Respeitar o educando. Para isso é que o devemos conhecer. Temperamentos, tendências, gostos, talentos, meio, desenvolvimento, idade, pesado e respeitado. Não posso exigir de todos a mesma coisa, só pelo fato de serem todos meus filhos, ou estarem todos na mesma classe, ou terem a mesma idade. Posto em termos de peso físico, logo percebemos o absurdo da imposição, que mais absurda ainda é em peso moral - embora (que pena!) tantos o não percebam. De cada um se exige e a cada um se impõe ou pede o que ele é capaz de fazer. E a perfeição do educando está em fazer ele o que agora pode.

Monsenhor Álvaro Negromonte, no Livro "A Educação dos Filhos".