Clique no banner abaixo para comprar os livros de Hugo Goes

Questão Nº 465

465. (MPT 14ª – 2008- TRT MPT 14ª) O auxílio-acidente atualmente tem natureza:
 a) complementar;
 b) suplementar;
 c) indenizatória;
 d) salarial;
 e) não respondida.


Gabarito: C

MAIS QUESTÕES

405 comentários:

  1. 1 CESPE 2016 INSS

    O principio da equidade na participação do custeio fere o princípio da isonomia, pois todos devem contribuir na mesma quantia, e não em alíquotas diferentes. Por tal motivo, este princípio foi considerado inconstitucional pela Justiça Brasileira.

    ResponderExcluir
  2. Respostas
    1. Camille é advogada e exerce sua profissão sem relação de emprego há 06 meses que por coincidência é também o número de meses de sua gestação. Casada do estresse do trabalho Camille sofre um mal estar e dá a luz ao seu primeiro filho. Nessa situação, Camille terá direito ao salário maternidade.

      C/E

      Excluir
    2. * "casada", leia-se cansada.

      Excluir
    3. Errado.
      CI, Segurado Especial e Facultativo, de maneira simples, só farão jus ao Salário Maternidade se engravidarem após um mês de gestação! Os fortes entenderão...

      Excluir
    4. Concurseiro , eu ainda não sou forte rsrs se poder me explicar ficarei muito grata. No meu entendimento no caso de parto antecipado a carência será reduzida na mesma proporção.

      Excluir
    5. CI fará jus após 10 meses de carência. Na situação hipotética Camille não cumpriu a carência exigida.

      Excluir
    6. Concurseiro vc quis dizer "após um mes de contribuição" não é mesmo?

      Excluir
    7. Cacilda, para o CI, o especial e o facultativo existe período de carência para o recebimento do salário maternidade. E esse período é de 10 meses de contribuição. A gestação é, em regra, de 9 meses. Acompanhe meu raciocínio.
      Existe um dispositivo na lei que trata de antecipação do parto, caso parto prematuro. Esse dispositivo diz que a quantidade de meses que o parto foi antecipado é a mesma que vai diminuir na carência. Veja:
      PARTO: 9 meses CARÊNCIA: 10 meses
      PARTO: 8 meses CARÊNCIA: 9 meses
      PARTO: 7 meses CARÊNCIA: 8 meses

      Por isso ele falou que "só farão jus ao Salário Maternidade se engravidarem após um mês de gestação!"

      Espero que eu tenha feito entender.
      Abraços e Bom Estudo.

      Excluir
    8. Errado! Vide excelente explicação de Thiago Souza.

      Excluir
    9. Agora no caso da questão, nao esclarecer em quantos meses esse parto foi antecipado, logo eu marcaria errada, essa questão tá incompleta, a CESPE com certeza a daria como errada.

      Excluir
    10. Errado. Só faltou dizer se Camile contribuiu e quando começou a contribuir já que CI não tem presunção de recolhimento. Mas dá para entender que a questão quis perguntar sobre a carência

      Excluir
    11. Fez sim Thiago Souza. Obrigada de coração

      Excluir
    12. E - Sigam a explicação de Thiago Souza

      Excluir
    13. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  3. Letra C. Bom dia povo estudioso!!!!

    ResponderExcluir
  4. 2 CESPE 2015 marque C ou E

    São princípios da Seguridade Social a universalidade de participação nos planos previdenciários, seletividade e distributividade na prestação dos benefícios e caráter democrático e descentralizado da gestão administrativa, com a participação do governo e da comunidade, em especial de trabalhadores em atividade, empregadores e aposentados e irredutibilidade do valor dos benefícios de forma a preservar-lhes o poder aquisitivo.

    ResponderExcluir
  5. 3 CESPE 2016 técnico seguro social

    Mário é segurado especial, possui um pequeno sítio no qual cultiva hortaliças. Por ser muito conhecido na sua cidade, foi eleito vereador, com o objetivo de ajudar pequenos agricultores como ele. Nesta situação, como passou a categoria de empregado para o RGPS, deixará de ser segurado especial mesmo que continue o labor como produtor rural, voltando a ser segurado especial com o fim do mandato.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Errado. Essa é uma das formas que o segurado especial conserva sua qualidade de segurado com outro rendimento.

      Excluir
    2. Errado. Continua como segurado especial.

      Excluir
    3. Errado,
      justificado pelos colegas..

      Excluir
    4. Errado. Sempre que falar de vereador fiquem de olho aberto, há algumas exceções
      Exemplo:
      Seg. especial--->vereador (continua seg. especial)
      ap. invalidez----->vereador (pode acumular; STJ)

      Excluir
    5. ERRADO - nesse caso ele mantem a qualidade de segurado!

      Excluir
  6. 4-CESPE 2016
    Renato encontra-se preso em regime fechado e iniciou atividades na prisão que lhe permite voltar a contribuir para a Previdência Social. Sua esposa e filhos recebem auxílio-reclusão, pois Renato, antes da prisão, era considerado segurado de baixa-renda. Nesta situação, caso Renato volte a contribuir facultativamente para o RGPS, seus dependentes deixarão de receber o auxílio-reclusão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Durante o cumprimento das penas privativas de liberdade e restritivas de direito, o segurado recluso pode contribuir para o Regime Geral de Previdência Social, na condição de segurado facultativo, na forma do art. 11, § 1, inciso IX do regulamento da previdência social e do art. 2 da Lei n. 10.666/2003

      Excluir
  7. 5- CESPE 2016 técnico seguro social

    Luana, com apenas 2 anos de idade ficou órfã após seus pais falecerem em um acidente de carro. Os pais de Luana eram segurados do RGPS, e por tal motivo, a mesma passou a ter direito ao benefício da pensão por morte. Mesmo que Luana venha a ser adotada, está continuará a receber pensão dos pais biológicos até que complete 21 anos de idade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Errado. Cessará a P.M.

      Excluir
    2. Errado. Com a adoção a pensão acaba. Não tinha razão de não ser assim.

      Excluir
    3. Errado. Cessa com adoção.

      Excluir
    4. Errado.... mas bem que poderia receber P.M. até os 21 anos... afinal de contas os 120 dias de S. M. não ameniza o seu sofrimento por ter ficado órfã.

      Excluir
    5. Qual o gabarito dessa questão??

      Excluir
    6. É, Neto, o que ia ter de gente querendo adotar só para ficar com a pensão da criança...

      Excluir
  8. 6-Cespe 2016

    Rodolfo é segurado da Previdência Social, e certo dia desapareceu, sem deixar notícia. Nesta situação, é devida a pensão por morte presumida do segurado ao seus dependentes, declarada pela autoridade judicial competente, depois de seis meses de ausência.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Certo. Se um dia esse cara aparecer novamente, cessa-se a pensão, e os dependentes, salvo comprovado má-fé, ficam desobrigados de devolver o valor já pago.

      Excluir
    3. Não sabia dessa necessidade de 6 meses de ausência.

      Excluir
    4. Passou batido na leitura da lei. Vlw

      Excluir
    5. Correto! Lei 8.213/91, Art. 78. Por morte presumida do segurado, declarada pela autoridade judicial competente, depois de 6 (seis) meses de ausência, será concedida pensão provisória, na forma desta Subseção.

      § 1º Mediante prova do desaparecimento do segurado em conseqüência de acidente, desastre ou catástrofe, seus dependentes farão jus à pensão provisória independentemente da declaração e do prazo deste artigo.

      § 2º Verificado o reaparecimento do segurado, o pagamento da pensão cessará imediatamente, desobrigados os dependentes da reposição dos valores recebidos, salvo má-fé.

      Excluir
  9. 7-CESPE 2014

    Toda atividade insalubre ou perigosa gera o direito a aposentadoria especial.

    ResponderExcluir
  10. 8-CESPE 2016 técnico seguro social(INSS)

    O salário-maternidade é benefício exclusivo da segurada da Previdência Social, não sendo pago em nenhuma hipótese ao segurado homem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Errado. Podemos citar o casal homossexual e no caso de falecimento da segurada no parto.

      Excluir
    2. No caso do viúvo É bom lembrar q ele tem q ter a qualidade de segurado.

      Excluir
    3. Errado. Ótimas questões!

      Excluir
  11. 9-CESPE 2016

    Fabricia faleceu em decorrência de complicações no parto. Nesta situação, o benefício será pago, por todo o período ou pelo tempo restante a que teria direito, ao cônjuge ou companheiro, que tenha a qualidade de segurado, exceto no caso do falecimento do filho ou de seu abandono.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Certo e deverá requerer até a data final do recebimento do benfício.

      Excluir
    2. Correto. Calculado sobre a remuneração do segurado.

      Excluir
    3. Certo. Evidencie-se essa parte do QUE TENHA A QUALIDADE DE SEGURADO.

      Excluir
    4. O falecimento do filho faz cessar o salário maternidade?

      Excluir
    5. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    6. Bom dia, Jamila!!
      Lei 8213/91
      Art. 71-B. No caso de falecimento da segurada ou segurado que fizer jus ao recebimento do salário-maternidade, o benefício será pago, por todo o período ou pelo tempo restante a que teria direito, ao cônjuge ou companheiro sobrevivente que tenha a qualidade de segurado, exceto no caso do falecimento do filho ou de seu abandono, observadas as normas aplicáveis ao salário-maternidade.

      Excluir
    7. Jamila, o salário maternidade é um benefício que tem na sua essência ajudar a mãe ou pai a cuidar do filho, ao nascer, enquanto ele está afastado do trabalho. Se o filho morre não existe mais essa necessidade.

      Excluir
    8. Então, Thiago, em caso de natimorto, a mãe recebe o salário maternidade por 120 dias. Só no caso específico da morte da mãe que o marido ou companheiro (segurado) não tem direito ao salário maternidade no caso de falecimento do fillho e no seu abandono, conforme dispositivo legal acima.

      Excluir
    9. Bem lembrado Soraia. Obrigado.

      Excluir
    10. C. Conforme os colegas comentaram.

      Excluir
    11. PROFESSOR, ÓTIMAS QUESTÕES!!!
      Aqui só tem futuros servidores do INSS!

      Excluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  13. CESPE 2016 técnico seguro social

    10-Rodolfo próximo a se aposentar por tempo de contribuição, ao ler o jornal ficou muito contente ao saber que a nova regra 85/95 convertida em lei extingui de vez o o famoso Fator Previdenciário da legislação previdenciária pertinente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Errado. Fator previdenciário ainda prevalece atormentando a vida dos aposentados e aposentandos.

      Excluir
    2. ERRADO. Oi Soraia! Te encaminhei um email que havia te enviado dia 18/10. Acredito que não tenha chego na época. Abraços querida, Deus te abençoe!

      Excluir
  14. Berenice recebe pensão por morte de seu primeiro casamento desde 2004 e em 2010 aposentou-se por tempo de contribuição passando a acumular os benefícios. Em 2008 conheceu Pablo e contraiu com ele novas núpcias. Em outubro de 2015 Pablo foi preso e condenado por homicídio. Nessa situação e sabendo que Pablo é segurado empregado do RGPS desde 1990 e ainda de baixa renda, Berenice poderá vir a receber o auxílio reclusão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Errado! pensão por morte deixada por cônjuge ou companheiro (a) com auxílio-reclusão de outro cônjuge ou companheiro (a), para evento ocorrido a partir de 29/04/1995, data da publicação da Lei nº 9.032/1995. Neste caso, o requerente poderá optar pelo benefício que tiver o valor mais vantajoso, ressaltando a impossibilidade de reativação da pensão, após a assinatura do termo de opção.

      Excluir
    2. Errado. Parabéns a Renan pela questão e a Soraia pela explicação. Oh povo afiado danado!

      Excluir
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    4. errado. Não dei atenção ao fato do auxílio reclusão ser devido nos mesmos moldes da pensão por mort.e

      Excluir
    5. Boa Renan essa fiquei com um pouco de dúvida não tinha certeza dessa acumulação.
      Sendo a CESPE não podemos ter dúvidas.

      Excluir
    6. É qto a ap por tempo de contribuição de Berenice, está pode acumular com AR?

      Excluir
  15. Caros alunos o nível de questões serão basicamente estes, abordando casos práticos e com o maior numero de questões voltado ao plano de benefícios, e claro as novas mudanças na legislação previdenciária,pois o Cespe adora coisa nova,a maioria de vocês aqui do blog já estão com um alto nível de conhecimento e com certeza se darão bem na prova ,agora e só manter o foco não esquecendo das outras disciplinas.Bons estudos a todos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradecemos a contribuição João.

      Excluir
    2. Mais uma vez. obrigado professor.

      Excluir
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  16. Letra "C".

    Ontem, a partir de uma certa hora, eu não consegui mais acessar o blog, por isso nem pude agradecer a você, Ricardo Vecce, pelo dispositivo de lei postado, eu realmente passei batida. Obrigada.

    ResponderExcluir
  17. Aguardando os gabaritos das questões postadas por diversos colegas e pelo prof. João Mourão de dias anteriores.
    Agradecendo imensamente pela contribuição de TODOS! ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, ai, Jamila, ultimamente, não sei vocês, mas eu não tenho conseguido nem acessar este blog...rs. Bom, amiga, há alguns dias vi que você teve dúvidas sobre pensão por morte de ex-conjuge, posto agora, caso ainda persista suas dúvidas:

      IN 77 INSS/2015

      Art. 370. O dependente na qualidade de cônjuge terá direito ao benefício de pensão por morte, observando que:

      I - a certidão de casamento que não constar averbação de divórcio ou de separação judicial constitui documento bastante e suficiente para a comprovação do vínculo; e
      II - não havendo registro de separação ou do divórcio na certidão de casamento, porém o cônjuge, volitivamente, declarar que se encontrava separado de fato do instituidor ao tempo do óbito, deverá comprovar a dependência econômica, na forma do § 1º do art.
      371.

      Art. 371. O cônjuge separado de fato ou divorciado, bem como o ex-companheiro, terá direito à pensão por morte, mesmo que este benefício tenha sido requerido e concedido à companheiro(a) ou novo cônjuge, desde que recebedor de pensão alimentícia.

      § 1º Equipara-se à percepção de pensão alimentícia o recebimento de ajuda econômica ou financeira sob qualquer forma, observando-se, no que couber, o rol exemplificativo do art. 135.
      § 2º Equipara-se, para todos os fins, a separação judicial ao divórcio.

      Art. 372. Na hipótese de cônjuge e companheiro habilitados como dependentes no benefício de pensão por morte do mesmo instituidor, o cônjuge deverá apresentar declaração específica contendo informação sobre a existência, ou não, da separação de fato, observando que:

      I - havendo declaração de que não houve a separação de fato, o cônjuge terá direito à pensão por morte mediante a apresentação:

      a) da certidão de casamento atualizada na qual não conste averbação de divórcio ou de separação judicial;
      b) de pelo menos um documento evidenciando o convívio com o instituidor ao tempo do óbito;

      II - havendo declaração de que estava separado de fato, o cônjuge terá direito à pensão por morte, desde que apresente, no mínimo, um documento que comprove o recebimento de ajuda financeira sob qualquer forma ou recebimento de pensão alimentícia.

      § 1º Na situação prevista no inciso I do caput, estará afastado o direito do companheiro, ainda que haja a apresentação de três documentos na forma do § 3º do art. 22 do RPS.
      § 2º Na situação prevista no inciso II do caput, será devido o benefício de pensão por morte desdobrada para o cônjuge e para o companheiro que comprovar a união estável ao tempo do óbito.

      Art. 373. No caso de requerimento de pensão por morte com declaração de separação de fato em benefício assistencial anterior, será devido o benefício de pensão por morte, desde que comprovado o restabelecimento do vínculo conjugal, na forma do § 3º do art. 22 do RPS.

