Em sessão realizada no dia  9/7/2014, após realização de Auditoria Operacional, os Ministros do Tribunal de Contas da União recomendaram ao INSS e ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), conjuntamente, que:
1. elaborem plano de continuidade de negócios que estabeleça procedimentos a serem efetuados em um cenário de aposentadorias em massa no INSS, no sentido de mitigar danos e permitir que o INSS mantenha suas atividades críticas em um nível aceitável;
2. elaborem plano  de reposição dos servidores em condições de aposentadoria, principalmente para as unidades com maiores índices de servidores recebendo abono permanência;
3. elaborem estudo no sentido de flexibilizar as regras de cálculo da  gratificação de desempenho nos proventos dos servidores aposentados do INSS, de maneira a permitir que os servidores em abono permanência possam se aposentar gradativamente.

O relatório do TCU também recomenda ao INSS que insira, nos critérios dos próximos Estudos de Lotação Ideal, a reposição prévia de servidores que implementem todas as condições de aposentadoria.

O acórdão do TCU também determina ao INSS e ao MPOG que encaminhem ao Tribunal, no prazo de 90 dias a contar do Acórdão, Plano de Ação que contenha o cronograma de adoção das eventuais medidas necessárias à implementação das deliberações acima, com a identificação dos responsáveis.

Clique aqui e confira o inteiro teor do ACÓRDÃO.