Consequências do pecado de Adão para a humanidade

402. Todos os homens estão implicados no pecado de Adão. É São Paulo quem o afirma: "pela desobediência de um só homem, muitos [quer dizer, a totalidade dos homens] se tornaram pecadores" (Rm 5, 19): "Assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte atingiu todos os homens, porque todos pecaram" (Rm 5, 12). A universalidade do pecado e da morte, o Apóstolo opõe a universalidade da salvação em Cristo: "Assim como, pelo pecado de um só, veio para todos os homens a condenação, assim também, pela obra de justiça de um só [Cristo], virá para todos a justificação que dá a vida" (Rm 5, 18).

403. Depois de São Paulo, a Igreja sempre ensinou que a imensa miséria que oprime os homens, e a sua inclinação para o mal e para a morte não se compreendem sem a ligação com o pecado de Adão e o facto de ele nos ter transmitido um pecado de que todos nascemos infectados e que é "morte da alma". A partir desta certeza de fé, a Igreja confere o Batismo para a remissão dos pecados, mesmo às crianças que não cometeram qualquer pecado pessoal.

404. Como é que o pecado de Adão se tornou o pecado de todos os seus descendentes? Todo o gênero humano é, em Adão, como um só corpo dum único homem. Em virtude desta "unidade do gênero humano", todos os homens estão implicados no pecado de Adão, do mesmo modo que todos estão implicados na justificação de Cristo. Todavia, a transmissão do pecado original é um mistério que nós não podemos compreender plenamente. Mas sabemos, pela Revelação, que Adão tinha recebido a santidade e a justiça originais, não só para si, mas para toda a natureza humana; consentindo na tentação, Adão e Eva cometeram um pecado pessoal, mas este pecado afeta a natureza humana que eles vão transmitir num estado decaído. É um pecado que vai ser transmitido a toda a humanidade por propagação, quer dizer, pela transmissão duma natureza humana privada da santidade e justiça originais. E é por isso que o pecado original se chama "pecado" por analogia: é um pecado "contraído" e não "cometido"; um estado, não um ato.

405. Embora próprio de cada um, o pecado original não tem, em qualquer descendente de Adão, carácter de falta pessoal. É a privação da santidade e justiça originais, mas a natureza humana não se encontra totalmente corrompida: está ferida nas suas próprias forças naturais, sujeita à ignorância, ao sofrimento e ao império da morte, e inclinada ao pecado (inclinação para o mal, que se chama concupiscência). O Batismo, ao conferir a vida da graça de Cristo, apaga o pecado original e reorienta o homem para Deus, mas as consequências para a natureza, enfraquecida e inclinada para o mal, persistem no homem e convidam-no ao combate espiritual.

Fonte: CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA

Comentários

  1. Professor o concurso do inss vai vencer em 04/14, voce acha que o ano de 2014 irá ter concurso pra nivel médio?

    ResponderExcluir
  2. pq estou pensando em comprar sua apostila da 7ª edição.

    obg!

    ResponderExcluir
  3. http://www.youtube.com/watch?v=iZzUtcczytg

    Este é um vídeo que claramente instrui a respeito da queda dos anjos e do pecado de Eva e Adão. Assistam, vale a pena.
    Sugiro ao professor que constitua em seu admirável blog um link para o mencionado vídeo, se lhe for do agrado, claro. Que DEUS os abençoem!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário