Moacir Lopes, diretor da FENAPS, afirma que o presidente do INSS, em reunião ocorrida no dia 25/03/2022, disse que: "a partir de maio, não terá mais nem militares e nem o pessoal temporário trabalhando [no INSS], mas não disse que não vai contratar terceirizados para algumas atribuições. Chegou a dizer que terceirizados em atribuições mais simples não tem impacto".