96. (Perito Médico Previdenciário – 2012) Por motivo de disputa relacionada ao trabalho, o empregado Antunes sofre agressão física intencional de terceiro, Marcos, no refeitório da empresa durante o seu horário de almoço. Em razão da desavença Antunes fraturou um dedo da mão direita, o que lhe ocasionou uma redução temporária da capacidade de trabalho. Nesta situação, nos termos da legislação previdenciária, pode-se afirmar que Antunes
(A) não sofreu acidente de trabalho por estar em horário de refeição, portanto não estar trabalhando.
(B) não sofreu acidente de trabalho porque a agressão foi provocada por terceiro e não colega de trabalho ou outro empregado da empresa.
(C) é portador de doença profissional que se equipara a acidente de trabalho.
(D) sofreu evento equiparado a acidente de trabalho para os efeitos da Lei nº 8.213/91.
(E) não sofreu acidente de trabalho porque a lesão foi pequena e a redução da capacidade de trabalho foi temporária.