Clique no banner abaixo para comprar

Evangelho do Dia 20 de dezembro de 2014 (Lc 1,26-38)

Quando Isabel estava no sexto mês de gravidez, Deus enviou o anjo Gabriel a uma cidade da Galileia chamada Nazaré. O anjo levava uma mensagem para uma virgem que tinha casamento contratado com um homem chamado José, descendente do rei Davi. Ela se chamava Maria. O anjo veio e disse: 
- Que a paz esteja com você, Maria! Você é muito abençoada. O Senhor está com você. 
Porém Maria, quando ouviu o que o anjo disse, ficou sem saber o que pensar. E, admirada, ficou pensando no que ele queria dizer. Então o anjo continuou: 
- Não tenha medo, Maria! Deus está contente com você. Você ficará grávida, dará à luz um filho e porá nele o nome de Jesus. Ele será um grande homem e será chamado de Filho do Deus Altíssimo. Deus, o Senhor, vai fazê-lo rei, como foi o antepassado dele, o rei Davi. Ele será para sempre rei dos descendentes de Jacó, e o Reino dele nunca se acabará. 
Então Maria disse para o anjo: 
- Isso não é possível, pois eu sou virgem! 
O anjo respondeu: 
- O Espírito Santo virá sobre você, e o poder do Deus Altíssimo a envolverá com a sua sombra. Por isso o menino será chamado de santo e Filho de Deus. Fique sabendo que a sua parenta Isabel está grávida, mesmo sendo tão idosa. Diziam que ela não podia ter filhos, no entanto agora ela já está no sexto mês de gravidez. Porque para Deus nada é impossível. 
Maria respondeu: 
- Eu sou uma serva de Deus; que aconteça comigo o que o senhor acabou de me dizer! 
E o anjo foi embora. 

Informações sobre concurso do INSS 2015

Questões FCC - Nº 149

149. (FCC – Juiz do Trabalho - TRT11 - 2005) - Podem contribuir facultativamente para o regime geral de previdência social

(A) a dona-de-casa, o estudante a partir dos quatorze anos de idade e o presidiário que não exerce atividade remunerada.

(B) a dona-de-casa, o estudante a partir dos dezesseis anos de idade e o servidor púbico sem regime próprio.

(C) a dona-de-casa, o estudante a partir dos dezesseis anos de idade e a empregada doméstica que trabalha em imóvel rural em atividades sem fins lucrativos.

(D) a dona-de-casa, o trabalhador autônomo e o brasileiro contratado no Brasil para trabalhar em filial de empresa brasileira no exterior.

(E) o segurado especial, o estudante a partir dos dezesseis anos de idade e o síndico não remunerado de condomínio.

Videoaulas do Prof. Hugo Goes

Clique aqui para acessar o EuVouPassar.

Clique aqui para acessar a Casa do Concurseiro.

Evangelho do Dia 19 de dezembro de 2014 (Lc 1,5-25)

18A origem de Jesus Cristo foi assim:Maria, sua mãe, estava prometida em casamento a José, e, antes de viverem juntos,ela ficou grávida pela ação do Espírito Santo.19José, seu marido, era justoe, não querendo denunciá-la,resolveu abandonar Maria, em segredo.20Enquanto José pensava nisso,eis que o anjo do Senhor apareceu-lhe, em sonho,e lhe disse: 'José, Filho de Davi,não tenhas medo de receber Maria como tua esposa,porque ela concebeu pela ação do Espírito Santo.21Ela dará à luz um filho,e tu lhe darás o nome de Jesus,pois ele vai salvar o seu povo dos seus pecados'.22Tudo isso aconteceu para se cumpriro que o Senhor havia dito pelo profeta:23'Eis que a virgem conceberáe dará à luz um filho.Ele será chamado pelo nome de Emanuel,que significa: Deus está conosco.'24Quando acordou,José fez conforme o anjo do Senhor havia mandado,e aceitou sua esposa.Palavra da Salvação.

Aula do Prof. Hugo Goes sobre aposentadoria proporcional no RGPS

Dicas e informações sobre concurso do INSS

Questões FCC - Nº 148

148. (FCC – Analista TRF 2ª Região - 2007) - Dentre outros, é segurado da Previdência Social na categoria de contribuinte individual,
(A) o brasileiro ou estrangeiro domiciliado e contratado no Brasil para trabalhar como empregado em sucursal ou agência de empresa nacional no exterior.
(B) aquele que presta serviço de natureza urbana à empresa, em caráter não eventual, sob sua subordinação e mediante remuneração.
(C) aquele que, contratado por empresa de trabalho temporário, definida em legislação específica, presta serviço para atender a necessidade transitória de substituição de pessoal regular e permanente.
(D) o ministro de confissão religiosa e o membro de instituto de vida consagrada, de congregação ou de ordem religiosa.
(E) o servidor da União, Estado, Distrito Federal ou Município, incluindo suas autarquias e fundações, ocupantes de cargo ou função pública.

Evangelho do Dia 18 de dezembro de 2014 (Mt 1,18-24)

18 A origem de Jesus Cristo foi assim: Maria, sua mãe, estava prometida em casamento a José, e, antes de viverem juntos, ela ficou grávida pela ação do Espírito Santo.
19 José, seu marido, era justo e, não querendo denunciá-la, resolveu abandonar Maria, em segredo.
20 Enquanto José pensava nisso, eis que o anjo do Senhor apareceu-lhe, em sonho, e lhe disse: “José, Filho de Davi, não tenhas medo de receber Maria como tua esposa, porque ela concebeu pela ação do Espírito Santo.
21 Ela dará à luz um filho, e tu lhe darás o nome de Jesus, pois ele vai salvar o seu povo dos seus pecados”.
22 Tudo isso aconteceu para se cumprir o que o Senhor havia dito pelo profeta:
23 “Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho. Ele será chamado pelo nome de Emanuel, que significa: Deus está conosco”.
24 Quando acordou, José fez conforme o anjo do Senhor havia mandado, e aceitou sua esposa.

