19. (Cesgranrio – Analista Previdenciário – 2005) – Tício, marido de Martha, faleceu, em julho de 2004, desempregado. Havia trabalhado como empregado, durante 20 (vinte) anos, para a empresa “Carro dos Sonhos Ltda.”, tendo terminado o seu contrato de trabalho com a referida empresa em julho de 1999. Em agosto de 2004, Martha formulou requerimento administrativo de pensão por morte em uma Agência da Previdência Social e teve seu pedido indeferido. A correta justificativa para o indeferimento da pensão por morte nesse caso é:
a) perda da qualidade de segurado do instituidor da pensão.
b) ausência de inscrição de Martha como dependente designada por Tício, antes de seu falecimento.
c) o fato de que Martha não comprovou a sua dependência econômica de Tício, requisito este indispensável para qualificação do cônjuge como dependente.
d) o fato de Martha não ser segurada do Regime Geral de Previdência social.
e) o fato de o período de carência fixado por lei para concessão de pensão por morte não ter sido cumprido.


Gabarito: A

MAIS QUESTÕES