Clique no banner abaixo para comprar os livros de Hugo Goes

Como estudar Direito Previdenciário

12 comentários:

  1. Pessoal Bom Dia, amigos, nao sei se vcs repararam, na antiga regra do inicio da contagem de carencia, o inicio dessa contagem para o empregado domestico era a partir da data da 1 contribuicao sem atraso, mas na nova regra diz q a contagem do empregado domestico passou a ser a data da filiacao, ate ai tudo ok, porem tanto no ultimo livro de hugo, como nas atualizacoes q ele disponibilizou no blog, diz q para os empregados, avulsos e contribuintes Individuais que presta servicos a empresa a carencia e presumida, certo, so q p esses ai a co tagem e a data da filiacao ao rgps e q eles p receber beneficios nao precisao comprar o recolhimento pq sao presumidas,, so q no livro de hugo diz q mesmo q a contagem da carencia do empregado domestico seja a DATA DS FILIACAO AO RGPS, ainda assim ele precisa comprovar os recolhimentos dessas contribuicoes, so q entendo que, se a contagem e a data da filiacao ao rgps, entende -se tbem q e presumida, ja q para o empregado, avulso e I dividual q presta servico a empresa e presumida, so q no livro e na atualizacoes diz q ainda assim eles os domesticos precisam comprovar os recolhimentos dessas contribuicoes...ALGUEM PARA TIRAR ESSA MINHA DUVIDA.?

    ResponderExcluir
  2. O que é presumido é o recolhimento que deverá ser realizador pelo empregador. Em relação ao doméstico, não existe essa presunção de recolhimento. O empregador é quem deve realizar o recolhimento dele e do empregado doméstico. Se o empregado doméstico for solicitar a aposentadoria por idade por exemplo, e não puder comprovar que o empregador efetuou o recolhimento, se comprar que durante o período de carência, que exerceu a atividade, receberá um um salário mínimo. Veja se te ajudou.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa parte que vc mencionou eu ja sabia, porem o que me refiro e q na nova regra a contagem da carencia p o empregado domestico passou a ser a data da filiacao a previdencia social, se e a filiacao da previdencia, entao cairia na mesma regra do empregado, avulso e individual q preste servico a empre q no caso p esses 3 e presumida ou seja nao precisaria comprovar as contribuicoes, porem se o domestico e a sua filiacao, no , eu entendimento o domestico cairia nessa mesma regra de nao comprovar as contribuicoes ja q a contagem e a filiacao, entendeu? Pq no livro de hugo diz q mesmo sendo a filiacao, o domestico PRECISA COMPROVAR AS CONTRIBUICOES MESMO SENDO A CONTAGEM DA CARENCIA A SUA DATS DE FILIACAO, ENTENDEU.? Entao mesmo q seja a filiacao seu inicio da contagem de carencia e preciso q o domestico comprove o recolhimento?

      Excluir
    2. Amigo, melhora seu português aí, tá muito ruim de ler...

      Excluir
    3. Ele deve comprovar o recolhimento . Se não conseguir comprovar o recolhimento receberá benefício de 1 salário mínimo. Se conseguir comprovar então será calculado o seu salário de beneficio para definir o valor que será o seu benefício.

      Excluir
  3. Prof., boa tarde!

    Sabemos que pela vigência, especificamente da parte que trata dos dependentes da classe I e III, da lei 13.146 essa nova redação não será cobrada.
    Minha dúvida é em relação ao art. 108., decreto 3048: A pensão por morte somente será devida ao filho e ao irmão cuja invalidez tenha ocorrido ANTES da emancipação OU DE COMPLETAR a idade de vinte e um anos, desde que reconhecida ou comprovada, pela perícia médica do INSS, a continuidade da invalidez até a data do óbito do segurado. (Redação dada pelo Decreto nº 6.939, de 2009)

    Exemplo: Se eu invalido aos 19 anos e caso aos 20 anos, perco a pensão por morte?

    Muito Obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. não meu caro amigo não perde a pensão pois, você ainda continua invalido, mesmo casando não vai ter condições de trabalhar.

      Excluir
    2. não meu caro amigo não perde a pensão pois, você ainda continua invalido, mesmo casando não vai ter condições de trabalhar.

      Excluir
  4. Pelo vídeo estou no caminho certo. Enqto a autorização não saía eu estudava sempre com o mesmo foco. Hj o concurso está autorizado. Em Dir. Previdenciário fechei toda a parte teórica e agora resolvo exercícios bem mais aliviada!!!!

    ResponderExcluir
  5. Olá Prof. Hugo, seu curso de previdenciario disponivel neste site já está atualizado com as novas mudanças 2015?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  6. Professor qual a diferença do seu curso no EVP e aqui no SÓ INSS?? no evp está atualizado? pois no momento só o que cabe no meu bolso é do EVP..Por favor responda, ou alguem que souber.

    ResponderExcluir

Clique no banner abaixo para comprar os livros de Hugo Goes