      § 1º A certidão de casamento não poderá ser utilizada como um dos documentos para a comprovação do restabelecimento do vínculo conjugal, bem como não poderá ser comprovado esse restabelecimento exclusivamente por meio de prova testemunhal.
      § 2º Apresentado início de prova material que possa levar à convicção do restabelecimento do vínculo conjugal, deverá ser oportunizado o processamento de Justificação Administrativa.
      § 3º Na hipótese prevista no caput ficando evidenciado o restabelecimento do vínculo conjugal antes do óbito, e se em razão deste restarem superadas as condições que resultaram na concessão do benefício assistencial, os valores recebidos indevidamente deverão ser devolvidos, observados os procedimentos do monitoramento operacional de benefício.

      Excluir
  18. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  19. Bom dia aspirantes ao INSS!
    Ontem postei uma questão que gerou bastante dúvidas, e a princípio a maioria erraram a questão. Aconselho lerem com cuidado o Artigo 47 da Lei 8.213/91 que trata sobre Aposentadoria por Invalidez, pois este texto é uma verdadeira "mina" para o examinador elaborar questões hipotéticas! segue a a questão enviada ontem:

    C ou E:

    Considera que Edson, contribuinte individual, aposentado por invalidez há cinco anos, após reabilitação, obteve êxito e recuperou integralmente sua capacidade para o exercício de atividade laboral, recebendo alta da perícia médica do INSS. Nessa situação, cessará após cinco meses, o benefício de Edson por invalidez.

    GABARITO CERTO! Parabéns as pessoas que acertaram a alternativa.
    Em resumo, se a recuperação for total (integral) receberá o benefício de 1 até 5 meses, dependendo da quantidade de anos que recebia o benefício, ou seja, de 1 até 5 anos, exceto para o segurado empregado que cessará de imediato caso tenha direito a voltar ao emprego antigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tinha visto a questão, mas creio que o que pode ter confundido é a pessoa não saber se foi dentro de 5 anos ou após 5 anos. Talvez se tivesse colocado ''há exatamente 5 anos'' ficaria mais claro, visto que após 5 anos já começa a valer a outra situação que é garantida a mensalidade de recuperação.

      Excluir
    2. Concurseiro, é limitado a 5 anos e consequentemente a 5 meses?

      Excluir
    3. Vi a questão e apenas acompanhei. rs! Pelo mesmo raciócínio do rafael rocha. Esse "há cinco anos" eu não entendi se estava dentro de 05 anos ou após 05 anos conforme diz a lei. De qualquer forma, boa questão para relembrar os conceitos.

      Excluir
  20. Marque Certo ou Errado:

    Pablo Escobar, trabalhou por quarenta anos para a empresa Napolis, quando completou 66 anos de idade, decidiu rescindir seu contrato de trabalho para viajar o Brasil todo com sua esposa. Devido às viagens realizadas, Pablo Escobar só deu entrada no requerimento para obtenção da aposentadoria por idade dois meses após se desvincular da empresa. Nessa situação, este benefício será devido a partir da data do desligamento da empresa.

    ResponderExcluir
  21. Respostas
    1. Quero agradecer aos colegas Acua Ewald, Ronilson Possidonio, Thiago Souza, Maiula e Elvis pelo material enviado. Só posso dizer q meu acervo atual ta ficando muito melhor do q o perdido graças a solidariedade e o carinho de vcs... valeu mesmo

      Excluir
  22. CESPE/2015 - Acerca do RGPS, julgue o item subsequente.

    De acordo com jurisprudência do STF, devido ao fato de os serviços de registros públicos, cartorários ou notariais serem exercidos em caráter privado, os oficiais de registro de imóveis, para os fins do RGPS, devem ser classificados na categoria de contribuinte individual.
    CERTO ( ) ERRADO ( )

    ResponderExcluir
  23. CESPE/2015 - Para fins de prorrogação do período gratuito para o segurado desempregado, entende o STJ que a ausência de anotação laboral na CTPS do segurado não é suficiente para comprovar a sua situação de desemprego.

    ResponderExcluir
  24. CESPE/2015 - O salário-maternidade é um benefício previdenciário devido a toda segurada do RGPS, sem exceção, que, em razão do nascimento do seu filho ou da adoção de uma criança, visa substituir a sua remuneração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E
      Se fosse todo tipo de segurada estaria certo.

      Excluir
    2. E
      Se fosse todo tipo de segurada estaria certo.

      Excluir

Clique no banner abaixo para comprar os livros de Hugo Goes