Clique no banner abaixo para comprar os livros de Hugo Goes

"Sou a favor das cotas econômicas e raciais para universidades e estágios, mas contra quaisquer cotas nos concursos. A lógica é simples: uma coisa é dar condições para competir (estudo), outra é criar, na competição pelas vagas, uma distinção não baseada no mérito. Isso significa a redução do critério do mérito o que, finalmente, leva à acomodação do governo, que, fatalmente, deixará de resolver os problemas reais da estrutura. Ao invés de criar políticas que tornem os segmentos capazes de competir, o governo, ao que parece, prefere fraudar a competição."

William Douglas, Juiz Federal, professor e escritor.

5 comentários:

  1. http://www.pciconcursos.com.br/comopassar/as-cotas-para-negros-por-que-mudei-de-opiniao

    ResponderExcluir
  2. será que é tão difícil de perceber que tudo isso que o governo ta fazendo é jogo político.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Caso essa "aberração" venha a se concretizar, em um cálculo simples, como suposição, em um concurso com 100 vagas, se 20% forem reservados para DF, e mais 20% para negros; você, branco pobre, com poucas oportunidades, concorrerá aos 60% restantes de vagas. Nesse pacote de concorrentes aos 60% restantes estão todos aqueles que tiveram uma boa educação e muito mais oportunidades.

    Não precisa ser bom em números para ver que com essa política estaríamos condenando o branco pobre a uma probabilidade bem pequena de entrar no sistema mais democrático de se vencer na vida que AINDA existe nesse pais, concurso Público.

    Inventem outro método, o racial é discriminador. Concurso Público é MÉRITO. Se querem criar cotas que comecem com CARGOS ELETIVOS. Uma boa ideia para o ano que vem então, 20% dos cargos eletivos proporcionais serão para negros.


    Além disso, com a aprovação dessa lei, abrirá precedente para outras classes também pleitearem seus direitos em respeito a isonomia emanada pela CF\88. Índios, por exemplo, com mais 20%, nesse caso só restariam 40% para concorrer toda a massa.

    Defender uma "bandeira" é complexo e necessita de uma análise minuciosa na busca de não discriminar ainda mais quem já é discriminado por vida. Que a justiça seja feita e que nos deixem acreditar que ainda é possível lograr êxito com esforço pessoal, assim como o concurso público proporciona. Temo por demagogias pregadas por políticos com interesses alheios ao bem comum.

    só quem se beneficiará com essas cotas serão os filhos de negros ricos, tais como o do Ministro do STF Joaquim Barbosa. Os negros pobres permanecerão na mesma.

    " cotas para negros discrimina o branco pobre"

    ResponderExcluir
  5. ah!, não acredito mais em Willian Douglas. Vira casaca. Ele não tem opinião formada e vai com o que mais lhe convém na busca de beneficio financeiro.

    ResponderExcluir