Clique no banner abaixo para comprar os livros de Hugo Goes

Questões elaboradas pelo Prof. Hugo Goes - Nº 11

11. (Hugo Goes - 2014) Adolfo, um mês depois de conseguir seu 1º emprego, cometeu crime, sendo condenado a 20 anos de reclusão. Onze meses após o livramento, Adolfo, desempregado, sofreu acidente que o deixou incapacitado para o trabalho por mais de 15 dias consecutivos. Nessa situação,
A) Adolfo terá direito ao recebimento de auxílio-doença.
B) Adolfo não terá direito ao auxílio-doença, pois não cumpriu o período de carência.
C) Adolfo não terá direito ao auxílio-doença, pois já perdeu a qualidade de segurado.
D) Adolfo receberá auxílio-doença apenas por um período de 30 dias, pois no mês seguinte, se não recolher contribuições, perderá a qualidade de segurado.
E) Como se trata de acidente, Adolfo terá direito ao auxílio-doença, independentemente de realização de perícia médica.

Gabarito: A

MAIS QUESTÕES

45 comentários:

  1. Penso que seja a E. Mas pergunto: Se Adolfo está DESEMPREGADO como o acidente o incapacita para o TRABALHO? Aff. vou pensar em adolfo o dia todo hj , rs!!! BOM DIAAAAA!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Terezinha,

      bom dia.

      Pelo simples motivo que ele não precisa estar trabalhando para se incapacitar para o trabalho. E se ele quer trabalhar depois disso? Ele não está incapacidado para o trabalho não do mesmo jeito? Está. Bons estudos e Deus nos ilumine na hora da prova.

      Excluir
    2. CORRETA (A) _ . Independe de carência a concessão do auxílio-doença e aposentadoria por invalidez nos casos de acidente de qualquer natureza ou causa e de doença profissional ou do trabalho, bem como nos casos de segurado que, após filiar-se ao Regime Geral de Previdência Social, for acometido de alguma das doenças e afecções especificadas em lista elaborada pelos Ministérios da Saúde e do Trabalho e da Previdência Social

      Excluir
    3. CORRETA (A) _ . Independe de carência a concessão do auxílio-doença e aposentadoria por invalidez nos casos de acidente de qualquer natureza ou causa e de doença profissional ou do trabalho, bem como nos casos de segurado que, após filiar-se ao Regime Geral de Previdência Social, for acometido de alguma das doenças e afecções especificadas em lista elaborada pelos Ministérios da Saúde e do Trabalho e da Previdência Social

      Excluir
    4. Agora não não mais.O cálculo para limitar o valor do auxílio-doença será feito segundo a média aritmética simples dos últimos 12 salários de contribuição. Se atualiza!

      Excluir
    5. Agora não não mais.O cálculo para limitar o valor do auxílio-doença será feito segundo a média aritmética simples dos últimos 12 salários de contribuição. Se atualiza!

      Excluir
  2. A de A gente aprende com o professor Hugo!Bom dia professor!!!Deus te abeçoe!!!

    ResponderExcluir
  3. nem cespe e fcc são tão dificeisssssssssssss... vou de A

    ResponderExcluir
  4. num tô acertando nenhuma.
    Deus me acuda!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. melhor errar aqui do que na prova =), quando eu erro penso assim kkkkkk

      Excluir
    2. Concordo com vc caro colega pois errar aqui é apenas mais um incentivo para continuar estudando e aperfeiçoar nossos conhecimentos. valewwwww...

      Excluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. letra B , errada porquanto nao precisa carência para acidentes de qualquer natureza , basta ter qualidade de segurado .
    letra C , errada porquanto adolfo nao perdeu a qualidade de segurado , visto que , ele terá 12 meses após o livramento .
    letra D , errada porquanto nao ha previsao na lei 8.213 de ele receber 30 dias , pode ser mais ou menos , e se fosse manteria a qualidade de segurado enquanto perdurasse o beneficio .
    letra E , é a mais errada kkkk , pois nao ha deferimento de auxilio doença sem pericia medica previa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi davi, tudo bom?
      E caso tivesse passado esses 12 meses após a liberdade? Ele não teria direito ao auxílio doença certo?

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. se ele comprovasse estar desempregado sim, aumentaria em 12 meses seu período de graça.

      Excluir
  7. e vale salientar que esses 15 dias ai citados nao interferi em nada , poderia ser mais ou menos que isso , devido a sua categoria , foi colocado pelo professor hugo goes sabiamente só para confundir seus alunos , otima questao !

    ResponderExcluir
  8. Não será exigido carência de 12 contribuições mensais para o auxílio - doença motivados por acidente de qualquer natureza ou causa. ( Letra A )

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Letra A...

    Comentários:

    Letra B. Auxílio doença acidentário, de qualquer natureza, prescinde de carência.
    Letra C. Adolfo só perderia a qualidade de segurado no 12º mês após o livramento. (Art. 15, Inciso IV)
    Letra D Errada e nem precisa de comentário, né??!!
    Letra E. Auxilio doença previdenciário (12 meses de carência) ou acidentário (sem carência) precisa passar por perícia do INSS...

    ResponderExcluir
  11. Professor Hugo, por favor, me diga: nessa questão, se ele fosse acometido de uma doença, por exemplo apendicite, ele não poderia receber o auxílio-doença, certo? Pois nesse caso exigiria a carência de 12 meses e ele ainda não possui. Estou certo?

    ResponderExcluir