Clique no banner abaixo para comprar os livros de Hugo Goes

Os ratos não resistem às alturas

Logo após a primeira Guerra Mundial, De Haviland, jovem piloto inglês, experimentava o seu frágil avião monomotor numa arrojada volta ao redor do mundo.

Pouco depois de levantar voo de um dos pequenos e improvisados aeródromos na Índia, ouviu um estranho ruído que vinha de trás de seu assento. Logo percebeu que havia um RATO a bordo e que este poderia roer a cobertura de lona, destruindo seu frágil avião.

Ele poderia voltar ao aeroporto para livrar-se de seu incômodo, perigoso e inesperado companheiro de viagem. Lembrou-se, contudo, de que os ratos não resistem a grandes alturas.

Voando cada vez mais alto, percebeu, pouco a pouco, que cessaram os ruídos que quase punham em risco sua viagem.

Assim é a vida...

Quando "RATOS" ameaçarem destruir você por inveja, calúnia ou maledicência, voe mais alto!

Se lhe agredirem... voe mais alto!

Se lhe ofenderem... voe mais alto!

Se lhe acusarem... voe mais alto!

Se lhe criticarem... voe mais alto!

Se lhe cometerem injustiças... voe mais alto!

Lembre-se: os "ratos" não resistem às alturas.

(Autor desconhecido)

5 comentários:

  1. Professor, no último concurso do ATA não caiu previdenciário.
    O senhor acha que nesse próximo concurso de 2014 existe a possibilidade de cair?

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. e se esse rato for um morcego professor ?


    brincadeiras à parte, muito bom o texto

    ResponderExcluir
  4. Vivemos e convivemos com isso diariamente.

    ResponderExcluir