Clique no banner abaixo para comprar os livros de Hugo Goes

Os deputados me chamaram de mentiroso: eles criaram a regra 3

Eu sempre disse a meus alunos:
Só existem duas regras para passar em concursos públicos:
Regra nº 1: estude!
Regra nº 2: não esqueça a Regra nº 1.
Mas com a aprovação das cotas raciais nos concursos públicos (projeto de lei proposto por Dilma), infelizmente, os deputados criaram a REGRA 3, onde menos vale mais.

Decifrando a REGRA 3: Agora, nos concurso públicos, a menor nota vale mais (o menos vale mais), desde que o percentual de melanina da pele do candidato seja maior.

Vinicius de Moraes faz referência à REGRA 3 na seguinte música:
"Tantas você fez que ela cansou / Porque você, rapaz / Abusou da regra três / Onde menos vale mais."

36 comentários:

  1. Lamentavel!! maldita Dilma, eu nunca votei nela e nuca votarei

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tb não gosto da Dilma, mas isso não tem nada a ver com ela. Trata-se de um projeto de lei, portando, a culpa é de quem votou a favor. Não podemos confundir executivo (presidente-ministros) com o legislativo (deputados e senadores). Na minha opinião a gde merda desse país está no congresso, no legislativo. A gente não pensa na hora de votar para deputado e senador...e são justo eles que aprovam leis ridículas como essa das cotas. O projeto passou por uma maioria esmagadora. Somente 36 bravos deputados rejeitaram a proposta. O mínimo que vc deveria fazer eh chegar se o deputado em quem vc votou se posicionou a favor ou contra a proposta. A informação eh pública. http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/cotas-para-negros-em-concurso-veja-como-cada-deputado-votou/
      Eu já verifiquei, e fiquei contentíssima em ver que os meus votos estão indo para a direção correta. Meu deputado sempre vota de acordo com meus valores. Ele foi contra o projeto. Abços e vote consciente.

      Excluir
  2. meu Deus..toda minha indignação...e tristeza...

    ResponderExcluir
  3. será que tem algo que podemos fazer ? quem ira defender os brancos pobres ?

    ResponderExcluir
  4. Sempre que vou responder algum questionário e me deparo com a pergunta: qual sua raça? fico indignada e em dúvida... indignada por que acredito que somos todos da raça humana, em dúvida por que preciso preencher... Acabo sempre optando por "PARDA", mas nem eu sei se sou parda... é tenso!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também respondo "Parda", porque li que branco é europeu. E não sou europeia nem filha de europeus. E aí?

      Excluir
  5. Deus tenha piedade de tanta ignorância. NUNCA vai acabar essa forma de perceber pessoas conforme sua cor. O próprio governo e quem nos representa perpetuam essa forma desgraçada de ver o ser humano.

    ResponderExcluir
  6. SOU BRANCO, MAS com tudo isso, os negros ainda FICARÃO COM A MINORIA DAS VAGAS, seja em concursos públicos, seja em cargos políticos, seja em qualquer situação de poder! E já que eles são A MAIORIA no BRASIL , nada mais justo! JÁ que a democracia tem que ser a favor da maioria do POVO!!!!

    ResponderExcluir
  7. Prof. Hugo, boa tarde!
    Poderia por gentileza me dizer sua opinião sobre a proposta de reforma política da CNBB? http://www.reformapoliticademocratica.com.br/cnbb-reforma-polititica-democratica-coleta-de-assinaturas/

    Pelo pouco que li até o momento, não me pareceu ser algo bom. Inclusive, na minha opinião, são propostas que parecem flertar com a esquerda e favorecer o PT: financiamento exclusivamente público de campanhas (não favoreceria o atual e maior partido?), equiparação do número de homens e mulheres no meio político (igualdade em cotas ao invés de igualdade de regras que favoreçam o mérito), etc.

    O que você acha?
    Obrigado!
    Abçs!
    Alexandre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou ler o documento.

      Mas posso adiantar que a CNBB, fundada por D. Hélder Câmara, sempre recebeu muita influência da teologia da libertação.

      A teologia da libertação nada mais é que a infiltração do marxismo na Igreja Católica. No linguajar marxista isto se chama "entrismo".

      Excluir
    2. Li, é verdade: as propostas da CNBB parecem flertar com a esquerda e favorecer o PT.

      Excluir
    3. Prof. Hugo,
      Obrigado pela resposta! Muito obrigado mesmo! Vou conversar com o padre de minha paróquia, pois eles estão colhendo assinatura das pessoas para este propósito da reforma política...
      Obrigado mais uma vez por ser LUZ e SAL DA TERRA!
      Agradeço a Deus por sua vida e por seus ensinamentos!

      Abçs!
      Fique com Deus e que Ele continue nos abençoando!

