Por Hugo Goes

O Movimento Passe Livre (MPL) é o movimento que deu origem às manifestações contra o aumento da tarifa de metrô e ônibus, que depois se transformaram em protestos bem mais amplos.

Ontem (quinta-feira), o MPL abandonou o protesto na Avenida Paulista, antes do final. O movimento alega que “a manifestação contra o reajuste da tarifa do transporte coletivo foi transformada em protesto contra partidos políticos”. Também ontem, no UOL, Mayara Vivian, uma das lideranças do MPL, declarou o seguinte:
"Tem gente que não consegue nem mobilizar dez pessoas e leva uma faixa com dizeres horríveis, como coisas contra a legalização do aborto e outras. O MPL é anticapitalista e contra qualquer forma de opressão. Repudiamos várias das reivindicações feitas nos atos."
Diante dos fatos acima relatados, há, pelo menos, duas manifestações que “irritaram” as “lideranças” do MPL:
  • Protestos contra partidos políticos;
  • Protestos contra  a legalização do aborto.
Ou seja, para as lideranças do MPL, o povo ainda não está bem “adestrado”. Ainda tem gente que destoa da “ditadura do pensamento único”.

Resumindo: para o MPL, o povo tem direito de protestar, desde que assuma as "bandeiras do movimento”. E somente essas "bandeiras"!

A cena do vídeo abaixo (ontem, em São Paulo) deve ter "irritado" bastante o MPL: