Fique ligado: a partir da competência 06/2015, o empregador doméstico tem até o dia 7 do mês seguinte para recolher as contribuições previdenciárias.

A partir da competência 10/2015, juntamente com as contribuições previdenciárias patronais, o empregador doméstico também recolherá:
a) a contribuição previdenciária que descontará do empregado doméstico que lhe presta serviço (8%, 9% ou 11% do salário-de-contribuição);;
b) 8% de recolhimento para o FGTS;
c) 3,2%, destinada ao pagamento da indenização compensatória da perda do emprego;
d) imposto sobre a renda retido na fonte, se incidente.