      Excluir
    4. Li ultimamente que muitos membros da CNBB estão empenhados em levar este MAL (comunismo) adiante, agindo desta forma contra a Igreja e contra o que já ensinaram diversos Papas (infalivelmente) a esse respeito (tanto é que o comunismo ou simplesmente ajudar causas comunistas, propagá-las, etc. é motivo de excomunhão automática).
      Com todo o respeito que tenho por nossa igreja, tenho pensado nos últimos dias se agindo contra uma proposta da CNBB eu não estaria agindo contra nossa igreja, pois não quero ser desobediente nem fazer nada contra ela. E na minha busca por estas respostas encontrei muita orientação me esclarecendo que nós católicos podemos sim descordar da CNBB, com todo o respeito aos bispos, que são sucessores dos Apóstolos, mas porque a CNBB enquanto entidade não possui esse mesmo direito apostólico, visto que as Conferências Episcopais, como disse o então Cardeal Ratzinger, não tem caráter divino. Vi por exemplo este caso de 2005, muito parecido sobre um posicionamento da CNBB e uma análise do professor Orlando Fedeli: http://www.montfort.org.br/old/index.php?secao=veritas&subsecao=igreja&artigo=pt_cnbb&lang=bra

      Obrigado professor Hugo! E continuemos rezando a Deus que nos mostre sempre qual é o caminho a ser seguido para que façamos Sua vontade e para que possamos desta forma "combater o bom combate, completar a corrida e guardar a fé"!
      Fique com Deus e que Ele continue nos abençoando!

      Excluir
  8. Fenômeno dos anos pares. Construir popularidade a qq custo.

    ResponderExcluir
  9. Art. 19. É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios:

    I - estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencioná-los, embaraçar-lhes o funcionamento ou manter com eles ou seus representantes relações de dependência ou aliança, ressalvada, na forma da lei, a colaboração de interesse público;

    II - recusar fé aos documentos públicos;

    III - criar distinções entre brasileiros ou preferências entre si.

    Eles foram contra a própria CF. Acho que um Processo bem feito pode anular uma palhaçada dessas!!!

    Isso é mais do que uma demonstração de RACISMO. Dizer que os Afrodescendentes não tem condições de competir intelectualmente com os brancos. O que mais me admira é que muitos Negros ainda se acham beneficiados com tal insulto!!!

    ResponderExcluir
  10. Tá, agora estamos inconformados diante de tanta ignorância e tantos outros adjetivos!!! Nunca tive preconceito contra ninguém, mas agora estou indignada com essa decisão e acho isso é preconceito contra nós brancos! Então quer dizer que podemos e devemos reverter a situação, que preconceito é esse contra os brancos???? De distinguirem nós de negros? Isso é um absurdo.

    ResponderExcluir
  11. Poderia morrer sem ter presenciado essa decisão. Quanta ignorância!!!!

    ResponderExcluir
  12. Particularmente, sou a favor dessas cotas também em concursos públicos. Não vejo muita diferença dos vestibulares. Acho justo para reparar a injustiça socio-economica aos negros imposta desde muito tempo. Devemos tomar cuidado para não nos fecharmos em nossa redoma classe média, ainda que um dia tenhamos sidos pobres. Os concursos nunca foram um lugar de justiça social, ou exemplo de meritocracia, a verdade é que aqueles que podem sonhar com uma vaga são felizardos (independente de aprovação) e sortudos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cotas nas Universidade são toleráveis, pois representam a criação de políticas que tornem os segmentos capazes de competir.

      Mas cotas nos concursos públicos significa fraudar a competição.

      Excluir
    2. concordo professor, e é só isso que vai acontecer fraude, já tem nas universidades nos concursos não vai ser diferente.
      A exemplo disso é a matéria que tem no G1!!!

      Excluir
    3. Fernando, isso é que vc chama de justiça social, venho da roça sempre estudei em escolas pública que inclusive era uma merda, estou lutando para conseguir uma vaga em concurso público com grande dificuldade por não ter tido um estudo decente, e agora vai ser muito mais difícil passar em um concurso, é isso que vc chama de igualdade social.
      E os brancos e pobres como fica.

      Excluir
    4. se fosse assim não teríamos um negro no stf.

      Excluir
  13. http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2014/03/promotoria-investiga-41-suspeitas-de-fraude-no-sistema-de-cotas-na-uerj.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma delas, é negra e cotista. A estudante — que preferiu não ter o nome revelado — disse que o “sistema de cotas é confuso, subjetivo e que permite a autodeclaração. A partir do momento em que ela [Vanessa] se considera negra é uma opinião dela, não tenho como ir contra”, afirmou.
      Se consedera negra ( loira dos olhos azuis), só tem espertinho nesse país.

      Excluir
  14. olha ai a notícia que tem no site da globo, é isso que vai acontecer nos concursos públicos.
    O Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) investiga 41 alunos que teriam fraudado o sistema de cotas para ingressar na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj). O G1 teve acesso ao inquérito que lista estudantes de diferentes cursos — alguns com cabelos e olhos claros — que prestaram o vestibular e ocupam, atualmente, vagas reservadas para negros e indígenas na instituição

    ResponderExcluir
  15. Professor, ajude a divulgar a relação dos deputados que votaram a favor do projeto. E os que votaram contra tb neh..:) Também seria bom esclarecer para o pessoal que simplifica tudo em #foraPT para se familiarizarem mais com a política. Eu não voto no PT, mas não posso jogar a culpa toda em um partido. Nós todos devemos assumir a responsabilidade por um país melhor. Precisamos votar consciente. Entender o mínimo de política. Precisamos dirigir nossos olhos para fiscalizar o Legislativo, por meio dos deputados e senadores em quem votamos. Abços e parabéns pelo posicionamento neste assunto tão sensível.

    ResponderExcluir
  16. http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/cotas-para-negros-em-concurso-veja-como-cada-deputado-votou/

    ResponderExcluir
  17. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  18. Professor, o assunto que quero colocar não é o de cotas, mas queria me expressar. Eu acho essa barreira estipulada pelo Decreto 6944/2009 um verdadeiro prejuízo aos candidatos, não sei se também à administração... Fiz o concurso do INSS ANALISTA, PARA A ÁREA DIREITO, RECENTEMENTE, E POSSIVELMENTE MEU NOME NÃO ESTARÁ NA LISTA DE APROVADOS, POR CAUSA DA LIMITAÇÃO DO NÚMERO DE APROVADOS QUE ESSE DECRETO ESTABELECE. NO MEU CASO, SOU DE RECIFE E EFIZ PARA O NORDESTE. COMO PODEM SER CLASSIFICADOS APENAS 15 PESSOAS? EXISTE ATÉ PROJETO DE LEI PARA ACABAR COM ESSE ART. 16 DE TAL DECRETO (http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra;jsessionid=6B538544070403BCEA647FB168717471.node1?codteor=1033701&filename=Avulso+-PDC+710/2012) PROFESSOR, NÃO EXISTE NENHUMA POSSIBILIDADE DE ESTE CONCURSO HOMOLOGAR TODOS OS APROVADOS? O SENHOR CONHECE ALGUM MANDADO DE SEGURANÇA DESTE ASSUNTO?

    ResponderExcluir
  19. Professor, acredito que sua colocação "Menos vale mais" pode ser muito infeliz e não menos discriminatória. Pois, é também muito injusto quando se busca, se prepara e corre atrás dos objetivos e se descobre que devido a quantidade de melaninas ainda há um outro obstáculo.
    Idealize a frustação de alguém que trabalhe em uma empresa, ocupando mesma função que outros colegas, formação técnica, experiência, responsabilidades, “mas” que é negro. É justo que esta pessoa não faça jus ao cargo e salário compatível a função. A média desta diferença é 40% a 50% menos. Assim sendo, entendo que o valor se dá pelo tom da pele, onde mais melanina, menos $. E digo lhe, não foi o IBGE quem me contou, isso ocorreu comigo e isso é só uma parte, um breve relato.
    Outro ponto professor, independente de cotas, será necessário estudar e muito, pois a população negra é muito grande. O que talvez possamos refletir é na forma de nivelamento racial, já que em empresas privadas o intelecto não é suficiente.
    Gostaria que nossa realidade fosse outra e quando tantos se opõem a projetos desta natureza, pudessem também se aproximar, conversar e vivenciar com colegas, amigos ou vizinhos “negros” um pouco de suas experiências e saíssem da zona de conforto ao presenciarem situações de discriminação, pois vir aqui e reclamar é muito fácil, mas o problema é maior, então não sejamos hipócritas diante da realidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  20. Perfeita a Lepereira em suas colocações.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Reginaldo. Penso ainda, como docente, serem muito perigosas as opiniões expressas de formadores de opinião, pois estas podem se tornar tendenciosas e desprovidas da essência e realidade.

      Excluir
  21. Se o Brasil fosse menos racista, essas cotas não seriam necessárias, pois as pessoas negras e afrodescendente teriam igual condição de estudo e igual condição no mercado de trabalho, já que a cor da pele não seria requisito para ser contratado ou não. Mas, o pensamento do brasileiro está muito aquém de um pensamento racional e igualitário, e a maioria dos comentários aqui, principalmente, a infeliz observação do professor, só demonstra que demoraremos muito a ser um país que não precise de cotas. Sou a favor das cotas para os negros, como também sou a favor que se crie cotas para as mulheres. Assim como as cotas para os negros, a criação de cotas para as mulheres não significaria que elas são inferiores aos homens, mas que estão menos inseridas no mercado de trabalho por conta de uma cultura machista. Só uma observação: não faço parte do grupo das cotas, mas mesmo assim, sou a favor delas, e não me sinto prejudicada. Inclusive acabo de passar em um concurso público da prefeitura de SP. Acho que se você estuda, há uma vaga pra você, independente de cotas.

    ResponderExcluir