Questões FCC - Nº 147

147. (FCC – Juiz do Trabalho - TRT11 - 2007) É segurado obrigatório do Regime de Previdência Social como
(A) empregado, o brasileiro civil que trabalha no exterior para organismo oficial internacional do qual o Brasil é membro efetivo, ainda que lá domiciliado e contratado, salvo se coberto por regime próprio de previdência.
(B) empregado, o exercente de mandato eletivo federal, estadual ou municipal, desde que não vinculado a regime próprio de previdência social.
(C) segurado especial, o garimpeiro e a pessoa física que explore atividade agropecuária, diretamente ou por intermédio de prepostos, com contratação, ainda que descontínua, de colaboradores.
(D) contribuinte individual, o brasileiro civil que trabalha para a União, no exterior, em organismos oficiais brasileiros ou internacionais dos quais o Brasil seja membro efetivo, ainda que lá domiciliado e contratado, salvo se segurado na forma da legislação vigente do país de domicílio.
(E) empregado, o dirigente sindical, independentemente do enquadramento no Regime Geral de Previdência Social que mantinha antes do exercício do mandato eletivo.

Evangelho do Dia 17 de dezembro de 2014 (Mt 1,1-17)

Esta é a lista dos antepassados de Jesus Cristo, descendente de Davi, que era descendente de Abraão. 
Abraão foi pai de Isaque, Isaque foi pai de Jacó, e Jacó foi pai de Judá e dos seus irmãos. Judá foi pai de Peres e de Zera, e a mãe deles foi Tamar. Peres foi pai de Esrom, que foi pai de Arão. Arão foi pai de Aminadabe, que foi pai de Nasom, que foi pai de salmom. salmom foi pai de Boaz, e a mãe de Boaz foi Raabe. Boaz foi pai de Obede, e a mãe de Obede foi Rute. Obede foi pai de Jessé, que foi pai do rei Davi. 
Davi e a mulher que tinha sido esposa de Urias foram os pais de Salomão. Salomão foi pai de Roboão, que foi pai de Abias, que foi pai de Asa. Asa foi pai de Josafá, que foi pai de Jorão, que foi pai de Uzias. Uzias foi pai de Jotão, que foi pai de Acaz, que foi pai de Ezequias. Ezequias foi pai de Manassés, que foi pai de Amom, que foi pai de Josias. Josias foi pai de Jeconias e dos seus irmãos, no tempo em que os israelitas foram levados como prisioneiros para a Babilônia. 
Depois que o povo foi levado para a Babilônia, Jeconias foi pai de Salatiel, que foi pai de Zorobabel. Zorobabel foi pai de Abiúde, que foi pai de Eliaquim, que foi pai de Azor. Azor foi pai de Sadoque, que foi pai de Aquim, que foi pai de Eliúde. Eliúde foi pai de Eleazar, que foi pai de Matã, que foi pai de Jacó. Jacó foi pai de José, marido de Maria, e ela foi a mãe de Jesus, chamado Messias. 
Assim, houve catorze gerações desde Abraão até Davi, e catorze, desde Davi até que os israelitas foram levados para a Babilônia. Daí até o nascimento do Messias, também houve catorze gerações. 

Questões FCC - Nº 146

146. (FCC – TRF5 – Analista Judiciário – 2008) De acordo com a Lei nº 8.231/91, em regra, mantém a qualidade de segurado, independentemente de contribuições até
(A) seis meses após o livramento, o segurado retido ou recluso.
(B) seis meses após cessar a segregação, o segurado acometido de doença de segregação compulsória.
(C) três meses após o licenciamento, o segurado incorporado às Forças Armadas para prestar serviço militar.
(D) seis meses após a cessação das contribuições, o segurado que estiver suspenso ou licenciado sem remuneração.
(E) doze meses após a cessação das contribuições, o segurado facultativo.

Evangelho do Dia 16 de dezembro de 2014 (Mt 21,28-32)

“Que vos parece? Um homem tinha dois filhos. Dirigindo-se ao primeiro, disse: ‘Filho, vai trabalhar hoje na vinha!’ O filho respondeu: ‘Não quero’. Mas depois mudou de atitude e foi. O pai dirigiu-se ao outro filho e disse a mesma coisa. Este respondeu: ‘Sim, senhor, eu vou’. Mas não foi. Qual dos dois fez a vontade do pai?” Os sumos sacerdotes e os anciãos responderam: “O primeiro”. Então Jesus lhes disse: “Em verdade vos digo que os publicanos e as prostitutas vos precedem no Reino de Deus. Porque João veio até vós, num caminho de justiça, e vós não acreditastes nele. Ao contrário, os publicanos e as prostitutas creram nele. Vós, porém, mesmo vendo isso, não vos arrependestes, para crer nele”.

Questões FCC - Nº 145

145. (FCC - TRF4 - Analista Judiciário - 2010) - Independentemente de contribuições, mantém a qualidade de segurado:
a) quem está em gozo de benefício, sem limite de prazo.
b) até doze meses após a cessação das contribuições, o segurado facultativo.
c) até três meses após a cessação das contribuições, o segurado facultativo.
d) até seis meses após o licenciamento, o segurado incorporado às Forças Armadas para prestar serviço militar.
e) até doze meses após o licenciamento, o segurado incorporado às Forças Armadas para prestar serviço militar.

Clique no banner e compre na Livraria Cultura

Clique no banner abaixo para comprar os livros de Hugo Goes