e à humanidade até os dias de hoje. Por isso, as representações de São Jerônimo são cheias de símbolos. Vamos compreende-los.

    A barba branca de São Jerônimo

    A barba branca de São Jerônimo simboliza sua idade avançada, mas, principalmente, sua sabedoria. Ele faleceu em 30 de setembro de 420, aos 78 anos. Homem extremamente culto e sábio. Era poliglota e profundo conhecedor das línguas semíticas, principalmente o Hebraico, o aramaico e o grego. Foi secretário do Papa Dâmaso e ajudou a combater grande heresias. Fundou mosteiros para homens e mulheres na Terra Santa e traduziu a Bíblia das línguas originais para a língua falada pelo povo de então, o Latim. A braba branca de São Jerônimo representa toda esta bagagem.

    O hábito marrom de São Jerônimo

    O hábito marrom de São Jerônimo representa sua simplicidade e humildade de vida. Apesar de sua grande cultura, apesar de ter sido secretário do Papa e de ter frequentado a mais alta sociedade em Roma, São Jerônimo passou a maior pare de sua vida, 35 anos, vivendo numa caverna, fazendo suas traduções e dedicando-se à oração e à penitência. Vivia uma vida extremamente simples, tendo somente o necessário para viver.

    O livro nas mãos de São Jerônimo

    O livro nas mãos de São Jerônimo simboliza o título de doutor da Igreja, dado a ele por causa da importância dos escritos que ele deixou. Simboliza também sua grande cultura, conhecimento literário e seu conhecimento das Sagradas Escrituras.

    A pena de São Jerônimo

    A pena na mão direita de São Jerônimo simboliza todo o trabalho de tradução das Sagradas Escrituras que ele fez durante 35 anos. No seu tempo, as Sagradas Escrituras eram encontradas apenas em Hebraico e Grego. São Jerônimo traduziu tudo para o Latim, a língua falada pelo povo. Esta sua tradução foi chamada de 'Vulgata', que quer dizer 'comum' ou 'de uso comum'. Esta versão da Bíblia feita por São Jerônimo ultrapassou 1500 anos e é usada até hoje.

    O Leão de São Jerônimo ' primeiro significado

    O Leão ao lado de São Jerônimo tem dois significados. O Primeiro é o do próprio animal. Conta-se que, certo dia, quando São Jerônimo estava trabalhando na caverna com mais alguns monges, apareceu um leão com uma pata ferida. Todos fugiram, menos São Jerônimo, que foi até o animal e viu que sua pata estava cheia de espinhos. Rapidamente o santo ganhou a confiança do felino, tirou-lhe os espinhos e curou-lhe as feridas. A partir de então, o leão tornou-se um animal de estimação de São Jerônimo, acompanhando-o por todos os lugares.

    O Leão de São Jerônimo ' segundo significado

    O segundo significado do Leão de São Jerônimo é que este animal simboliza o próprio Jesus Cristo, por causa de sua majestade, força e serenidade. Jesus é chamado de o 'Leão da Tribo de Judá'. E isso tem tudo a ver com o trabalho de tradução das Sagradas Escrituras feito por São Jerônimo. Com efeito, Jesus Cristo é a própria Palavra de Deus personificada. Ele é o 'Verbo de Deus' como diz são João. Ao traduzir a Palavra de Deus para uma linguagem popular, São Jerônimo tornou a pessoa de Jesus mais acessível ao povo.

    O crânio perto de São Jerônimo

    O crânio perto de São Jerônimo, que aparece em algumas de suas representações, simboliza a morte para o mundo e para os prazeres mundanos e passageiros. São Jerônimo viveu esta realidade. Homem extremamente culto, professor, linguista, profundo conhecedor dos clássicos autores latinos, ele poderia se valer disso para ter uma vida cercada de luxo. Ao contrário, porém, escolheu viver a maior parte de sua
    vida dentro de uma caverna em Belém.

    ResponderExcluir
  2. Incrivel a historia de Sao Jeronimo. Nao a conhecia.

    ResponderExcluir
  3. Incrivel a historia de Sao Jeronimo. Nao a conhecia.

    ResponderExcluir

Clique no banner abaixo para comprar os livros de Hugo Goes