Clique no banner abaixo para comprar os livros de Hugo Goes

TCU recomenda que INSS e MPOG elaborem um plano de reposição dos servidores da autarquia


Em sessão realizada no dia  9/7/2014, após realização de Auditoria Operacional, os Ministros do Tribunal de Contas da União recomendaram ao INSS e ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), conjuntamente, que:
1. elaborem plano de continuidade de negócios que estabeleça procedimentos a serem efetuados em um cenário de aposentadorias em massa no INSS, no sentido de mitigar danos e permitir que o INSS mantenha suas atividades críticas em um nível aceitável;
2. elaborem plano  de reposição dos servidores em condições de aposentadoria, principalmente para as unidades com maiores índices de servidores recebendo abono permanência;
3. elaborem estudo no sentido de flexibilizar as regras de cálculo da  gratificação de desempenho nos proventos dos servidores aposentados do INSS, de maneira a permitir que os servidores em abono permanência possam se aposentar gradativamente.

O relatório do TCU também recomenda ao INSS que insira, nos critérios dos próximos Estudos de Lotação Ideal, a reposição prévia de servidores que implementem todas as condições de aposentadoria.

O acórdão do TCU também determina ao INSS e ao MPOG que encaminhem ao Tribunal, no prazo de 90 dias a contar do Acórdão, Plano de Ação que contenha o cronograma de adoção das eventuais medidas necessárias à implementação das deliberações acima, com a identificação dos responsáveis.

Clique aqui e confira o inteiro teor do ACÓRDÃO.

11 comentários:

  1. Não entendi muito bem o que essa noticia quis dizer.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Texto extremamente cansativo com estudos, estimativas, previsões, ilações, suposições, porcentagens sem nexo, e no final das contas quem realmente manda é o MPOG, muita burocracia ou muita "preocupação" com o dinheiro publico.
    Em suma, o cidadão que usa os serviços públicos sejam eles previdenciários ou não, é em verdade o financiador desse sistema através dos tributos invisíveis à grande massa, e portanto, no mínimo deveria ser tratado com mais objetividade mais presteza, mais clareza.
    Uma Autarquia como o INSS que é sem duvida a repartição publica mais requisitada do país, não deveria ter estudos para reposição de pessoal, deveria ter sistematicamente concursos de dois em dois anos, para assim dar ao contribuinte o mínimo de respeito a que se tem direito. Falo isso com conhecimento de causa, pois trabalho como terceirizado em uma APS em Minas Gerais e o tratamento é desumano tanto para que aguarda atendimento quanto para quem atende. CONCURSO É A SOLUÇÃO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pena q aqui não é Facebook,senão,eu ia "curtir" seu comentário,amigo!

      Excluir
  4. Professor não entendi essa noticia?
    Vc poderia nos explicar?
    abraços

    ResponderExcluir
  5. Bom. Parece que o TCU está forçando o INSS se recompor, como ele não pode sozinho está meio que obrigando o MPOG atuar junto com o INSS para recompor seu quadro, que como não pode fazer contração avulsas, a solução seria CONCURSO.

    E que em 90 dias ele, o TCU, que uma posição dos dois o que eles irão fazer, como irão fazer e quando?

    Foi isso que entendi.

    ResponderExcluir
  6. Professor bom dia!
    Pela sua vasta experiência, quando o senhor acha que sai esse edital? e algum chute em relação a banca organizadora?

    Forte abraço,

    Clebson Santos
    Petrolina-PE

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Essa notícia melhora ou piora as expectativas de autorização do concurso?

    ResponderExcluir
  9. estava contando com esse edital para meados de dezembro ai vem o TCU falar em 90 dias para ainda mandar relatorio , pelo amor de Deus !

    ResponderExcluir
  10. Mas já encerrou os 90 dias, DAVIJRS.

    ResponderExcluir