O papa que não tem medo de se molhar

Às 8h, a Praça de São Pedro já está lotada, apesar da forte chuva, e as filas para passar pelos controles de entrada são enormes. Na Praça, umas 100.000 pessoas de diversas paróquias e de múltiplas associações de todo o mundo.

Francisco aponta no papamóvel e um clamor é liberado na praça. Entre aplausos, vivas e gritos, caminha pela praça, com os louvores das multidões.

Cai uma pancada de chuva, enquanto o Papa, que se nega a se cobrir com um guarda-chuva, continua saudando as pessoas. Uma grande nuvem é descarregada sobre a praça. O Papa, assim que inicia a celebração da palavra, agradece as pessoas: “Vocês são corajosos por estarem aqui, hoje, obrigado”. Entre a chuva, Bergoglio começou “molhado” a catequese sobre “A Igreja como Família de Deus”. E ele próprio, renunciando-se a trocar a casula, porque quer se molhar como os fiéis, inicia um belo discurso, proclamando que a Igreja não é uma organização criada por um grupo de pessoas, mas é obra de Deus e que é composta por pastores e fiéis com seus defeitos e pecados e que “até o Papa tem pecados... e muitos”, mas Deus sempre perdoa.

O pontífice enfatizou que muitas pessoas ainda dizem “Cristo sim, Igreja não”, “creio em Deus, mas não nos sacerdotes”, entretanto, afirmou que é a Igreja quem leva os homens a Cristo, a Deus.

“É claro que naqueles que a compõe – pastores e fiéis – há defeitos, imperfeições e pecados. O Papa também tem muitos pecados, mas quando nos damos conta desse pecado, encontramos a misericórdia de Deus. Deus sempre perdoa. Não esqueçamos isto”, manifestou.

Clique aqui e saiba mais!

Comentários

  1. Papa Francisco veio pra fazer a diferença. Está aí uma obra do Espírito Santo.

    Que Deus continue nos abençoando!

    ResponderExcluir

Postar um comentário