Nem se diga que o ideal cristão é abstrato e intangível: vago, implacável, sem contato com a natureza. Pelo contrário. Nenhum é mais vivo e vital. Nenhum exige mais ação e mais realidades. Ainda que eu saiba toda a doutrina cristã, se não viver cristãmente, sou um antípoda do ideal cristão. Ele não se constrói com o saber; faz-se com o viver. Posso ser um economista, e ser pobre. Um estrategista, e nunca ter batalhado. Um técnico cooperativista, sem ter jamais auxiliado o próximo. Um admirável planejador que não sabe administrar a própria casa. Um esteta, que nunca produziu obra de arte. Mas nunca serei um verdadeiro cristão se não produzir atos cristãos, se não viver uma vida cristã. Nada menos abstrato que o ideal cristão. Nada mais concreto, mas real, mais cotidiano e mais vivo. E por isso, nada mais tangível. Sente-se, toca-se, vê-se a santidade nas palavras, nos atos, nas atitudes.

Monsenhor Álvaro Negromonte, no Livro "A Educação dos Filhos".