Clique no banner abaixo para comprar os livros de Hugo Goes

Questões Cesgranrio - Nº 28

28. (Cesgranrio – Técnico Previdenciário – 2005) – Caio, em maio de 2000, separou-se, judicialmente, de Maria. Na referida separação, acordou-se, judicialmente, que Caio não iria pagar pensão alimentícia à ex-esposa e que só iria pagar tal encargo para Ana, filha do casal, 19 anos. Em agosto de 2002, Caio conhece Teresa, com a qual vem a morar e manter união estável. Em agosto de 2004, Caio falece. Quem tem direito à pensão por morte, na qualidade de dependente de Caio?
a) Maria, Ana e Teresa.
b) Maria e Ana.
c) Ana e Teresa.
d) Ana.
e) Teresa.


Gabarito: E

MAIS QUESTÕES

48 comentários:

  1. E- Obrigado senhor Jesus por tudo.

    ResponderExcluir
  2. Bom dia galera! Bom dia professor! Bom dia Jesus!
    Letra E.

    ResponderExcluir
  3. Letra E, somente tereza
    Na data do falecimento Ana, filha de caio já havia completado 21 anos.
    Maria não tinha direito de ser mais dependente de caio por desprezar a pensão alimenticia.
    Lembrando que se na data do falecimento de caio maria passasse por dificuldades superveniente, maria iria dividir a pensão com tereza.
    Bom dia pessoal

    ResponderExcluir
  4. TERESA, a companheira, pois a filha ultrapassou a idade de 21 anos, e a ex-esposa nao recebia pensao* EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE

    ResponderExcluir
  5. João fora casado com Maria, com quem teve três filhos,
    João Junior, de 22 anos e universitário; Marília, com
    18 anos e Renato com 16 anos, na data do óbito de João,
    ocorrido em dezembro de 2011. João se divorciara de Ma-
    ria que renunciou ao direito a alimentos para si. Poste-
    riormente, João veio a contrair novas núpcias com Norma,
    com quem manteve união estável até a data de seu óbito.
    Norma possui uma filha, Miriam, que mora com a mãe e
    foi por João sustentada. Nessa situação, são dependen-
    tes de João, segundo a legislação previdenciária:

    (A) João Junior, Marília e Renato.
    (B) João Junior, Maria, Marília, Renato e Norma.
    (C) Marília, Renato, Miriam e Norma.
    (D) Maria, João Junior, Marília, Renato e Norma.
    (E) João Junior, Marília, Renato, Maria, Norma e Miriam

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. para fins didáticos, vamos comentar justificando sempre o que respondemos

      Excluir
    2. C, pois João Júnior não é mais dependente.

      Excluir
    3. quem sabe dizer por que Miriam, letra C é dependente, já q nao mora com o segurado, nem é sua filha?

      Excluir
    4. Acredito que por ser enteada e existir dependência econômica, já que a questão diz que foi sustentada por João, porém, desde que haja uma declaração por escrito do segurado informando que quer que seja seu dependente para fins previdenciário, por isso a alternativa C é a que mais se aproxima da resposta.

      Excluir
    5. Por exclusão é letra C, pois João já perdeu a qualidade de dependente.

      Excluir
    6. Resposta letra C, mas a questão esta incompleta, pois não fala se Miriam é menor ou maior de 21 anos.

      Excluir
  6. E-Bom dia,professor!!Deus te abençoe!!!

    ResponderExcluir
  7. E - somente Teresa, Ana já teria 23 anos da data do óbito de João e Maria não recebia qualquer tipo de pensão.

    ResponderExcluir
  8. Respostas
    1. francisco erinaldo quero agradecer por a ajuda que voce me prestou na questão n° 26 que era referente a aposentadoria por tempo de contribuição. Baixei e li a EC 20/1998 e realmente vi o que você estava querendo dizer. A lei diz que quem pedir esse tempo de aposentadoria tem que adicionar mais 40% do tempo que falta para ter direito a esse tipo de aposentadoria(30 anos). Como faltava 6 anos para ele ter direito em 98 adiciona mais 40% de 6 que é 2,4. Então na data ele deveria ter 32,4 de tempo de contribuição.
      Agora gostaria que você me tirasse uma dúvida, esses 2,4 que corresponde a 40% de seis anos é igual a 2 anos e 4 meses?
      Gostaria de sua resposta e muito obrigado pela ajuda.
      Não sei se você viu, mas na prova de tecnico de 2012 tem uma questão dessa, que fala de uma segurada, e nessa questão ela tem direito a proporcional, fiz os calculos e confirmei.
      Agora não esquece não, tira a minha dúvida se possível. Tudo de bom e bons estudos

      Excluir
    2. Olá Wbzr. Espero que eu possa ajudá-lo. Os 2,4 correspondem a ANOS (2 anos completos + 0,4 anos). Você deverá transformar 0,4 anos em meses, através de regra de três. Isso dará 4,8 meses (4 meses completos + 0,8 meses). Você deverá transformar 0,8 meses em dias, que será igual a 24 dias. Total: 2 anos, 4 meses e 24 dias. Qualquer coisa, o francisco erinaldo pode nos confirmar isso. Bons estudos.

      Excluir
    3. Muito obrigado Augusto faz todo o sentido sua explicação, eu preciso disso também para fazer com exatidão o calculo de conversão de aposentadoria especial, pois os anos batem, porém não acontece isso com os meses.
      Vou rachaar a cuca para fazer essa conversão usando a regra de três. Qualquer dúvida vou postar aqui. É bom assim, todos ajudando um ao outro.
      Muito obrigado e bons estudos.

      Excluir
    4. Augusto, muito obrigado, fiz a regra e bateu certinho, muito obrigado, com certeza(ou, acho que) essa regra serve para a conversão, para saber com exatidão a convresão de aposentadoria especial com especial, ou de aposentadoria especial para comum.
      Estou muito feliz por ter aprendido isso.

      Excluir
    5. Olá Wbzr. Você pode sim usar a regra de três para fazer a conversão de aposentadoria especial. Bom poder tê-lo ajudado. Continuemos com os estudos.

      Excluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir