Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados aprovou ontem (18/06) projeto apelidado de “cura gay”

O Projeto de Decreto Legislativo 234/11 torna sem efeito o parágrafo único do art. 3º e todo o art. 4º da Resolução 1/99 do Conselho Federal de Psicologia. Confira o texto do referido Projeto:
Art. 1º Este Decreto Legislativo susta o parágrafo único do Art. 3º e o Art. 4º, da Resolução do Conselho Federal de Psicologia nº 1/99 de 23 de Março de 1999.
Art. 2º Fica sustada a aplicação do Parágrafo único do Art. 3º e o Art. 4º, da Resolução do Conselho Federal de Psicologia nº 1/99 de 23 de Março de 1999, que estabelece normas de atuação para os psicólogos em relação à questão da orientação sexual.

Art. 3º Este decreto legislativo entra em vigor na data de sua publicação.
Leia abaixo o que dizem os trechos da Resolução 1/99 do Conselho Federal de Psicologia, que o projeto supramencionado tenta sustar:
Art. 3° – os psicólogos não exercerão qualquer ação que favoreça a patologização de comportamentos ou práticas homoeróticas nem adotarão ação coercitiva tendente a orientar homossexuais para tratamentos não solicitados.”
Parágrafo único – Os psicólogos não colaborarão com eventos e serviços que proponham tratamento e cura das homossexualidades.

Art. 4° – Os psicólogos não se pronunciarão, nem participarão de pronunciamentos públicos, nos meios de comunicação de massa, de modo a reforçar os preconceitos sociais existentes em relação aos homossexuais como portadores de qualquer desordem psíquica.
Vale frisar que o  Projeto de Decreto Legislativo quer sustar apenas os dispositivos acima que estão salientados em azul. Ou seja, o caput do art. 3º permanece intacto.

O projeto ainda precisa passar por outras duas comissões da Câmara. Se aprovado, segue para votação no plenário.

Comentários

  1. Horror! Esses religiosos estão se comparando a nazistas! A maior entidade que praticava a "cura gay", Exodus Internacional, veio a público pedir desculpas por essas perversas terapias, visto que causaram terrivel- dano psicologico aos que se submeteram! A idade media já passou, o povo não aceita mais que esses abusos sejam praticadas em nome de "deus"!

    ResponderExcluir

Postar um comentário