Querer cassar o registro de um psicólogo pelo simples fato deste defender uma tese diferente da defendida pela maioria: isso é o fim da picada! Seria o mesmo que querer cassar a OAB de um advogado que defende uma tese jurídica diferente da que foi pacificada pelo STF.

A Avaaz abrigar em seu site uma petição pedindo a cassação do referido psicólogo e deletar a petição dos que são contra tal cassação: isso também é o fim da picada!

O argumento da Avaaz é risível: “só promovemos campanhas que visam à nossa missão”.

Mas qual é a missão da Avaaz? Cassar profissionais que pensam diferente da maioria? Defender a ditadura do pensamento único?

Se a mala do pastor está cheia ou seca, isso é outra discussão, que também deve ser debatida, mas em separado. Como diria aquele famoso comentarista de futebol: “uma coisa é uma coisa; outra coisa é outra coisa”.

Sobre esse último tema, minha opinião é a seguinte: não gosto de pessoas que usam a fé e a religiosidade dos outros para proveito próprio.

No meu caso, o fato de assumir publicamente a minha religiosidade só me tem gerado rótulos de “fanático”, “atrasado”, “reacionário” etc. Mas eu não fui enganado por Jesus, pois Ele disse:
“Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me” (Mateus 16, 24).