Ano de 2011, visita do  Papa Bento XVI a Berlim, Alemanha.

Não houve falta de respeito dos Bispos alemães ao Papa, explica porta-voz Vaticano

11.10.2011 – Saindo ao encontro de algumas interpretações errôneas de um vídeo que circula na internet no qual se vê o Papa Bento XVI apresentando o seu séquito ao Presidente da Alemanha durante a viagem à sua terra natal em setembro, o porta-voz do Vaticano, Pe. Federico Lombardi, explicou que não existiu falta de respeito dos bispos alemães ao Santo Padre.

No vídeo que pode ser visto no Youtube, o Papa apresenta um a um os membros de seu séquito com a mão estendida. Alguns viram nisso a intenção do Papa de cumprimentar os bispos que supostamente teriam ignorado o Papa ao não dar-lhe a mão.

O Pe. Lombardi sublinhou que a interpretação do vídeo “segundo a qual os bispos alemães faltaram com o respeito ao Papa é absolutamente infundada e ridícula”.

De fato, prosseguiu o sacerdote, “o vídeo mostra evidentemente o momento em que o Papa apresenta seu séquito – e não os bispos alemães – ao Presidente alemão na residência do mandatário”.

“A mão do Papa assinala um após o outro os membros do séquito, que saúdam o Presidente, enquanto que o Papa não espera que os membros do séquito, que viajam com ele, devam dar a mão nesta ocasião”, acrescenta.

Para esclarecer ainda mais as coisas, o Pe. Lombardi disse que “de fato, o Cardeal Bertone, o substituto Dom Becciu, o Núncio, Dom Perriset, o Bispo Dom Clemens (por muitíssimo tempo secretário pessoal do Cardeal Ratzinger) e os ceremoniários pontifícios não dão a mão ao Papa; e certamente não têm intenção de ofendê-lo”.

O sacerdote disse também que “entre os poucos que entretanto dão a mão ao Papa, embora não seja necessário, estão Dom Zollitsch, Presidente da Conferência Episcopal Alemã e Dom Woelki, o novo Arcebispo de Berlim, que são os únicos dois bispos alemães presentes no vídeo, que foram incluídos no séquito do Papa ao chegar a Berlim e que não viajaram no avião com o Papa!”

Finalmente o porta-voz do Vaticano indicou: “não tenho nada mais que acrescentar. A interpretação do vídeo que acusa os bispos alemães de faltar com o respeito ao Papa é demasiado insensata para acrescentar algo mais”.

Fonte: ACI